Frase do dia!

“Estudei tanto, mas como gosto de trabalhar em sala de aula, agora corro o risco da porteira da escola ser a minha chefe. Viva a gestão democrática.” 

Frase enviada pela leitora Sandra.

Qual sua análise sobre essa frase?

ATUALIZAÇÃO às 21h45

COMENTÁRIO DO WD

Prezados (as) visitantes,

Fiz questão de colocar esta frase da Sandra aqui para levantar um debate mais realista, como acontece no interior de muitas escolas. Tenham certeza que as posições aqui levantadas são exatamente as mesmas apresentadas nas escolas por muitos da categoria. São posições carregadas de equívocos e até de certos preconceitos que não combinam com a concepção de Gestão Democrática que queremos construir.

É por isso que faço questão de criticar a forma como os Comandos da Secretaria de Educação conduziram este debate até aqui. Fizeram muitos eventos, muitos palanques, muitos espaços para reafirmar teses maravilhosas, mas esqueceram de colocar o dedo na ferida: as resistências ao projeto de Gestão Democrática começam na própria categoria, não apenas fora. Outro ponto negativo das discussões oficiais é que acabaram reduzindo o debate ao processo eleitoral, esquecendo a concepção ampla do que realmente significa uma proposta como esta. No final das contas a discussão, como aqui neste tópico, acabou ficando sobre gestão e processo eleitoral, não no aspecto da democratização da administração escolar, da elaboração dos projetos pedagógicos, da participação da comunidade e, finalmente, do próprio papel da escola frente às necessidades da comunidade.

Pela maioria das posições colocadas aqui a escola é vista como uma empresa, um órgão burocrático, um espaço de perde e ganha, um templo da competição, da meritocracia, da hierarquização das relações e das funções. Esta é a ideia implantada por anos de coronelismo do Roriz e pelo período de “gestão compartilhada” implantada por Arruda. Por outro lado, estes são justamente os princípios que o projeto de Gestão Democrática quer combater.

Para os que defendem uma gestão realmente democrática, a escola é um espaço vivo, aberto, articuladora do processo educacional formal com os interesses e necessidades da comunidade na qual está inserida. É um espaço de construção coletiva, de colaboração, de cooperação em que todo o processo implantação do novo conceito de gestão não seja apenas para definir a forma de gerenciar as atividades pedagógicas ou eleger diretores, mas que seja um grande processo de educação para a democracia tanto para os alunos como para profissionais, pais e responsáveis envolvidos. É por isso que os defensores da Gestão Democrática privilegia a capacidade de liderança, de diálogo e de articulação com os vários atores da comunidade escolar como requisitos para escolher os ocupantes dos cargos nas direções das escolas sem esquecer, é claro, da formação e capacitação específica que deverá ser oferecida pela própria SEDF. Assim, deste ponto de vista, é plenamente aceitável que qualquer um dos profissionais que atuam na Educação Pública do DF, desde que apresentem perfil, que tenham compromisso com a educação pública e que sejam eleitos pelo conjunto da escola podem sim ocupar o cargo de Diretor de Escola. 

O debate continua…

About these ads

355 respostas para Frase do dia!

  1. Conselheiro disse:

    Na minha análise, vejo a frase como preconceituosa. Se fizermos analogia ao Ex-presidente Lula, e de acordo com a leitora Sandra, ele não poderia ser Presidente do nosso país, já que ele também não estudou. Mais como vivemos numa democracia, a vontade da população o elegeu. No nosso caso, se for a vontade da comunidade escolar, a porteira, o monitor, seja que for, pode sim ter a competência para dirigir ou não uma escola, desde de que para isso tenha o apoio do demais componentes da instituição educacional. Caso contrário, só poderá ser candidatos, pessoas que acham que estudar esta relacionado a competência, então quem não estudou por qualquer motivo o que seja, não é digno de participar de um estado democrático? Então voltamos a didatura…
    Que pensamento pequeno, leitora Sandra..

    • Totó disse:

      Eu não posso participar do processo seletivo para juiz não por falta de dignidade, mas por falta de qualificação.

      Alguém poderia me explicar qual a relação com a ditadura?

      • Viana disse:

        Boa!

        • Valdenira disse:

          Concordo com a Gestão Democrática desde que a pessoa candidata a Diretor(a) conheça pelo menos o mínimo da legislação do cargo pleiteado.Acontece, que existe gestores, não sei se por ignorância ou imcompetência não conhece nem mesmo as normas a serem observadas dentro de uma escola.A comunidade escolar como um todo, deve conhecer as pessoas candidatas à gestão da escola.Pois, nem tudo que parece, é.

        • Cris disse:

          Totó, seu comentário é perfeito!!!!

        • carlos disse:

          concordo com a Sandra, queria ver alguém com filhos chegar e descobrir que a merendeira está dando aula para ele, afinal pq não poderia? Se pode ser “chefe” , dar aulas é café pequeno

          • Humberto Dias disse:

            Olha! conheço um monte de merendeiras com cursos ótimos em pedagogia, UNB, CEUB etc.poderiam fazer uma revolução, já pensou uma merendeira passar um aluno de 1ª série alfabetizado sem deixar o pepino para o colega na série seguinte, mais ela é merendeira pois também não passou para concurso de juiz, cara! eu sou merendeiro quero o meu crachá mas é o seguinte ser diretor para as burocracias administrativas podemos! o pedagógico fica com o vice ou vice versa, tem também a supervisão pedagógica e os coordenadores, gente que medo é esse???

      • Conselheiro disse:

        Simples Totó, não tínhamos liberdade de escolha ou de expressão.

        • Robson disse:

          Eu continuo sem entender o por quê de tanta discriminação. A CAE (Carreira de Assistência à Educação, isso para os “entendidos” que não sabem o que significa) não é composta somente de merendeiros e porteiros, como alguns ignorantes pensam, a CAE é composta de muitos pós-graduados, mestrados e doutorados, podem acreditar, muitos, e quando digo muitos,são muitos mesmos, mais competentes que alguns colegas que se dizem professores que conheço. Vejam bem, não estou generalizando, até porque estou dizendo “alguns”. Agora, caros colegas, infelizes, se querem ser juízes tem que estudar muito mais do que um curso de dois anos de pedagogia, apesar que conheço professores que ainda, até hoje, trabalham só porque fizeram magistério; vão criticar quem merece ser criticado, a carreira de magistério é cheia de maus professores, que nem para porteiros ou merendeiros seriam competentes o suficiente para assumi-los. Já que a pergunta é extremamente ignorante, não sei porque agir de forma diferente. Preparem-se, “donos de engenho” a hora de vocês está chegando.
          WD: mais uma vez você levanta essa questão no seu blog demonstrando nitidamente a sua posição e do seu sindicato antidemocrático.

          • Não Robson,

            Levantar esta questão é fundamental para entendermos como funcionas as duas categorias. As posições levantadas aqui são as mesmas levantadas nas escolas, mas ninguém tem coragem de expor publicamente. Faço questão de colocá-las aqui para que todos saibam como temos muito a aprender, mesmo sendo professores.

            • Robson disse:

              Convenhamos WD, que você levanta uma questão que qualifica a CAE a meros escravos dos professores. Me perdoe, mas não me sinto nesse patamar, sou tão qualificado quanto qualquer outro, não fiz concurso para professor, mas o poderia ter feito. Gostaria que você enxergasse o quão é infeliz o questionamento que levantou esse debate. Já trabalhei fora da SEDF e quando vejo esse tipo de coisa me vejo triste, pois um diretor de Escola Classe ganha oitocentos reais para passar mil e umas dificuldades sem reconhecimento de “Seu Ninguém”, vejo tudo isso como uma discussão inútil, que não favorece ninguém. Temos que brigar sim, mas sem nos separarmos, pois, você com toda a sua experiência política, ainda não compreendeu que é isso que o GDF quer, desunião. Aos que deixam se levar por suas opiniões insignificantes, meus pêsames.

              • Robson disse:

                Sou seu admirador e você sabe disso, mas, porque você não expõe essas opiniões, como essa levantada aqui neste post, quando sobe no trio elétrico do SAE para nos apoiar.

              • Se quiser farei isso sem problemas. Até porque faço questão de repudiar qualquer atitude divisionista ou discriminadora de qualquer profissional da educação. O fato de colocar aqui é uma atitude para expor um debate duro e que precisa ser superado.

              • Robson,

                Não faço este blog com as minhas opiniões apenas. Tanto é que lá tem nome de quem mandou a frase. Mas o objetivo é levantarmos o debate. E isso penso que é bom. melhor que fingir que está tudo bem,. como alguns fazem.

          • Profª Carmen disse:

            Pois que façam concurso para carreira magistério….Ou falta competência para tal?!?!?!?!

          • Rose disse:

            Ei,Robson!Não fale daquilo que não sabe,colega.
            Em qual instituição há curso de pedagogia em apenas “2 anos”??????????
            Eu já sou graduada para atuar nas séries finais do EF e também no E.M,mas para poder ser professora na educação infantil,tive que fazer uma complementação pedagógica e no total foram 5 anos e meio de estudo!!!
            E o curso de pedagogia, só é concluído em “4 anos”.
            Não menospreze os docentes,pois vc foi educado por um,lembra-se???

          • wanessa disse:

            Adorei seu comentário, Robson. ao passo que detestei o comentário preconceituoso da Sandra. Trabalho na SEE há dezessete anos e conheço bem a realidade das escolas.Há quase sete anos assumo um cargo de chefe e por incrível que pareça eu sou agente de portaria, Sandra. Mas assim como vc estudei para isso, sou graduada e pós- graduada e posso te garantir que uma porteira pode sim ser sua chefe ou de outros professores. Isso por competência mesmo,. comprometimento com a educação, coisa que muito professor não tem. Afinal, como se explica que um aluno chegue ao 5º ano sem estar alfabetizado? Cara colega é um pena que ainda pense de maneira tão preconceituosa, o que irá ensinar à seus alunos?

            • Rose disse:

              Ah,tá!Quer dizer Wanessa,que existe uma classe privilegiada nos quesitos “competência e eficiência”???
              Não acredito que vc queira nos convencer que na CA,não existam profissionais ruins e mal preparados como na dos docentes!!!
              É isso mesmo?
              Creio que seu comentário,sim,é preconceituoso!!!
              Afirmar que na SEDF,existem professores mal preparados,isso,não é novidade,viu?
              A CA,por acaso,é formada por “SUPER SERVIDORES”?
              Incompetência,minha cara,não é exclusividade de “alguns” professores.Tenha ciência disso,por favor!
              Em qualquer classe trabalhadora,iremos encontrar profissionais,ruins!

        • Totó disse:

          O direito de expressão está mantido com essa proposta ou qualquer outra. Não estamos em uma ditadura.

          Quer dizer, temos a ditadura do politicamente correto. Mas o debate aqui é outro.

          O que está em discussão é a qualificação para ser candidato. Esse é o teor do comentário da leitora.

          • Fernando disse:

            Secretário-Escolar(dois anos como Supervisor Administrativo), graduado em Letras, professor contrato temporário à noite e especializado em Gestão Educacional, Pós-Graduado em Política Educacional, responsável pela Caixa Escolar ( a direção não sabe nem para onde vai a APAM). Serve!

            • Profª Carmen disse:

              Faça concurso para carreira magistério então…

              • Fernando disse:

                O correto seria concurso para Diretor Escolar, a senhora sabe fazer outra coisa da vida que não seja lecionar? A quanto tempo é concursada? Conseguiria ser aprovada hoje? Deus salve o museu.

            • Suzzane disse:

              Parabéns Fernando, só posso colocar o meu próprio curriculo e fazer voz junto à você: 10 anos como chefe de secretaria, 02 como supervisora administrativa. Concursada classificada em concurso público para professora da SEEDF, graduada em Letras – Português e Inglês e pós-graduada em Gestão e Orientação Educacional. Qualificação, competência e experiências que ajudaram várias escolas e colegas, tanto professores (como chefe) quanto Auxiliares (como chefe). Serve também??

      • silvia moraes disse:

        Voce falou o ao posso querer ser magistradaque tinha que ser falado. Eu tambem nao posso querer ser magistrada ___ minha area de atuacao e outra. Qualquer link com ditadura e de pessimo gosto. Uma coisa nada ter a ver com a outra.

