A SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO DE PIERRE BOURDIEU: LIMITES E CONTRIBUIÇÕES

Este artigo destaca as contribuições e aponta alguns limites da Sociologia da Educação de Pierre Bourdieu. Na primeira parte, são analisadas as reflexões do autor sobre a relação entre herança familiar (sobretudo, cultural) e desempenho escolar. Na segunda parte, são discutidas suas teses sobre o papel da escola na reprodução e legitimação das desigualdades sociais.

Clique aqui e leia o artigo

No vídeo abaixo podemos entender melhor as idéias de Bourdieu sobre a escola. O  vídeo foi produzido pela Univesp TV para o Curso de Pedagogia da Universidade Virtual do Estado de São Paulo.

About these ads

6 respostas para A SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO DE PIERRE BOURDIEU: LIMITES E CONTRIBUIÇÕES

  1. WD,

    O post é somente para parabenizá-lo pela diversidade de textos do seu blog, agora, ampliada com textos de caráter mais acadêmico tão essenciais para nossa leitura sobre educação.

    Abraços

  2. João Sérgio disse:

    Parabéns Washington por trazer esta reflexão.
    Alguns de nós educadores, ainda temos a postura equivocada de responsabilizar e culpabilizar o aluno e a família pela não aprendizagem. Desconsiderando os aspectos sociais, culturais, históricos e políticos no processo de escolarização.
    Bourdieu é uma ótima referência para quem quer entender melhor esta questão.

  3. Luciano Marim Lopes Bogalho disse:

    Bourdieu, de forma brilahnte para sua época conseguiu identificar os fatores sociais que implicavam no sucesso acadêmico dos filhos da elite social, que eram intuitivamente impulsionados pelos seus pais a vivenciarem situações culturais que de forma erudita era restrita a burguesia, no entanto que o ensino até então não atingia proporções populares como hoje estamos vivendo.A educação democratizou-se, por um tempo manteve-se ligada as culturas eruditas de difícil acesso para todos desabrochando um abismo desigual no desempenho do João para o Jhon. Com a abertura de tecnologias que hoje facilitamo acesso a tantas informações tanto para os abastados quanto para os mais populares, percebemos que o estímulo familiar ainda impera nesta cultura dos estímulos para se construir a igualdade no desempenho dos alunos de diversas origens nas escolas, parece-me que o despertar deste interesse ainda esta ligado aos primeiros anos do indivíduo onde suas referências familiares e ambientais fazem com que ele possa intuitivamente seguir os exemplos observados no comportamento de seus tutores. Caso a tecnologia um dia vier a ser distribuida para todas as classes sociais, cabe ainda a cultura imposta pela família através dos seus hábitos incentivar ou não a curiosidade e a motivação em descobrir este mundo que está virtualmente aparecendo nas telas dos computadores de suas casas. A educação ainda depende e muito dos primeiros estímulos que os pais ou responsáveis impulsionarão seus filhos ao sucesso na vida acadêmica, independente das propostas e dos conteúdos curriculares que esta instituição utilize como diretrizes na sua didática de ensino.

  4. Cesar Ricardo disse:

    Já li a obra que é, na verdade, um compêndio “Escritos sobre Educação”, e estou com o também importante “A Distinção” que aprofunda a temática, ambos do filósofo/sociólogo Bourdieu.

    Depois faço um comentário mais específico sobre o tema em questão…

    Sugiro também como leitura “Educação e Emancipação” do filósofo Theodor Adorno, facilmente encontrado na web.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 14.582 outros seguidores