Sinpro exige edital para contratos temporários

24/11/2010

FONTE: Site do Sinpro

Em reunião com a Comissão de Negociação do Sinpro-DF nesta quarta-feira (24) para mais uma rodada de debates a respeito da portaria de distribuição de carga horária, a Secretaria de Educação informou que o edital normativo do concurso simplificado para contratação temporária de professores não pode ser publicado, pois havia discordâncias no cronograma de execução do processo. A empresa responsável está reformulando o edital para que o mesmo seja publicado o mais rápido possível.
A Secretaria ainda informou que deseja que todas as etapas do processo (inscrição, prova objetiva, prova de títulos e resultado final) ocorram ainda em dezembro. Contudo, após esta reformulação algumas etapas poderão ser executadas em janeiro por questões de ordem técnica/jurídica. Vários professores de atividades estão questionando se haverá a necessidade de apresentação do diploma de nível superior (Pedagogia) para a efetivação da contratação, e em relação a esta questão a SEE informou que não haverá mudanças nos pré-requisitos. Os professores que possuem apenas formação em nível médio em magistério poderão fazer suas inscrições para a contratação temporária.
O Sinpro-DF continuará lutando pelo lançamento do edital e pelo cumprimento de outras reivindicações discutidas com o governo.


Sinpro tenta marcar reunião com a Comissão de Transição

24/11/2010

A Diretoria do Sinpro solicitou à Comissão de Transição da Educação uma reunião para esta quinta-feira. O objetivo é entregar a pauta de revindicações da categoria. Na oportunidade também trataremos do processo de escolha de diretores de escola pelo processo de gestão compartilhada.

Aproveitarei o encontro também para cobrar uma proposta clara de nomeação dos professores aprovados no concurso de 2010 e uma solução definitiva para os problemas dos professores com contrato temporário.

Postarei aqui as novidades.


De olho no Orçamento da Educação

24/11/2010

A Diretoria do Sinpro está acompanhando atentamente a formação do Orçamento do GDF destinado à Educação. Até agora não tem nada definido, mas a expectativa é de aumento de recursos. É claro que estou dando especial atenção ao ponto da proposta que indica a previsão orçamentária para o nosso reajuste de 2011.

Acompanhe por aqui todas as novidades.


Ministério Público aponta condições físicas precárias em 17 escolas públicas

24/11/2010

FONTE: Jornal de Brasilia

As escolas do Distrito Federal não são seguras. Isso é o que diz o texto de recomendação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) enviado à Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF). A recomendação aponta que os prédios de 12 escolas estão em condições físicas precárias e que apresentam riscos. Dessas 12 recomendações, duas já viraram ações civis públicas. O somatório, porém, chega a 17, uma vez que já há ações para outras cinco unidades.

“Nós abrimos a investigação para apurar a situação dessas escolas que se encontram degradantes. Nós pedimos também a intervenção dos prédios, pois eles não apresentam condição de uso adequada. Nós fizemos uma perícia juntamente com o Corpo de Bombeiros e algumas delas estão em situação calamitosa”, explica Márcia Pereira da Rocha, promotora de Justiça da  Defesa da Educação do MPDFT.

As recomendações foram encaminhadas  em maio deste ano. Para que elas sejam atingidas é necessário que as normas de proteção contra incêndio, panes elétricas e hidráulicas sejam atendidas de acordo com as normas brasileiras e técnicas do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBDF). Os problemas que o CBDF apontar podem ser resolvidos por meio de contratos de manutenção.

As escolas são:

CEF Vendinha de Brazlândia
Escolas Classe: 410, de Samambaia;
30, 22 e 21 de Ceilândia;
Boa Vista de Sobradinho;
08 da Octogonal;
CEE 02 de Brasília;
46 de Taguatinga;
07 de Sobradinho;
Centro Educacional 07 de Ceilândia;
CEF 306 do Recanto das Emas.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 14.588 outros seguidores