    • Paulo A. disse:

      Ué?! Esta escrito no projeto que o servidor da carreira assistência terá que ter curso superior. Aliás, professor também! Afinal, ainda temos colegas que não tem. Daí, pergunto: se no projeto há a previsão de se ter curso superior, esta frase é preconceituosa ou oportunista (só para desqualificar o debate)?

    • Bom, nesse país criou-se uma tendência (de politicamente correto) de denominar alguma forma de crítica como preconceito, quando voltada,principalmente, aos “menos escolarizados” ou às pessoas pobres.
      Nesse sentido, a frase em questão torna-se problemática ou polêmica ao se restringir a um cargo a crítica principal do texto, que é a descordância ou insatisfação da autora pela atual proposta de Gestão Democrática.
      A frase, talvez, não teria tanta repercussão se a citação de um cargo relativamente ocupado por pessoas “menos escolarizadas” tivesse sido omitido. Isso me faz lembrar e eu compartilho aqui um comentário do apresentador do Jornal da Band, Boris Casoy, dirigido aos garis,que ganhou muita repercussão na mídia. Transcrevo aqui as palavras desse apresentador: “que merda… dois lixeiros desejando felicidades… do alto das suas vassouras… o mais baixo da escala do trabalho…”. Quer dizer, a frase de Sandra e citação de Boris Casoy tem muito em comum, uma vez que desqualifica quem é relativamente desqualificado, pelo menos no quesito escolaridade.
      O que se coclui é que “criticar” no Brasil, às vezes, é sinônimo de atuar de forma preconceituosa, o que eu acho um exagero, inscrustado por essa tendência de politicamente correto. Ou seja, não se pode expor uma opinião aberta e livre, sob pena de censura.
      Deixo claro, aqui, que não estou defendendo a colocação que se refere ao cargo de porteiro como um potencial chefe, mesmo sem qualificação ou alta escolaridade. Desse modo, o que vale a pena extrair da frase de Sandra é o que está implícito, a saber: a atual proposta de Gestão Democrática não valoriza a qualificação, assim como qualquer cargo público, pois o que se diz “democrático” na verdade esconde uma ação aristocrática às avessas; ou seja, as indicações são meramente políticas, movidas por fatores afetivos ou de coligação.

      • david rocha disse:

        Deveríamos discutir o que é democracia. Ela existe mesmo? É uma mecanismo de dominação capitalista? É uma máscara que esconde uma ditadura capitalista?

        Existe democracia para quem? Todos nós temos escolha de comer bem, de colocar nossos filhos em boas escola, todos nós temos direito a uma saúde de qualidade?

        Depois de respondermos estas perguntas, chegaremos a conclusão que democracia existe para poucos.

      • professora indignada disse:

        Miguel Ângelo,
        poderíamos retirar todos os comentários deste blog e deixar apenas o “seu”!
        Você expressou com muita coerência a questão do preconceito neste debate.
        Creio que o que essa gestão democrática pretende na verdade,é implantar um “cabide de empregos” na SEDF.
        E isso é bem peculiar nesse governo,não é verdade?

    • Pedro Faria disse:

      Realmente colega conselheiro, pode até ser preconceito, mas se há uma lei que diz que vc tem que ter determinada qualificação, especialização, para exercer uma profissão, ou cargo, seja onde for, e as pessoas que pleitearem este cargo, cumprem tais requisitos, que os direitos sejam iguais, ou todos fazem a prova e tenham 3 anos efetivis dentro de sala de aula, ou ninguém faz a prova e não precisa destes 3 anos efetivos dentro de sala de aula.
      Para mim, é o ponto onde pecam na chamada gestão democratica. Democracia não é direitos iguais para todos?????

    • Gisele disse:

      Concordo plenamente com sua colocação, pois possuir um curso superior não significa ser competente e além do mais se percebe que a leitora, embora possua tal nível de estudo, não aprendeu na escola como instituição e muito menos na escola da vida que todos merecem respeito e que preconceito é coisa de gente mesquinha e hipócrita, pois nunca ouvi falar que os grandes catedráticos julgassem livros pela capa, pois de tão inteligentes que são (ou eram) primeiro conheciam o conteúdo, ou seja, pessoas inteligentes não julgam livros pela capa, sendo assim pessoas realmente inteligentes (e não apenas diplomadas) não são preconceituosas e têm a mente aberta e sabem que vivemos numa democracia, onde todos são iguais e percebe-se ainda a grande ignorância da digníssima professora que demonstra não saber que parte dos auxiliares de educação (hoje a nomenclatura é outra) (pois servidores todos são, inclusive os professores que gostam de se subdividir em uma categoria à parte, mas são servidores também) hoje já possuem formação universitária e alguns já estão inclusive concluindo pós-graduação, então digníssima leitora e professora reveja seus conceitos, pois talvez um auxiliar de educação seja mais capaz de gerir uma escola pela humildade em lidar com as pessoas e desempenhar sua função que é ser “servidor público” melhor do que muitos ditos “educadores” que são servidores, mas acham que estão nas escolas para serem servidos, lembre-se que a Lei 197/91 rege as duas categorias, sendo assim os direitos são iguais e se o auxiliar de educação for competente por que não ter uma chance de mostrar sua capacidade, afinal todos entram na SEDF ou professores ou auxliares, afinal ainda não existe a categoria “Gestor Educacional” em concursos da SEDF, sendo assim todos aprendem a gerir uma escola independente do título que ostentam, sendo professor ou não.

  2. Hélio disse:

    Desculpe-me, mas um porteiro,ou qualquer um que tenha competência e boa índole, não precisa estudar mais que ninguém para ser um ótimo gestor. É complicada essa sua afirmação Sandra.

    • Totó disse:

      Não precisa estudar prá ser gestor???? Basta ter competência e boa índole???

      Já falei mais de uma vez: esse é o espírito do tempo, o zeitgeist…

      • Andre disse:

        Não precisa ser competente nem pra ser Governador hoje em dia… Concordo plenamente com a indignação da leitora e não vejo preconceito nenhum. O LULA tem um talento nato e raro pra liderança, assim como o Neymar pra jogador. Isso não quer dizer que qualquer metalúrgico tem condições de ser presidente e nem que qualquer merendeiro ou porteiro vai ser bom gestor. É óbvio que ter formação aumenta a competência o indivíduo, mas não significa que quem não estuda não tem competência alguma. Agora sinceramente, alguém que nunca frequentou uma universidade vai gerir professores naquilo que são especialistas (GESTÃO DE CONHECIMENTO)?

        • Gisele disse:

          Professores são gestores do conhecimento, essa é nova! Pra gerir uma escola é preciso mais do que a simples “pedagogia” é preciso saber administrar e lidar com pessoas, dentre outras coisas e pessoas com mente pequena e preconceituosa não se encaixam nesse perfil, independente da formação. Professor foi preparada para sala de aula e no entanto ” conseguem gerir uma escola” então por que auxliares “com a devida” formação não podem fazê-lo?

      • professora indignada disse:

        Concordo plenamente com vc,Totó!
        Que insensatez é essa,gente???
        Preconceito é outra coisa…
        O que estamos falando aqui,são de pré-requisitos para investidura de um cargo público!
        Não criem polêmica,onde não existe,por favor!!!!

    • Pedro Faria disse:

      Então ninguém precisa estudar mais, para nenhuma profissão, qualquer um de nós, professores, que seja apenas com o antigo Magistério, podemos exercer medicina ????
      Conheço mta gente que são faxineiros (a), cantineiros As), porteiros(as), e várias outras funções dentro da escola, que que procuraram durante este tempo habilitarem-se, em graduações várias. exercem uma função na escola, mas tem habilitação para concorrer a outros cargos.
      Agora para ser realmente mais democratico, basta além de habilitação para o cargo, tbm terem 3 anos efetivos em sala de aula. Como está sendo exigido de quem é professor.

      • Gisele disse:

        Acontece que a lei nem foi sancionada ainda, pode ser que ocorram mudanças, talvez não se cobre o efetivo exercíco em sala, concorda?

  3. Paula Queiroz disse:

    Independente se estudou ou não, pode ser diretor. Então os auxiliares também podem substituir os professores em sala de aula.

    Os próprios professores se desqualificam….

    • Viana disse:

      falou tudo…

    • Sol disse:

      Bom dia!

      Vemos membros de direção e coordenação todos os dias em sala de aula substituindo abonos, folgas de TRE, LTS, entre outras.
      Então se os auxiliares de educação podem ser diretores de escola, eles poderiam perfeitamente estar substituindo esses professores.
      E não gostaria que meu comentário fosse visto como preconceituoso, pois meu pai já foi trabalhador da limpeza em uma repartição pública e tenho um tio que inclusive é servidor da SE.

      • Valdenira disse:

        Sol,
        Já vi várias vezes estagiário de outra área e não de pedagogia, substituir professora em LG.
        Dentro de certas escolas acontece de tudo!

      • Fernando disse:

        Substituo sem problema! E o principal com boa vontade, não como alguns que fingem que dão aulas, não fazem escrituração, que nem se dão o trabalho de fazer um bom plano de aula, que preenchem o diário com duas cores de canetas, e depois me perguntam: “Onde tá escrito que não pode usar duas cores?” Que não conhece legislação educacional, que não leva em conta a individualidade de cada aluno, que o aluno some por dez dias e nem sente falta dele, e principal, que se põe no papel de protagonista na educação, papel que é do aluno, nos somos simplesmente coadjuvantes na educação.

    • Humberto Dias disse:

      Paula ninguém quer tomar o lugar de professor , aliás pelo contrário queremos que os professores fiquem em sala de aula!

    • Pedro Faria disse:

      Exato, á partir do momento em que a nós professores, foi exigido (LDB), termos graduação necessária para sermos efetivos em sala de aula, ( e isso não mexe com índole de ninguém), a todos tbm tem que ter esta exigência. Tenho duas graduações, uma pós.
      Anos de experiência, e me submeter a chefia de um profissional da carreira assistente, que não tenha a mesma qualificação, e 3 anos efetivos em sala de aula, ou mesma experiência dentro de sala de aula, não é ser preconceituoso, é ser coerente, pois estamos falando de escolas, que já estão um caos, imagine o que vai ser então ? Posso Exercer a medicina, advocacia, engenharia, arquitetura, delegados, policiais federais, Etc. etc. sem ter cursado uma faculdade para estas areas? Então fechem as faculdades, pós-graduações, mestrados, doutorados, para que gastar nosso tempo e dinheiro com estudos, conhecimentos específicos ?
      Democracia, parcial já é a que temos, para escolhermos nossos representantes, no governo de nosso estado, país.
      Agora resolverem fazer uma democracia completissima, que ninguém conseguiu até hoje, exatamente por ser impossível, dentro das escolas é esculachar com o ensino, que já esta na UTI.

    • Professora contrato temporário disse: disse:

      Certíssima,Paula!
      Se podem ser diretores,podem também lecionar!
      Nem precisa mais fazerem concurso para CT.
      Se é para bagunçar…baguncem logo tudo!!!

  4. Francisca disse:

    … Sejamos realistas e não demagogos!!!
    Concordo com a Sandra.

    • Suzzane disse:

      Demagogia é não ser competente para ser gestor ou gestora e se achar no direito de menosprezar o outro profissional. Gerir é muito mais que entrar em sala de aula e colocar uma atividade no quadro ou qualquer atividade que “sobra” na sala de coordenação ou sala dos professores. Em tempo: nunca fui diretora ou vice diretora mas conheço de perto a ótima qualificação dos professores e gestores de escolas públicas em minha cidade. Isto é ser realista e não demagoga!

    • Conselheiro disse:

      Por essa razão é que não temos o devido respeito. A questão não é apenas desqualificar o outro, mais se achar melhor que o outro. Por esse motivo há esse abismo entre os auxiliares e nós professores.

      • Charles disse:

        Os alunos maiores de idade poderiam ser candidatos? Auxiliar, só se for aqueles que tem qualifificação para o cargo. É cada idéia!

      • Andre disse:

        O Sr contrataria um BOM mestre de obras pra levantar um edifício ou pra construir uma ponte, sem a supervisão de um Engenheiro Civil? Se responder que não isso não significa que esteja desqualificando o mestre de obras. E se responder que sim, sua obra provavelmente não teria credibilidade nenhuma. Acredito que o Sr está tomando a afirmação da leitora como uma ofensa aos merendeiros, que merecem todo o respeito. Mas sinceramente, se ela reformulasse a frase, o Sr continuaria acreditando que seria uma boa opção eleger um ótimo porteiro sem nível superior pra gerir professores na área de educação?

        • Andre disse:

          Corrigindo, ofensa aos porteiros…

        • Rose disse:

          Parabéns,André!
          Isso sim,é uma visão COERENTE!
          Ô povo que gosta de polemizar tudo!Em que momento a Sandra foi preconceituosa?
          Os auxiliares é que se sentiram menosprezados,e isso está bem claro nas postagens deles aqui.

      • Silvana disse:

        Falou tudo! Temos de tudo em nossas escolas, professores competentes, dedicados, etc, como infelizmente temos também professores que querem tudo, menos dar aulas! Têm horror em entrar em sala e gritam aos quatro ventos que são desvalorizados. Não devemos achar ruim o fato de vários auxiliares terem melhores salários, ou ainda, oportunidades maiores de demonstrarem sua competência dentro do contexto escolar. Errado é professor não ganhar tão bem quanto merece!!!!! Errado é professor não ser valorizado quanto merece!!! Porem façam por merecer antes. Lutem por isso senhores professores, façam por merecer, e mais, agradeceçam e se orgulhem que vcs possuem colegas da carreira que possuem melhor qualificação do que vcs!! Colegas que possuem cursos superior, pós graduação, mestrados, etc. Enfim, façam uma auto-crítica! Qual a postura de vcs professores em sala de aula!!!!! Dentro da escola??????? Será que está condescendente com o que vcs divulgam??????

    • Humberto Dias disse:

      Francisca sou merendeiro fico triste com comentários assim, pois vemos claramente que o preconceito está dentro de uma carreira onde não deveria passar nem perto, que é a sua, carreira magistério, mas parabéns vc não é hipócrita e fala o que sente, o que vê,eu vejo companheiros meus 4ª série, sem motivação para o estudo, a sua maioria são mães de família onde não tem a ajuda de um marido, já nossos companheiros porteiros, merendeiros vigias temos em sua maioria outro emprego, somos trabalhadores, não ficamos filosofando somos braçais, não!NÃO É VERDADE muito de nós com toda esta dificuldade nos preparamos, realmente não são todos, muitos companheiros estudaram sim e tem competência para assumir um cargo de Diretor ou Vice, afinal já assumimos os de supervisor administrativo e olha quem é desse ramo segura as pontas sozinhos em muitas escolas no DF. Uma nova leva de auxiliares surgiu! respeitem não são mais aqueles seu Zé ou dona Maria, são pessoas esclarecidas preparadas ou não! Afinal todos estes anos Diretores e Vices da carreira magistério no PODER KKK! Melhorou o que????

  5. Oliver. X disse:

    AUDIÊNCIA PÚBLICA – Situação dos Concursados da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal.
    Início:
    11/11/2011 19:00
    Autoria:
    Deputado Wasny de Roure
    Local:
    Plenário
    Req. No.:
    836/2011

    http://www.cl.df.gov.br/cldf/agendacldf/audiencia-publica-discutir-a-promocao-da-cultura-em-samambaia

  6. Paula Queiroz disse:

    Democracia virou piada da mera eleição comprada,

  7. contrato temporário disse:

    Gostaria de saber qual a contribuição pedagógica que tal função poderia oferecer, como ppp, projeto interventivo entre outros, aí aparece um defensor e diz que o (a)supervisor(a) resolve tal fato, como se esse (a) já não fosse tão atarefado (a),mas como educação no DF é uma anedota, é bem fácil de acontecer essa tragédia…

    • carlos disse:

      percebe-se que a própria categoria não se valoriza, esperar que o governo nos valorize? huahuahua

  8. Paula disse:

    Gente, sem demagogia! Um presidente váááários ministros e uma máquina inchada de funcionários, técnicos, analistas e tudo mais para dizer pra ele o que fazer, PORTANTO a comparação com o ex-presidente Lula é inválida. Um diretor de escola, que é uma coisa pequena comparada com um país, cidade ou estado, tem que ter competência administrativa, noção de como as coisas funcionam! Diretor tem muitas responsabilidades e implicações jurídicas sobre ele. A colega Sandra talvez tenha se expressado mal, mas falou a verdade.

    Eu, com minha pós e mestrado JAMAIS me arriscaria ser diretora, confesso que seria péssima, não tenho noção do que é ser gestor. Democracia não é colocar qualquer incompetente lá como diretor só pra dizer que é a vontade da maioria. Isso é afundar mais uma vez o Titanic que é a escola pública!

    • Elias disse:

      Paula, se voce estudou nao tenha medo de assumir as responsabiliadades que lhe são exigidas pela ocasião. Melhor que vc assuma uma função pela sua qualificação a que voce se omita e permita que uma pessoa menos qualificada assuma pelo voto, simplesmente. A administrção do GDF está cheia de cabo eleitorais desqualificados… Ja pensou nisso… vá a administração pedir um documento…. é o caos…

      • Paula disse:

        Não, colega Elias, eu sei da competência que eu não tenho pra ser uma boa diretora, então nem me canditaria. E além do mais, o que eu sei fazer e gosto… é estar na sala de aula…

      • Sheyla disse:

        Elias,
        Seu comentário foi extremamente lúcido e coerente!
        É isso mesmo que esse desgoverno pretende fazer…
        “CABIDE ELEITORAL”.Até parece que essa indicação será para os auxiliares mais competentes e preparados,que sabemos existir na SEDF.O que irá acontecer é que cabos eleitorais irão tomar conta de tudo.
        Imaginem???
        Não será analisado quesitos como competência e escolaridade,não,minha gente!
        Isso é um fato muito preocupante…

    • Suzzane disse:

      Cara Paula,
      Concordo com você quando diz que acha que não tem competência para ser gestora, contudo, se uma escola possui tantos profissionais competentes como os professores qualificados e se um professor que NUNCA foi gestor consegue com o apoio do GRUPO ESCOLAR e COMUNIDADE desenvolver no dia a dia sua gestão então que se dê a chance de quem tem capacidade para exercer essa função

    • Lessa disse:

      Paula, concordo com todo o seu posicionamento de 05/11/2011 às 22:25. Gostei da sua prudência. Vc não quer ser como muitos que qualificados ou não, assumem um “cargo” sem ter perfil para tal.

    • Charles disse:

      Lula sempre teve muito conhecimento, apesar de não ter curso superior. Para governar um pais o mais necessário é saber lidar com a política, o que o Lula sabe fazer muito bem.

  9. Julio Cesar disse:

    É importante perceber que a carreira de professor é FIM dentro da estrutura da SE. Portanto é inadimissível que colegas de carreira MEIO venham se tornar nossos chefes. Questao de hierarquia! Conheco escolas em que o assistente adm. era cozinheiro!! Pouco a pouco vem se tomando o lugar de direito do professor. Sandra, concordo com vc em genero, numero e grau.

    • Elias disse:

      Lugar de professor é em sala de aula, senhor Julio; a merendeira é na cantina; o de secretario é na secretaria; de orientador é na orientação; e assim por diante… os cargos/função comisionadas são de livre provimento, portanto, são para aqueles que se propuserem a assumi-los. Para o se governo, os que realmente se comprometem nestes cargos, sacrificam-se. Para o seu conhecimento até agora existem várias escolas no DF que não receberam o dinheiro do PDAF, pois o governo não repassou, e ainda, não suprem as respectivas escolas com material. Quem o senhor acha que está mantendo-as, senão o Diretor. O SENHOR na sua sala é que não está. Alias o senhor está em sala?

      • Julio Cesar disse:

        Sr Elias, acho que vc vive em outro planeta. Como vc bem disse cada um tem o seu lugar. E de uma coisa tenho certeza, lugar de direcao é para professor e não cozinheiro. É um desrespeito e só cego não vê ou nao quer ver que a cada momento vem um decreto ou uma norma para tirar alguma coisa do professor.
        O sr. já viu um soldado da PMDF assumir o camando de uma quartel?
        O sr. já viu um agente de policia assumir uma delagacia?
        O sr. já viu um tec. de enfermagem assumir o controle de um hospital?
        Acho que não!!!! Isso nao acontece!!
        Então porque o cozinheiro ou o porteiro pode assumir a direcao?
        Vc entende o que é cargo FIM de uma carreira? Vá se informar então!
        Na gestao democratica (eleicao) nao se aplica o livre provimento dos cargos e sim a maioria dos votos. Nao basta somente me propor a assumir, como o sr. disse. É necessario eleicao. Portanto nao me venha com essa demogogia barata. Se valorize, rapaz. Vc é professor!! Pelo menos eu acho né!!!!
        Só para sua informacao, Estou em sala de aula somente a 18 anos, ok!!!
        Por acaso, vc é da carreira de assitência?

        • Totó disse:

          Em Brasília tem um soldado que tá pondo medo em muita gente grande, rs rs rs….

          Já caiu até ministro…

          • professora indignada disse:

            É verdade,Totó!
            E deve cair mais gente,viu!
            Ao menos,é o que nós esperamos…que haja justiça!!!

        • eLIAS disse:

          Eu sou tecnico administrativo o senhor quer concorrer comigo? Ta com medo de perder a elEição para a careira assistencia° Vai estudar senhor Julio… vai se qualificar… ou vira oficial da PM… Ah!para o seu conhecimento o presidente da Camara legislatica convenceu o Agnelo a decretar que soldado passe para o quadro de oficial… sem concurso… então vamos ter soldado podendo assumir o comando sim… Mudanças Já.. para tirar pessoas PRECONCEITUOSAS das chefias… viva A CARREIRA ASSISTENCIA¹

          • Bety disse:

            O bom de tudo isso é que vou fazer concurso para merendeira,com menos exigência do que o concurso para professor e viro chefe de todos,sendo apenas boa na cozinha.Isso é Brasil.rsrsrsrsrsrsr

            • tyta disse:

              Oi Bety, vc voltou à ativa!!!!! como sempre preconceituosa!! Talvez realmente vc tivesse que fazer um concurso pra “cozinheira” e trabalhar nesta função para sentir na pele o que esta carreira passa e aí assim quem sabe se tornar mais humana!!!
              Volto a dizer, tenho pena de vc!!!!!!!

          • René Adjuto disse:

            Caríssimo elias, já deu para notar que nesse processo os nossos colegas que se dizem “professores gabaritados para tal” estáo totalmente perdidos sem saber o que falam, pensam… até em um simples debate como este tiram a “categoria” do trilho e aí aparece a real “Gestão Democrática” que até agora não conseguiram tirar do papel. “Que país é esse?” Sou técnico administrativo e ex-chefe do NPC da Regional de Taguatinga onde a maioria dos diretores pediram para que eu continuasse com o trabalho que realizei durante 04 anos e simplesmente os “cumpanheiros” sindicalistas (SAE e SINPRO) pediram minha cabeça, será que estavam com medo de alguma coisa????? Provei por a + b que nós administrativos somos competentes e pronto.

            • professora indignada disse:

              Caro René!
              Mas por acaso…algum professor aqui neste blog,disse o contrário?
              Entenda uma coisa,por favor!!!Não estamos menosprezando os servidores auxiliares da educação,não!
              O que queremos que entendam,é que existem prerrogativas para assumir um cargo como o de gestor.É simples,não entende?

        • Rose disse:

          Ótima comparação!! Qualificação é importante sim!! Só lembrando que a citada carreira não possui 03 anos de regência.

          • carlos disse:

            o próprio nome da carreira já diz tudo ASSISTENCIA…será que chegaremos o dia em que enfermeiros estarão operando nos hospitais?

            • Elias disse:

              Sou da carreira assistencia, sim… e tenho orgulho disto… eu trabalho para uma educação melhor…ainda bem que este pais vive uma democracia… em que os assistentes podem ser chefes dos “seres supremos”, como o senhor…. ainda bem que pessoas como o senhor são poucos. Um exemplo é o criador deste blog prof. Washington, que mantem um espaço aberto para todos… Pois se dependesse do senhor Carlos e outros colegas dele… so poderiam opinar os iguais a ele. Senhor Carlos proponha ao relator da lei da gestao democratica para acrescentar um artigo assim: “O voto da carreira magistério terá valor em dobro na contagem geral, assim garantindo que os demais concorrentes não sejam eleitos. paragrafo unico: se por acaso houver empate entre candidatos de carreiras diferentes, terá preferencia a do magisterio”

            • Andre disse:

              Iria falar o mesmo. Já que o LULA foi presidente sem nível superior, então por que não botar enfermeiras talentosas para ocupar os cargos de médico vagos no DF (com todo o respeito merecido pela extremamente importante e necessária categoria de Enfermagem)? Mas não, isso não aconteceria pois o CRM é forte. E mestre de obras construindo pontes, edifícios sem supervisão de um Engenheiro civil? também não, existe o CREA. Mas na educação todo mundo mete a mão. Do mesmo jeito que muito pai quer ensinar ao professor como dar aula por que um dia já foi professor. De fato, todos que já ensinaram o filho a fazer uma tarefa de casa se julgam competentes para serem professores. E por que? Porque não existe regulamentação alguma que fortaleça a categoria. E fazer qualquer porcalhada nessa função (professor) não traz consequência imediatas (morte, desabamentos…). Os tolos que se julgam aptos para assumir as funções de professor sem formação alguma pra isso sequer são capazes de enxergar os prejuízos que causariam, porque é uma questão de visão a longo prazo.

            • Humberto Dias disse:

              Professor não é medico!!!

              • Sandra disse:

                Humberto,
                foi apenas uma “metáfora”,colega!
                Só para exemplificar algo que vcs não querem compreender!

            • andre soares disse:

              ai ai carlos, tomara que tu o césar e o julio césar não deem aula na mesmo escola por que senão os alunos estão lascados!!!!kkkkkkkkkkkkkkkk, abaixo a ditadura!!! sem surtos!!!

          • Júlia disse:

            Rose, o pior de tudo é que você tem razão, esse debate é desnecessário, muitos não leram que pra existir uma chapa com carreira assistência é necessário que um integrante seja da carreira magistério com no mínimo 3 anos de regência. Portanto, esse desgaste de acusações é desnecessário, pois sabemos que o texto da lei impõe a presença de um integrante da carreira magistério na chapa formada. Da forma em que as pessoas se colocam nesse espaço acredito ser impossível essa junção.

        • Heliane disse:

          Ótima, Julio César!

        • Humberto Dias disse:

          Professor agora é coronel?? vamos ver:
          diretor- general
          vice- diretor- coronel
          supervisor pedagógica-tenente coronel
          supervisor administrativo-capitão
          orientador -1º tenente
          pedagogo- 2º tenente
          coordenador- sargento
          professor- soldado( É.. professor não é coronel!então eu que sou merendeiro devo ser recruta)

          • andre soares disse:

            Muito bom Humberto!!!!ótima comparação!!!!!!! mas soldado e recruta são tudo a mesma b………., tamo nessa humberto!!!!

      • Sol disse:

        Bom dia!

        Na DRE em que trabalho (Planaltina), a dificuldade em se encontrar um chefe de secretaria e um supervisor administrativo se tornou notória depois que professores não puderam mais assumir estas funções. Escolas que chegaram a ficar sem estes profissionais por falta de pessoal qualificado. E agora, esses mesmos poderão se candidatar a diretores.
        Chamo isso, de no mínimo, incoerência.

        • carlos eduardo disse:

          E porque não divulgam esses cargos na regional??? Quaificados muitos da carreira assistencia são só não são valorizados porq muitas vezes os diretores não percebem que tem um merendeiro que também pode ter nível superior( Licenciatura) e secretários com pós-graduação!! acho que isso é muito relativo.

        • Julio Cesar disse:

          Com certeza!!

        • Humberto Dias disse:

          Minha querida estamos falando de preconceito, muitos Diretores não querem ninguém da carreira assistência para estes cargos faça uma divulgação pra vê se não aparece, o corporativismo de vcs está ficando perigoso.

        • RD disse:

          Será que falta mesmo profissional qualificado na CAE, ou a sua regional não quer de fato encontrar???

        • Sheyla disse:

          Sol,meus parabéns pelo comentário.
          Enfim,uma voz lúcida em meio a multidão!!!

      • Curiosa disse:

        E aí, amigo?
        Vai se candidatar?

    • Suzzane disse:

      Caro Julio Cesar

      Professor não é nem chefe imediato nem superior hieráquico dentro da estrutura da Secretaria de Educação!!!!!!!! Como uma pessoa que se acha superior não conheçe nem a estrutura da própria Secretaria??? O lugar de direito do professor meu caro colega é em sala de aula, mas não quer dizer que tanto ele como os técnicos não possam exercer outras funções. A questão é de querer exercer e ter competência e conhecimento para exercer essas funções. Vc se arriscaria????

    • Berenice Rios disse:

      Gostaria de ouvir um membro do nosso sindicato sobre o assunto. Consideram essa situação pedagogicamente adaquada?

    • ProfGamAbismado disse:

      Essa de atividade meio e fim, na educação, não devia existir. Professores não dão aulas sem o apoio dos demais trabalhadores da escola. Sou professor e já fui diretor. Não vejo nenhum problema em qualquer profissional assumir a direção de uma escola, desde que tenha a qualificação necessário e exigida na lei(curso superior, tanto para professor como para o pessoal das outras carreiras). Uma coisa boa na lei é que um dos dois tem que ser professor o que a meu ver resolve o problema do planejamento pedagógico. Comparar uma escola com quartel não é muito salutar. Numa escola as relações de poder devem ser exercidas na horizontal e não na vertical. Diretor não é general e porteiro não é soldado. Todos são educadores. Aceitamos como normal os professores de GT poderem escolher turmas para as quais fizemos concurso e defendemos a idéia de uma carreira única. Acho perfeitamente que após a edição dessa lei, que tanto o SAE como o SINPRO se unam numa grande carreira chamada educação. Teremos dentro das escolas, uma grande família, trabalhando em prol dos alunos.

  10. Gladys Maris disse:

    Concordo e discordo da colega Sandra… Se o futuro gestor tiver competência e ESTUDO (SIM!), não vejo problema com o cargo que ocupava antes! Quem disse que só professores têm essa capacidade??? Ou que os ocupantes de outros cargos não têm estudo ou capacidade??? Coisa de louco!!!

    • Suzzane disse:

      Gladys

      Concordo plenamente com você. Se fosse por concurso público nem professor nem técnico exerceria o cargo de gestor

  11. Professorsalutar disse:

    Bom vou falar por mim, digo , pelas Escolas Classes. Totalmente inviável qualquer gestor que n ão tenha o mínimo ( o mínimo hemmm) Pedagogia. Já passei por EC com Diretores com formação em áreas específicas que até davam conta do recado mas quando a comunicação partia para termos mais tecnicamente aprofuundados aí o bicho pegava, ficava órfão, tinha que chamar o CRA. Concordo com a Sandra e isso não é preconceito. Putzz comparar com o Lula, francamente.

  12. Efn disse:

    Sandra até que em fim alguem falou o que todos os colegas consultados por fim falaram. Parabéns e a comparação com o ex-presidente Lula só me leva acreditar falta de seriedade da pessoa que fez tal comparação. Eu pelo menos acho o fim uma pessoa que não seja professor dirija uma escola. Mas viva o Sinpro com sua visão de democraccia. Alguem foi consultado nas escolas se concorda com tal artigo? Conchavo político puro.

    • Conselheiro disse:

      Não é falta de seriedade, acho que que o questionamento em comparar os profissionais sem conhecê-los ou se colocar acima de todos por que é professor, é que nos enfraquece como categoria. Quem limpa o banheiro? o pátio? as salas? então não possui o direito legítimo de concorrer ao cargo de direção? Se ele tiver apoio, voto ou compor com o grupo, poderá sim ser bom gestor. Caso contrário, a SEEDF deveria criar o cargo e concurso público para gestor, Assim somente aqueles que preencham os pré-requisitos, poderiam assumir uma direção, De repente acabaríamos com uma discussão sem fim.

  13. ane disse:

    Sandra, gostaria de acrescentar que um auxiliar de portaria e outros auxiliares podem concorrer ao cargo de diretor de escola. Entretanto, pelo projeto de gestão democrática, um professor ou professora, que tenha uma vasta experiência em gestão escolar e não tenha 03 anos de regência, não podem concorrer ao cargo, ou seja, qualquer um pode concorrer, menos quem tem experiência. Este projeto é de gestão democrática ou gestão ante-democrática? Se esta onda pegar, teremos num futuro próximo, auxiliares de enfermagem gerindo o hospital de base e o HRT, o auxiliar de limpeza terceirizado assumindo delegacias, o estagiário de direito assumindo a direção da OAB-DF, ou então, proferindo sentenças de juízes do TJDFT… Estamos presenciando uma inversão de valores, incoerente, absurdo. A educação do DF não merece isso!

    • Elias disse:

      A educação do DF não merece ter em seus quadros uma pessoa como voce. PRECONCEITUOS. É isto que vc ensina para os seus alunos….Por que voce não estuda, se qualifica e concorra com a ´porteira da sua escola… vc vai perder? Provavelmente… pois pela sua colocação para voce as pessoas são o que tem. So que voce esqueceu de estudar, enquento a porteira da sua escola estava indo para a faculdade, à noite. Parabens, voce perdeu a eleição… vai ser chefiada pela porteira… Lembre-se, os cargos sao comissionados, não se igula ao de juiz. O hospital tambem é comandado por cargos comissionados, o que tem um auxiliar de enfermagem assumir a direção…. um conselho, estude sobre o que é cargo comissionado… pode ser qualquer um depende da sua amizade com o Agnelo e seus assessores…nem precisa de lei… na educação é um avanço ter uma lei para isto…

      • Sol disse:

        Qual sua função na SE?

      • ane disse:

        Elias, você está enganado. Tenho qualificação para ser professor regente e também direção em qualquer escola do DF. Tenho consciência do meu papel na sociedade. Agora não sou alienada como você… que acha que um auxiliar poderá gerir uma escola e promover uma educãção de qualidade. Não podemos promover a “tiririquização” na educação do DF. Pelo seu comentário entendo que concluiu o seu curso superior a distância e comprou a monografia. A SE não precisa de profissional como você.

        • Elias disse:

          Nossa, voce entende de compra de monografia. Que bom para voce… pelo menos nao passou horas fazendo a sua… é desgastante… eu concordo com voce.. comprar é mais facil… e ir tambem a faculdade todos os dias… é estressante tambem… Quando um “tiririca” estiver chefiando a sua escola, vá pra a minha… voce vai conhecer um apoio tecnico efeiciente e comprometido com a educação e que lhe dará ordens para serem compridas em prol dos alunos. Mas pelo jeito que voce se coloca, eu imagino que voce nao deve ser daquelas que vive afastada de sala de aula….vai para escola e enrol os alunos, finge que dá aula e vive pelos corredores falndo ao celular, e quando tem feriado na quarta, emenda a semana… Parabens senhora ane

          • ane disse:

            Elias, de novo vc esta enganado. Tenho um curso de bacharelado e um licenciatura, presenciais e duas pós, e a escola onde trabalho é uma das melhores do DF. Conheço os problemas da educação e não fico delirando,.. sou apenas racional.e desenvolvo as minhas funções com responsabilidade e profissionalismo. Ah.. esqueci, este não tive nenhum atestado médico! acredito que quando escreveu estas asneiras, estava olhando para o espelho para inspirar-se.

          • Curiosa disse:

            Para tudo que eu quero descer!!!!
            Oh, Elias, você sabe exatamente como anda o desenvolvimento da “sua” escola, que está entre os piores do setor. E um dos motivos é a gestão que está parada faz um tempinho por causa de picuinhas pessoais. Um lugar onde o professor deve arcar financeiramente com cópia de atividade para os alunos se quiser desenvolvê-la e não tem nada além do quadro de giz na frente para ensinar.
            Amiga Ane, não vá não para esta escola!!! Se um “Tiririca” estiver chefiando a sua escola, continue lá firme e forte, pois é melhor do que ter certos diplomados no comando.

      • Andre disse:

        O Sr Elias descreveu exatamente o sentido de um cargo comissionado: designar pessoas, independente de ser competente ou não, para cumprir (ou não) as tarefas do cargo. Só que não mencionou que as funções que são protegidas por lei são aquelas de categorias fortes e que expressam atividades importantes para toda a sociedade e na qual incompetência traz enormes prejuízos. Admitir essa lei na educação é o mesmo que assinar um atestado de falta de importância para a mesma, onde qualquer um que tenha uma boa amizade pode ditar como será formada a mentalidade futura do país. Bom, se eu fosse governador adoraria ter controle total sobre todas as escolas, seus projetos, corpo discente e docente, etc. Não sairia do poder nunca.

  14. Guidi disse:

    Colega Sandra,

    Os trabalhadores da educação para participar do processo terão que obrigatoriamente compor chapa com professores.

    Agora, aproveito o momento para destacar que a nossa relação enquanto professor com os profissionais da educação anda bastante elitizada.

    Na Escola Técnica de Ceilândia ainda é trabalhadoso envolver os colegas no processo de decisão coletivo, inclusive os da Secretaria. Até festa de confraternização encontramos dificuldade para construir o envolvimento.

    O desafio da Gestão Democrática é conseguir construir trabalho coletivo na Unidade Pedagógica.

    Abraços,

    Guidi Nunes
    Professor da SEDF

    • Sol disse:

      Guidi, os professores não são “trabalhadores da educação”?

      • Guidi disse:

        Sol,

        A elitização começa pela linguagem. Não chamos os colegas de auxiliares más de profissionais da educação, entendendo que todos nós somos trabalhadores da educação.

        Abraços,

        Guidi

    • Valdenira disse:

      Colega Guidi, a construção da coletividade como um todo dentro de uma instituição, depende da gestão da mesma.Quando existe respeito, não há lugar para elitização.
      Trabalhei em uma escola onde não havia nenhuma elitização.A festa de confraternização final aconteceu na casa de uma das porteiras da escola, a qual havia chegado ha pouco menos de cinco meses.Tudo depende de comunicação.

      • Guidi disse:

        Valdenira,

        Este trabalho estamos fazendo na Escola Técnica de Ceilândia desde 2007. E não é simples.

        Tenho 13 anos de SEDF, já trabalhei em escola na qual os professores sequer davam um bom dia, boa tarde ou boa noite para os profissionais da portaria.

        Abraços,

        Guidi

        • Valdenira disse:

          Guidi,
          Parabéns pelo excelente trabalho que realizas na Escola Técnica de Ceilândia.Tenho certeza de que é um trabalho árduo, mas que ao final vale a pena.
          Trabalho em uma escola, que a própria diretora não cumprimenta a maioria dos professores(as).Mesmo quando a cumprimentamos não somos correspondidos(as).Isso é horrível!E muitas vezes a mesma nos deixa falando sozinhas.

  15. RG disse:

    Essa senhora que não disse se é professora ou não, acho que não; teve uma grande oportunidade de ficar calada e não falar asneiras como sua suja boca regorgita. A infeliz, sequer se deu conta que consta no Projeto, os pré requisitos necessários que talvez essa sem graça, pra não dizer desgraçada, que é a mesma coisa, nem os tenha…Temos na Carreira Assistência professores, pós graduados, especialistas e doutores com experiencia em sala de aula!!! A senhora se focou na função. Quanto preconceito… Talvez a pessoa que faz a merenda, estudou mais que a senhora, e não muda de emprego exatamente pq ganha mais que essa miséria que vc ganha. Talvez ela seja mais gentil e cortêz com a senhora que vc imagina. Talvez o contracheque dela mais bem vindo do que o seu. Já vi tantas professoras pedindo dinheiro emprestado a servidoras e não pagando… Olha, o que manda é o caráter e a disponibilidade em fazer o bem. Se meu porteiro, estiver em condições para conconrer , tem os anos em sala de aula, ás vezes como contrato, que rala mais ainda… Qual o motivo pra ele não ir?
    Na escol que trabalho, Nova Colina, tem um exemplo de uma ex diretora, Pós graduada que só deu cabeçadas no mínimo…. Então, não julgue pelo emprego que a pessoa ocupe hoje. Ela pode ter mais sabedoria e diploma que vc e outra, muitas vezes não saiu da função pq ser professor e ganhar menos, não vale a pena. Sua frase foi extremamente infeliz, coisa que não imaginava ler nem ouvir e acho até criminoso isso. Infeliz, pra ser bem educado, vá olhar as bases e diretrizes do projeto para depois opinar…

    • Sol disse:

      RG, vc poderia me citar um auxiliar de educação nas condições que vc mencionou “professores, pós graduados, especialistas e doutores com experiencia em sala de aula”? Pelo menos um doutor com experiência em sala de aula. É que fiquei curiosa.

      • Mírian disse:

        Eu posso responder sua pergunta: sou merendeira, mas tenho graduação em português e inglês, especialização em língua portuguesa e literatura brasileira. Passei no último concurso para professor e fui desconvocada, infelizmente. Já dei aula durante anos em cursos preparatórios para concursos em escola particular. Sou merendeira…e não pretendo participar de cargos comissionados, porém admiro aqueles que enfrentam pessoas preconceituosas como vocês.

        • carlos disse:

          uma pergunta numa boa, vc fez todos estes cursos e se projetou assim pq sofreu preconceito? Pq se sim abençoado preconceito que não te deixou ficar parada

          • Elias disse:

            Carlos quando nao tiver nada para escrever…. fica na sua… preconceito, seu. provavelmente voce deve ser daqueles que nao faz jus ao que recebe… finge que dá aula e seus alunos pensam que estao aprendendo… ela pelo menos tem que fazer o lanche, senao seus alunos ociosos nao comem. Ela passou no concurso DE PROFESSOR, quando ela assumir o seu preconceito sumirara tambem. Voce vai chama-la de COMPANHEIRA?

            • Bárbara disse:

              Não entendi… Por que ela trocaria de função para ganhar uma miséria, como o sr. mesmo disse, Elias??? Estranho…

          • tyta disse:

            abençoado preconceito, essa foi demais!!! por que vc não fica quieto?

        • Victor disse:

          Eu tb tenho basicamente a mesma qualificação que você…e pra desespero de muitos eu vou concorrer, como diretor! Não fujo à responsabilidade de contribuir para mudar a educação no DF! E a Propósito, já gerencie projetos em nível nacional e até internacional… Atualmente, sou secretário escolar no DF

        • Sol disse:

          Mírian, não sou preconceituosa, não. Meu pai já foi auxiliar de limpeza no serviçopúblico e assim como vc, batalhou e estudou. Ele é formado em Contabilidade, apesar de não exercer a profissão.
          Gostaria de lhe parabenizar pelo seu excelente currículo.
          Desejo que vc faça dele o melhor proveito possível, passe em um concurso melhor, enfim, faça valer (mais) a pena os anos de estudo.
          Abraços.

    • Gladys Maris disse:

      Também posso responder, pois tenho uma colega merendeira que se formou em Pedagogis e partia para a especialização. Eu entrei com o magistério e me formei um ano após ela (na faculdade). Acredito que ela ainda não conseguiu ser chamada e continua no nobre cargo de merendeira.

    • Humberto Dias disse:

      RG! Amigo eu tenho orgulho de ter amigos assim saudades de vc, esse povo quer manchar a imagem dos professores, não vamos deixar! sou merendeiro e tenho um amigo professor, RICARDO GAMA parabéns pela resposta vamos aos tramites companheiro kkkk!!!

    • Sandra Silva disse:

      Ana prof de samambaia

      Como vc ofende a pessoa dessa forma afinal não se pode ser verdadeiro hj em dia vc é um….( pra colocar as coisas ao seu nivel).
      Concordo plenamente com a posição da professora Sandra, parabéns companheira e a todos que tem coragem de assumir sua posição.

      • ana cristina disse:

        Ana prof de samambaia

        Como vc ofende a pessoa dessa forma afinal não se pode ser verdadeiro hj em dia vc é um….( pra colocar as coisas ao seu nivel).
        Concordo plenamente com a posição da professora Sandra, parabéns companheira e a todos que tem coragem de assumir sua posição.

  16. Mari disse:

    O problema não é quem vai ser nosso chefe, o problema que vejo é que estão massacrando os professores, enrolaram meses para enviar o projeto, e têm a cara de pau de apresentar um projeto cheio de vícios, que não contempla todos os professores, não era pra ser democrático?? Gostaria que alguém me mostrasse em que parágrafo/artigo está a democracia? Vamos ser ser realistas, pegaram ,”com preguiça”, o projeto da gestão compartilhada, retiraram o artigo que fala sobre a prova, e deram uma embromada no restante, e têm a cara de pau de apresentar o projeto como democrático! Isso não passa de incompetência, falta de rumo, e descaso com a educação! Não entendo o sindicando dos professores, como podem deixar passar que se exija várias qualificações do professor e do profissionais da CAE não tenha a mesma exigência, então teremos dois diretores : administrativo e pedagógico?? Meu Deus, e sabem o que é mais grave, é que a SEEDF faz isso com os professores e tudo que conseguimos fazer como resposta é ficarmos nos acusando mutuamente, que um é preconceituoso, que os profissionais da CAE são ou não competentes, que o professor sem curso de pedagogia não tem capacidade de dirigir Escola Classe? Acordem professores, esquecem que já tivemos, e não sei se isso já mudou não, colegas efetivos que fizeram faculdade de veterinária ministrando aula de ciências naturais/biologia, contadores ministrando aula de física e matemática, e por aí vai… Há tempos não nos respeitam e esse projeto só concretiza isso!!! Um abraço a todos!!

    • robson disse:

      Finalmente uma verdade foi dita!
      A nova gestão (anti)democrática é só um remendo do que estava por aí…
      não é a mudança na lei e sim na mentalidade do povo da SEDF. Não interessa se o camarada se formou na Uniesquina ou na UnB. Os picaretas conseguem se formar na UnB também ( e muitos até conseguem um doutorado…) e uma boquinha por aí…
      O que interessa é se o camarada vai dar conta do recado. Aí vai ter de mostrar a que veio.
      Um outro problema é o tal curso de formação da SE.
      Como será esse curso? Pq os que aconteceram até hoje não serviram pra nada…quem aprende a gerenciar uma escola em 10h?

  17. Apenas professor. disse:

    Concordo com a Sandra, com o Toto, Ane e Efn.
    Eu também gostaria de ser Juiz ou médica, mas meu curso não dá este direito, eu acho que as pessoas estão sendo preconceituosas comigo.
    Tudo que foi dito nas reuniões sobre a gestão “democrática”, não passou de desabafo de todos diante da indignação dos fatos. Um professor com formação e experiência em gestão não pode ser diretor, mas qualquer “UM” que tenha feito pedagogia ou qualque outro curso por correspondência poderá.
    Mas como disse o colega “Viva o SINPRO”, viva também o PT.
    Já que não somos ouvidos, e nossa opinião é anti democrática, daremos a resposta nas próximas eleições para diretoria do SINPRO, e vamos repensar nas eleições de 2014. Pena que está demorando muito chegar este dia!

    • Efn disse:

      Façamos a seguinte análise para ver se clarea o penssamento de alguns onde tudo é pré…
      Eu não emitir um laudo de uma edificação, pois não sou engenheiro e nem arquiteto, não posso medicar, pois não sou médico, não posso defernder ninguem diante da justiça, pois não sou advogado, não posso dirigir ônibus, pois não tenha carteira de habilitação para tal, muito embora tenha a CNH para carros de passeios, não posso ter acesso as dependências da cantina, pois não tenho a devida habilitação, não posso multar o cidadão que cometeu uma infração de trânsito, pois não sou PM nem agente do Detra, não posso emitir um laudo técnico das contas de um empresa, pois não sou contador, agora não sou professor, mas posso ser diretor de uma escola pública. Isso é real sou será que estou inventando algo.

      • tyta disse:

        É meu caro, “PROFESSOR”, por isso que estão na $%&* que estão, ainda não aprenderam a lição e o pior é que inculcam estas idéias na cabeça dos alunos, aí eles vão até a cantina e maltratam a merendeira, chegam na escola e nem cumprimentam o porteiro, por que será né!? Será por que seus professores contribuem muito para isto, acho que sim! melhor, tenho certeza que sim!
        Conforme seu comentário e de muitos outros aqui, o medo é ser “chefiado”, “mandado” por um porteiro, merendeiro ou qualquer outro ralé né! Mas me pergunto uma coisa, alguém manda em alguém, faça seu trabalho corretamente e não será “mandado” , aí vc não correrá o risco nem de ter que falar com estas pessoas incompetentes. Mas para seu sossego, pelo menos eu, que não sou, estou efetivada como merendeira, tenho graduação em Pedagogia, nunca vou querer concorrer para direção de escola, sabe por quê? Não ter que lidar com pessoas como vc!!!! Agora capacidade eu teria, a única coisa que não teria seria o tempo de sala de aula, o que vcs tanto julgam, mas tem diretor (da carreira magistério) que também não tem…
        Ah, só pra fechar o raciocínio, dentro da escola todos somos educadores e com certeza a merendeira não fala para os alunos que os professores são isso ou aquilo, elas são educadas e primam pela educação, já os professores, os “MESTRES”, estes se acham superiores… e sabe-se lá o que não falam!!!! Enfim nunca vc poderia ser um médico, um engenheiro, um advogado, porque realmente não tem competência para isto, mas qualquer “um”, que seja educador, que tenha muito tempo de experiencia dentro de uma intituição escolar e que tenha a qualificação exigida para tal, pode sim se candidatar a “DIRETOR”, ai que honra!! A minha vez eu passo… fica tranquilo, menos uma…
        Você me dá nojo!!!!!!!!!!

        • Efn disse:

          Olh senhor(a), sem apelação, sua argumentação deve ter sido baseada em frustraçõe suas. Primeiro não falei que merendeira ou qualquer funcionário da escola tenha que ser desrespeitado ´por quem quer que seja, mas seja coerente com sua função, pq será será que não posso ser secretário escolar ou merendeira mesmo sendo eu graduado e tendo especialização? Simples, não tenho formação para tais funções. Agora não sei onde vc mais alguns acham tantos frágeis argumentos para o debete. E digo mais, vc e os demais que pensam dessa maneira façam uma análise fria da situação e verifique que esse cada um nas sua função. Pois bém, aceito seu argumento se vc topar entrar numa sala de 35 alunos e ficar uma semana no papel de prof. Veja só, debate se ganha com argumentos e não com insultos, assim como diz vc, que processores usam procedimento dessa ou daquela naturaza, há servidores que também agem assim, com é uma minoria tanto de um lado como do outro acho pura inutilidade seus “argumento” . Acho até que vc deve ser essas sindicalistas bobinhas manabradas pelos diretores do SAE, preocupadíssimos com a educação.

          • tyta disse:

            Pois é isto mesmo que estou fazendo, sendo coerente com as oportunidades que minha carreira oferece no momento, se a sua carreira não te oportuniza ser merendeiro, creio que vc adoraria né, que comparação fraca, não posso fazer nada. Realmente o que vc falou é a mais pura verdade, é uma frustação minha sim, a cada dia sinto-me mais frustada com o ambiente escolar, onde educadores consideram que pau que nasce torto morre torto, que merendeiro morre merendeiro e que menino pobre vira bandido, todos estes pensamentos se resumem na mesma coisa, preconceito!!!! A vida ensina a aproveitar as oportunidades!!! agora vc tá com medo de perder a posição alcançada às custas da escravidão do outro, nossa se estas pessoas forem para direção, quem vai fazer cafezinho para os doutores professores?? me poupe com sua escamoteada fala…não sou nem mesmo filiada ao SAE se vc quer saber!!!!! So estou esperando ser convocada pelo nosso dignissimo governador, para ansiosamente encarar uma sala de aula e conseguir mudar um pouco a ideologia pregada por professores como vc na cabeça dos alunos. Pra finalizar, acho engraçado que vcs podem falar o que pensam e se mostrarem indignados com a situação, mas quando falamos as verdades, aí é ofensa e falta de argumentos.

        • Paula disse:

          Realmente! Tyta está muito frustrada mesmo, dizendo coisas que ninguém disse… onde tá escrito aqui que os funcionários da escola devem ser menosprezados de acordo com a função deles??? Não surta, mulher!

          Ninguém aqui está julgando a maior ou menor importância das pessoas, quem merece mais respeito! todos merecem a maior dignidade do mundo dentro e fora da escola: professores, merendeira, zeladora, porteiro, segurança, ALUNOS, pais de alunos, secretários, TODOS! Mas não percam o foco, minha gente! Estamos falando de direção de escola e para isso é preciso ter qualificação SIM.

          Eu sempre faço questão de tratar muito bem todos os funcionários e colegas da minha escola, e exijo dos meus alunos que se refiram aos mesmo com respeito. Não deixo aluno vir com aquela de “aquela muié lá não queria me deixar entrar” nem nada disso não. Reforço que todos tem nome e que é preciso aprender a tratar as pessoas bem para ser igualmente bem tratado.

          Agora o seu ódio com que se refere ao “professor” ali… mostra muito da sua auto estima também, viu? Você é de causar pena…

          • tyta disse:

            agora o discurso mudou, todos consideram os porteiros, merendeiros, vigilantes, como são bonzinhos né! até dizem para os alunos chamarem eles pelo nome, reflita que o ódio primeiro não foi meu, ou vc acha que tomo um tapa e ofereço a outra face. Não vire o jogo !!!

            • tyta disse:

              Só completando, esta discussão começou pelo comentário da Sandra, quem concorda com ela, como o EFN e vc Paula que acha que vai ser como no Titanic, onde a educação vai afundar devido a partipação dos “assistentes” , vão ser considerados farinha do mesmo saco!!! Tenho o dito.

              • robson disse:

                Com eles ou sem eles, a educação vai continuar afundando. Se o pessoal do CAE vem ajudar, que aceitemos a ajuda, o que não dá é pra ficar dando tiro no pé. Do mesmo modo que tem muito professor bom, tem muita gente na assistência que faz a diferença.
                O problema da frustração toda é outro. Qualquer um pode ser professor,é um concurso vira-lata, a seleção é fácil. Se querem melhorar o nível do povo, vamos começar por uma seleção séria e de alto nível.

          • andre soares disse:

            Ola Paula, tive mais uma vez que entrar nesse debate, quando voce diz que para ser diretor é preciso qualificação, me diga dignissima colega, que qualificação é essa??? quer dizer que só nós professores temos essa tal “qualificação” como assim, reforço o que a colega Tyta falou, chega de exclusão amiga, não surte voce tambem, que caiam as mascaras, estamos com medo de quem??? que incapaz voce é, e incluo o Efn nisso, de aceitar que os tempos mudaram, aquele tiazinha que ficava sentada na portaria comendo manga o dia todo já se aposentou, aquele “servente” como antigamente era chamado(a) o auxiliar de educação se não esta mais na escola é com certeza a minoria, agora temos pessoas capacitada sim, não queira desmentir isso pois deves com certeza ter que ti “relacionar” com esses seres de outro mundo que conhecem e querem que seus direitos sejam no mínimo, respeitados, professora faça uma autocritica(ou procura um psicologo se achar melhor) e seja honesta, por que essa IRA e esse inconformismo em aceitar que os tempos mudaram!! que horror os escravos sairam da senzala!!!! os “serventes” (olha que palavra preconceituosa) querem tomar o poder!!!! vamos dar o poder a eles, pois em 500 anos de elitização da educação nós professores, mestres, sábios e todos os maravilhosos adjetivos que nos são dados não conseguimos melhorar em nada o Brasil!!! será que não esta na hora de rever seus conceitos???? pare e pense que futuro vai deixar para quem fica??? chega de casa grande e senzala!!! o auixliar de educação é sim um profissional de educação e CAPACITADO a ajudar e colaborar para melhorar nosso ambiente escolar!!! Como diz naquela propaganda: “onde voce esconde seu preconceito???? e para finalizar eu duvido que voce e o Efn saibam o nome daqueles seres de outro planeta que servem seus cafezinhos na hora da coordenação!!! me poupem seus hipócritas, o que se esta discutindo aqui não é se tem ou não capacidade, se pode ou não assumir esse trono sagrado, o que se esta discutindo aqui é a quebra de um monopólio de 500 anos, pessoal a educação não é mais devida só ao professor, entendam isso e caiam na real!!! Beijos Paula e Efn e por favor não surtem!!!!!!!

      • Suzzane disse:

        Não é real!!!! Professor não é sinônimo de gestor. Não é cargo público específico!!! Gestor não pressupõe diploma!!! Acorda caro colega.

        • Lessa disse:

          Suzanne, concordo,não pressupõe só diploma,mas tenho lido muito nos periódicos sobre gestão educacional sobre a relação entre a qualificação gestor e o sucesso de uma escola. Vou citar aqui algumas responsabilidades do Diretor:

          – Responde legalmente, judicialmente e pedagogicamente pela escola
          – Assegura, acompanha e controla os materiais e os recursos financeiros da escola
          – Articula o relacionamento com a comunidade interna e externa escola
          – Colabora nas decisões da rede e concretiza as políticas públicas na escola
          – Lidera a elaboração e revisão do projeto político-pedagógico
          – Garante as condições para o cumprimento do projeto
          – Assegura e acompanha os momentos de planejamento e estudo da equipe
          – Cuida do desenvolvimento dos profissionais
          – Levanta, analisa e acompanha o desempenho dos alunos
          – Desenvolve projetos institucionais em parceria com o coordenadores e equipe
          – Articula a equipe para o planejamento e a realização das reuniões de pais
          – Elabora o cronograma e realiza reuniões regulares com os diferentes segmentos da escola
          – Orienta a organização do espaço e assegura a exposição das produções dos alunos
          – Garante o acesso ao acervo da escola.

          É bom vermos que além de qualificação, volto a enfatizar na necessidade de Perfil para tal. Essa é a nossa preocupação, não é? Não estamos aqui querendo dividir os profissionais da educação. Mas estamos falando de um momento sério que envolve todos os segmentos da escola.

        • Efn disse:

          Pior não concordo”””

        • robson disse:

          Boa!

      • Conselheiro disse:

        Você deve estar na profissão errada. Se for professor é sim cheio de preconceito e deveria seguir outra carreira. Se for referência aos alunos, deve mostrar com premissa básica a diversidade e o respeito ou inventei isso agora também…

      • Heliane disse:

        Muito bem Efn.É por isso que o professor perdeu o respeito e valor, nem ele mesmo se valoriza, qualquer pessoa pode desempenhar suas funções.

        • Humberto Dias disse:

          Caramba!!! Qualquer pessoa?? Diretor é função de professor ? Desde quando? qualquer pessoa??? Gente esse povo é thongo!! e mal informado.

      • AJBR disse:

        E você pode Administrar? Você possui CRA?

        Não venha com fálacias de falsa análogia que não convence!

  18. Elias disse:

    Vejam só que em pleno seculo 21, existam pessoas que pensam como a senhora Sandra… Eu sou tecnico administrativo , mestrando…. tenho curso de gestor… estava como supervisor administrativo da E.C. 50. E por incrivel que pareça senhora Sandra, se eu desejar, TENHO condições de assumir qualquer escola no DF. Apesar ,de contraria-la. E serei um dos melhores, pois gosto de trabalhar e me dedico ao maximo ao cargo e tenho estudo para isto. Quem saber serei seu chefe….

    • Efn disse:

      Quem te falou que tua qualificação garante um boa gestão? Esse è problema de vc, basearem tudo no achismo. Acorda!!!!

      • Suzzane disse:

        Você se contradiz em apenas duas linhas: Quem garante que qualificação em sala de aula garante uma boa gestão????? Eu ACHEI certo???

      • Valdenira disse:

        É verdade Efn.Qualquer pessoa qualificada pode assumir uma gestão.Ter competência, responsabilidade e comprometimento, são poucas.

        • Efn disse:

          E certamente vc não é uma delas

          • Valdenira disse:

            Efn, comentei a favor e não contra a sua opinião.
            Ao contrário de você, tenho absoluta certeza que és uma pessoa qualificada, competente, responsável e comprometida com uma educação de qualidade para todos.
            Aprendi com meu avô, não julgar sem conhecimento de causa.

      • Elias disse:

        Voce está certo ser qualificado não garante boa gestão… hoje temos só professores em Direção de escola e a qualidade está pessima… O senhor está certo… o que me diferencia é o meu comprometimento com a educação. Apesar de nao ser da carreira magistério… lamento contraria-lo….

        • Efn disse:

          Isso é o q vc diz, o conceito de comprometimento é muito relativo rapaz e é interessante como esse debate mexeu com o sentimento de vcs.

          • andre soares disse:

            Efn me rapaz, acho que esse debate mexeu foi os brios de alguns professores que se sentiam no topo da pirâmide e agora vão ter de dar um cantinho para aqueles que sempre foram vistos como “incapazes”, acorda Efn esse debate é sobre poder e não sobre capacidade meu rapaz!!!

          • Humberto Dias disse:

            Agora não temos estudo e nem sentimentos?Como reagiríamos? Vamos ficar calados porque alguns querem? Fala sério EFN VC me enoja!!!!

        • Gladys Maris disse:

          Elias,
          Cuidado com a generalização!
          Não é porque temos professores nas direções de escola que está ruim não viu? Até porque o problema não é só lá.
          Eu já me posicionei acima, mas repito que independente do cargo que ocupa atualmente é a qualificação e competência que deveriam contar para ser gestor.

      • Humberto Dias disse:

        Este post é sobre qualificação sim! os preconceituosos de plantão dizem que nós da carreira assistência não temos requisitos, alguns colegas exageraram deveria ter ido mais devagar, poderiam tem colocado apenas uma graduação, mestrado assusta!

    • Apenas professor. disse:

      É verdade Sr Elias, poderá assumir qualquer escola pública do DF “DESDE QUE TENHA NA SUA CHAPA UM PROFESSOR”, será por quê?
      Se bem observar até a própria proposta de gestão democrática não acredita em seu texto. Mas como a intenção é retirar diretores que está há muito tempo na direção, e com certeza ganhariam a eleição, colocaram estes critérios para tentar de forma LEGAL colocar retirá-los. É tudo uma questão política, e não por acreditar que a carreira assistência tem ou não competência .

      • tyta disse:

        Realmente, concordo com vc, a chapa exige um professor, é ou não é para ser democrática!!!
        Concordo também que isso tudo é pura demagogia, aliviar a culpa de anos de exclusão, de preconceito… Sabe o que seria bom mesmo, é uma pessoa que já foi da carreira assitência à educação, um “pobre merendeiro ou porteiro”, se efetivar como professor e se tornar diretor e fazer esses professores preconceituosos lamber o chão!!!! Quem sabe isso não acontece né!!!!!!!!

        • andre soares disse:

          É isso aí!!! e eu como professor quero estar lá ao lado desse professor “merendeiro” pra dar risada dos antigos césares da escola!!!!

    • Julio Cesar disse:

      Tá explicado!! Já desconfiava. Nem professor vc é, sr. Elias!! Seu discurso não me engana. Passe num concurso para magisterio e depois venha falar alguma coisa ok!! Técnicio Administrativo é carreira MEIO, nao pode assumir direcao. E tenho dito!!!

      • Conselheiro disse:

        Tenha pena de você Julio Cesar. Se for professor é daqueles que não tem respeito pela diversidade e não dá um bom dia aos demais colegas da escola por se achar superior. Coitado de você. Vá ler a Gestão Democrática, quem sabe você vai encontrar o espaço descrito a quem poderá participar do processo de eleição. Vá ler Julio Cesar ou assistir novela das oitos que prega o preconceito.

        • Julio Cesar disse:

          Sr. conselheiro. Vc deve ser mais um frustado da carreira Assitencia né!!!!!!!!!!!! Não vou nem perder meu tempo discutindo.

      • andre soares disse:

        Meu pai do céu, é cada sandice que escuto aqui que nem acredito, Julio Cesar não acredito que voce é professor, como assim, deve ser odiado na sua escola!!ou deve viver de atestado por sindrome do pânico!!!! ” ……. técnico administrativo é carreira do MEIO (isso eu ja nao entendi) não pode assumir direção e tenho dito!!!!!” Viu como as máscaras caem, julio césar o ditador!!!kkkkkk, era só o que faltava, e os escravos que não aceitarem tal determinação terão suas cabeças cortadas!!! O que é isso professor???? que triste esse seu comentario, que mediocre, coitados dos seres que voce “tenta” ensinar algo, e pra inicio ou fim de conversa esse espaço é democratico!!! todos!!!! digo mais uma vez, todos tem o direito de se pronunciar senhor julio césar, qual o problema do colega não ser professor, o que isso diminui o seu comentario?? pelo contrario o que tem diminuido o nosso debate nesse blog são comentarios de professores que nem voce que tenho vergonha de ter como colegas!!! ficam escondidos atrás de nick names mas lá no dia a dia da escola nem sepronunciam!!!!! que caiam as máscaras!!! poder igual a todos!!!!! e julio não surta por favor!!!

      • Humberto Dias disse:

        Os Meios justificam os fins!!!!

  19. bruno disse:

    Eu acho que não depende do estudo mas sim dos critérrio que estão exigindo para ser diretor .Então para que 3 anode regencia de classe se o assistende não tem. me responde cade a democracia que tanto se exige

  20. luiz miguel disse:

    Estão esquecendo que ninguém fez concurso para diretor, e sim para professor. Da mesma forma, é justo dar oportunidade à alguém da Carreira Assistência de concorrer. Hoje temos inúmeros casos de gestores que têm se mostrados incompetentes, apesar de terem “estudado”.

    • Sol disse:

      Ótima, Luiz MIguel! Então op correto é fazer concurso público para diretor. Então acabará toda essa briga.

      • Denise Lopes disse:

        Entao para ficar mais justo deve-se tirar os 3 anos de regencia de sala de aula.Ja que a carreira assistencia pode se candidatar e nunca foram para sala de aula, essa exigencia para o professor e segregatoria.

  21. DAVYS LUIS PAXIUBA DUNCAN-Prof_PLANALTINA-DF disse:

    Na pré-história a liderança era feita pelo hominídeo mais forte, não era necessário ter ‘ conhecimento ‘ do ofício, pois, às necessidades do grupo não eram complexas e objetivas. Atualmente, com o desenvolvimento da sociedade para a complexidade não é necessário o domínio da força, termos a polícia para exercer o papel coercitivo. No entanto, o poder se dividiu em político e técnico. Para dominar o poder político não é necessário ter domínio da parte técnica, e sim habilidade de argumentação e ‘arquitetar grandes jogadas’. Por exemplo, o Banco Central, o presidente é da carreira de analista (área técnica da carreira) e tem status de ministro( cargo político), Então, por que entregar as rédeas da economia a um bom argumentador, se ele não entende nada de macroeconomia? Veja que o BC é um órgão técnico e totalmente oposto ao Ministro da Fazenda (cargo político). No mesmo raciocínio vem o de presidência da república, cargo constitucionalmente político, logo, pode ser ocupado por qualquer um que saiba ler e escrever. Parece hilário, porém, isso é democracia.
    No caso da escola pública, ela também é técnica, pois, a mesma vai gerenciar o ‘processo ensino-aprendizagem’ que é a atividade fim, e não gerir recursos financeiros e humanos ( atividade meio). Esta poderia ser delegada aos auxiliares e assistentes (vigias, secretários, porteiros, copeiros e merendeiros). Porém, a direção da escola tem que ser executada por alguém que tenha liderança, conheça in loco a realidade do ensino-aprendizagem, conviva diariamente com os alunos, tenha experiência em sala-de-aula, experimentou todas as politicas para educação, e lógico, tenha argumentação para gerenciar conflitos. Essas credenciais só o professor possui, não tem como refutar, pois, gerir uma escola não é só cuidar da parte financeira, do gás que acabou, de distribuir a merenda, cobrar o pedágio da cantina e xerox, meter falta, não é só isso. A finalidade mãe da escola é executar a politica educacional traçada pelo governo, cumprir metas de aprovação, acabar/tentar com evasão escolar, suprir os professores com material didático, unir o grupo democraticamente e ser relações públicas[ isso vai ser difícil, pois, tratam os servidores como cativo]. Então, diante destas citações de finalidade não temos como negar: a escola é técnica e não política.
    Então. Pode até ser democrático colocar os auxiliares, assistentes e especialistas para concorrerem ao cargo de diretor, mas do ponto de vista técnico será um fracasso, pois não é só gerir recursos humanos e materiais, mais sim, aliá-los as politicas públicas para educação. Isso só o professor tem essa capacidade, devido ao seu mister.

    • tyta disse:

      Por isso mesmo é que se tem uma chapa, alguém capaz para gerir a parte pedagógica e alguém para
      área administrativa, um grupo de trabalho, que poderá trabalhar muito bem coletivamente, executando funções administrativas, financeiras e pedagógicas. Por qual motivo um professor, cujo seu mister é gerir politicas públicas para educação, possui condições para desenvolver atividade administrativas, então algo está errado nesta história caro professor!!!! Ser democrático nesta situação é permitir que cada um contribua com o que melhor sabe fazer, só assim todos saem ganhando, e não apenas uma pessoa ou classe abrace todas as funções.

    • Gladys Maris disse:

      Já tive como diretora uma Secretária. E foi uma das melhores com quem já trabalhei! Desta forma não posso concordar com o colega!

      • DAVYS LUIS PAXIUBA DUNCAN-Prof_PLANALTINA-DF disse:

        Sim, em gestão, agora me diga se o IDEB atingiu patamares aceitáveis?

  22. Lima disse:

    Gente vamos amadurecer. Quem quiser ser canditado dentro das regras que seja, é a comunidade que decide, pois é a ausencia da comunidade que está matando a educação publica aqui no DF. Prefiro a sala de aula e não me importo com alguém da carreira de assistência como direção, pois esta função, direção, é um verdadeiro abacaxi, quem se dispuser que a descasque. Tá achando ruim ? concorra, vença e mostre serviço.

    • Apenas professor. disse:

      Desde que a democracia aconteça de fato. Pois nesta nova vesão de democracia, uns podem se candidatar e outros não.

    • Sol disse:

      Liana, concordo em parte com vc.
      Sem dúvida que a participação da comunidade é de fundamental importância para a educação. Penso que se os pais cumprissem com seus deveres básicos, como mandar seus filhos para a escola todos os dias (com materiais essenciais como lápis, borracha e caderno), acompanhar dever de casa, orientar para que respeitem seus colegas e professores, já seria um grande avanço. Mas o que mata a educação pública na minha opinião são outras coisas:
      1. Falta de verba para que as escolas realizem a contento seus projetos ( e quando tem não pode atender as reais necessidades da escola);
      2. Falta de professores;
      3. Falta de compromisso por parte de professores que recebem GAL e não alfabetizam;
      4. Política equivocada de que criança dos 1º e 2º anos não reprovam (o caos se reflete para o resto da vida escolar dos alunos; e os professores receberam GAL…);
      5. Falta de orientadores educacionais, psicólogos;
      6. Péssimo serviço público de saúde prestado à população (temos dificuldade enorme em conseguir laudos médicos atestando deficiências, transtornos e afins de nossos alunos);
      7. Uso da educação como palanque para políticos;
      8. Etc., etc, etc…
      Outra coisa me chamou a atenção em seu comentário. Se é a “ausencia da comunidade que está matando a educação publica aqui no DF”, não seria mais lógico que os pais, para quem prestamos o serviço público de educação também pudessem se candidatar ao cargo de diretores?
      Assim como em uma postagem anterior um colega afirmou que temos auxiliares graduados, pós-graduados, mestres e doutores, provavelmente temos pais nestas mesmas condições.

    • tyta disse:

      “palmas”!!!!!!!!!!

      • Lima disse:

        Como o post tá bombando e fervendo tenho uma sugestão: a volta da prova de conhecimentos. Professor ou professora você respeitaria mais alguém da carreira de assitência aprovado em uma prova de conhecimentos para ser diretor ou diretora ?

        • robson disse:

          Com certeza, a prova faz muita diferença. Tira muito picareta do páreo ( tanto professor quanto assistência…). E é a hora de mostrar ( um pouco…) qual é o nível.
          Aos que são contra a prova, deixo a sugestão também de abolirmos as provas dos nossos alunos já que prova não prova nada ( não é esse o jargão de alguns?)

          • Lima disse:

            Rapaz parece que o sistema da gestão compartilhada tinha a capacidade de superar o que estamos vendo aqui.

  23. João disse:

    A administração pública, incluindo a gestão de escola, não é empresa privada, onde o currículo é determinante para a escolha de quem vai ocupar o cargo. Um currículo melhor só qualifica uma pessoa mais que outra na teoria. Na prática não há uma relação direta entre estudo e maior competência adminstrativa, assim como também não existe uma relação direta entre maior qualificação e melhor emprego. Para quem acredita nos dogmas do capitalismo, pode até morrer enganado achando que se “estudar muito, vai se dar bem” ou se “trabalhar muito, vai ficar rico”.
    Dessa maneira, o simples fato de ter estudado mais não faz de ninguém melhor que os outros. A ideia de achar o contrário é preconceituosa. Muitas vezes, o porteiro pode saber muito mais da escola do que alguns professores e funcionários. Se a leitora estudou é porque lhe foram dadas as mínimas condições de tornar isso possível. O porteiro que se eleger pode não ter muita instrução, mas se conseguir se eleger em um ambiente onde é intelectualmente inferior, é porque certamente tem grandes habilidades políticas e poderá estudar no decorrer de sua gestão, se lhe derem a justa oportunidade.

    • tyta disse:

      É isso aí , ainda existem pessoas coerentes neste mundo…

    • Paula disse:

      Isso… enquanto ele vai estudando, a escola vai caindo mais ainda aos pedaços, ele vai se enrolando e sendo processado até 5 anos depois por alguma conta que o tribunal de contas rejeitou rsrsrsrsrs

    • Suzzane disse:

      Caro colega João,

      Enfim um argumento lógico e ponderado. Na parte pedagógica não existe substituto para nossos professores. Tenho orgulho da escola em que trabalho pois temos pessoas competentes tanto em sala de aula com fora dela, nas diversas áreas. Foi um argumento lógico e sem preconceito para todas as partes envolvidas. Parabéns!

    • robson disse:

      era isso que queria dizer..muito bem dito!

  24. Suzzane disse:

    Gestão Democrática = Democracia: Quer dizer que a escolaridade do outro não pressupõe capacidade de gestão de pessoas? Talvez a sua incapacidade de raciocínio te leve a não ter a competência necessária para se tornar uma gestora competente e ela te leva a discriminar irracionalmente pessoas que superam suas expectativas profissionais.
    O Lula foi o exemplo mais recente de nosso pais e do mundo e deixou pessoas como você com vergonha e incapazes de responder na mesma integridade.

  25. Cris disse:

    Para ser gestor é preciso ter qualificação, e qualificação significa estudos. Essa ideia de deixar que qualquer membro da escola seja candidato à direção é absurda, surreal.

    • tetê disse:

      Estou pasma com essa discussão!!! A cada dia que passa fico mais deprimida ao ver e ler tanta loucura! Me sinto diminuida quando fazem comparação com o Lula. O Lula é o Lula, é um carisma, é um gênio. Alguém aqui já viu um auxiliar de enfermagem fazer o papel de médico? Oras, qual é o problema na hierarquia? Se somos bom caráter não haverá preconceito nenhum, mas, por favor, eu sou professora de sala de aula e assim sempre serei. Gosto mais do que ficar na fofoca de quem está colado em direções. Sou professor em ação e me sinto bem sabendo que nem porteiro, nem merendeira têm condições de ser gestores. Fiz especialização, mestrado, li na minha vida toda e é com orgulho que sou professora de sala de aula. Não sou porteira, nem merendeira. Qual é o problema de eu executar o meu cargo? Nunca quis ser gestora pois sei que aquilo é um ninho de ratos. E ainda mais agora que aposentado pode concorrer, ´quem trabalhou só 3 anos em sala de aula também e toda essa palhaçada de gestão democrática que nunca sai, essa enrolação. Enquanto isso tem professores gramando diante das direções que aí estão, sendo humilhados por essa gente que esquentou a cadeira, essa gente palaciana, essa gente que quer fazer seu sucessor. Oras, meu desejo era que se exonerasse essa corja no final do ano. Quem tiver juízo fará isso. E, por favor, sou professora há mais de 20 anos e me deixem ter orgulho de minha função. Vamos lutar para que esse projeto saia da câmara de forma democrática mesmo. E, me digam, se estão com os deputados, o que podemos fazer para que isso se apresse? Cansei de ir em assembléias e ficar de massa de manobra.Ou vamos ter que ficar à mercê do Sinpro todo o tempo? Sei que ele nos representa, mas eu nem sabia dessa palhaçada de aposentado poder se candidatar. Que loucura!!!!!!!

  26. professora desconvocada atividades disse:

    Cada qual no seu galho! Eu gostaria muito enquanto professora, poder ser juíza, promotora, etc… mas não posso, pois me falta a qualificação! Quer ser gestor, estude, curse uma licenciatura que te embase, e preste concurso pra professor. Misturar as coisas é levar a educação a correr um sério risco…

    • tyta disse:

      ainda bem que vc foi desconvocada… Ninguém merece alguém com esse tipo de pensamento na educação!!!!!!!!!!!

      • professora desconvocada atividades disse:

        E vc por acaso é o que?? Efetiva, contrato, desconvocada, ouuuu nenhuma das alternativas! Cuidado ao tripudiar em cim da minha situação hoje de “desconvocada”, pq amanha vc ou alguém da sua família podem passar pelo mesmo. Ahhh, e te digo que faltam apenas dois na minha frente pra ser nomeada, sou graduada, pós graduada e mestranda. E sei bem do que estou falando quando digo que deve-se ter qualificação! E vc, sabe o que está dizendo???

        • Humberto Dias disse:

          Vale jogar praga nos outros???

          • professora desconvocada atividades disse:

            Não estou jogando praga, estou apenas me defendendo. Num post abaixo essa TYTA chama uma colega de SAFADA! Gente que mulher maluca é essa, não respeita ninguém. Sendo ela professora, ou sei lá o que, se chegar a direção um dia, meu Deus, pobre dos alunos e professores! Ah, quando a me defender, o WD, abriu o post pra pudessemos discutir, logo posso eu como vc e qualquer outro expor nossas opiniões, e se vc ler meus de mais posts, eu não ofendo ou condeno a opinião de ninguém. Mas tbm não sou uma barata morta pra ver uma pessoa desse nivel dizer isso e me ofender e fazer o mesmo com outros e me calar. WD, tem comentários que são desnecessários e alguns da TYTA são! Estão ofendendo pessoas, fazendo xingamentos, e gostaria de saber se isso condiz com a política do blog???

        • Paulinha disse:

          Amiga desconvocada, não se ofenda com a Tyta. Ela é amarga assim mesmo porque não é do magistério e quer ser diretora. Se considera vítima de preconceito por não ter ao menos passado no concurso de professor. Na verdaed isso é baixa auto estima raivosa dela. Fique tranquila, você passou e em breve será chamada. :)

  27. Francisco disse:

    Se a porteira, a merendeira, o vigia, o auxiliar de conservação e limpeza, o secretário escolar,o monitor, enfim, tiverem competência (supõe-se ter também capacidade), por que não podem ser diretor? A escola não é só constituída de professor, mas de profissionais em educação, de alunos, de pais e de governo. Isso inclui também os servidores da Assistência à Educação. Então para que serveria a Gestão Democrática? Para excluir? Os auxiliares de educação foram esquecidos e discriminados por sucessivos governos e até mesmo por segmentos de trabalhadores da própria SE. Agora que estamos tendo a oportunidade de sermos reconhecidos, não abriremos mão desse direito.

  28. Alexandre Paiva disse:

    Pessoal,
    estão esquecendo que estamos no fim do ano e sabe o que vai acontecer: o projeto de gestão democrática não vai ser votado a tempo e com isso, professores(as) que têm certo relacionamento com alguém da regional que atua, vai acabar sendo indicado até que o projeto seja aprovado CLDF.

  29. Paula Queiroz disse:

    Professor está tão desvalorizado que não pode ser o secretario da escola, não pode ser o supervisor administrativo e agora nem serve para ser diretor…. a categoria de professores cada vez joga mais pedras em si mesma.
    RG, vc apoiou sua ex diretora e agora cospe no prato que comeu…
    onde vc trabalha o serviço de limpeza/portaria é terceirizado, então só tem professores para direção e por isso que vc apoio os auxiliares concorrerem, não vai ser na sua escola….

    • Conselheiro disse:

      Se ser for na sua escola. O supervisor administrativo da minha é professor. Na sua não?

    • Humberto Dias disse:

      Negativo querida somos 8 da carreira assistência na Nova Colina, em cargos em comissão e apoio a Direção, outra coisa apoiar é uma coisa permanecer no erro é outra, olha o Agnelo eu votei nele me pergunta se voto de novo!

  30. roblim disse:

    A profissão de professor realmente está realmente em extinção. Qualquer um pode lecionar, em outras profissões isto não acontece. Agora quanto ao cargo de diretor de escola, um auxiliar de limpeza pode ser diretor de hospital ? um agnte de policia pode ser diretor da policia civil ? um soldado da policia militar pode comandante da policia militar ? Agora um auxiliar de limpeza pode ser diretor de escola.Não nada contra os auxiliares de educação são profissionais que contribuem para o bem da educação, mas cada um na sua função.

    • Ajbr disse:

      Isso não pode ser professor! Ser for, meu Deus, salves os alunos deste cidadão que se diz professor. Tanto o cargo de diretor de hospital como o de diretor da policia civil são cargos comissionados, você sabe o que significa? Estude mais um pouco, não foi desta vez.

  31. cesar disse:

    A função de diretor é reconhecida como função de magistério. O diretor recebe regência de classe (ponto que reforça o cargo como sendo exercício da função de magistério). Outro servidor da SEDF que não é da Carreira Magistério Publico do DF poderia exercer função de magistério?

    • Julio Cesar disse:

      Cesar, é isso que tenho tentado mostrar nessa discussão. As pessoas não veem que esses cargos são nossos e que estamos perdendo todos os dias espaco. E ainda continuam rindo e achando bonito sobre o pretesto de democracia.

      • andre soares disse:

        é julio césar, mais uma vez tenho que falar, DEMOCRACIA é algo que todos devem exercer e serem abraçados, quando voce fala que está perdendo espaço, que espaço é esse, voce acha que vão fazer uma placa com seu nome lá na SUA escola quando vc se aposentar, desista, seu espaço é a escola!!!! assim como é o espaço de todos os que lá estão, inclusive os reles servidores que voce tanto fala!!! e como ja disse antes, seus comentarios cada vez mais fortalecem minha ideia de que a discussão aqui não é sobre capacidade e sim sobre medo, terror, horror de ser “mandado” por um auxiliar de educação, cai na real, em todos esses anos que vc caesar esta no poder, o que mudaste na tua escola??? dificil pergunta né, nao precisa responder!!!! nós professores vivemos falando de educação inclusiva mas quando podemos botar a inclusão em prática isso não é aceito!!!!!! Democracia já, sem surtos!!!!

    • robson disse:

      Na SEDF tudo pode…
      o que a lei diz é uma coisa, o que as escolas, DREs e o povo do Buriti faz é outra.

  32. ATM disse:

    Percebe-se o quanto é difícil construir uma gestão democrática no local onde os pares não se respeitam e não conseguem ver as diferenças existentes entre estes e potencializar as qualidades. Há sim, na Carreira Assistência servidores que têm experiência em sala de aula e há sim servidores que possuem diplomas de Mestres. Contudo, a discussão tem de ser pautada nas qualidades e competências dos SERVIDORES, sejam estes da Carreira Assistência à Educação ou da carreira Magistério Público do DF. É comum alguns professores – concursados para a carreira magistério – julgarem-se melhores dos que os demais servidores, mas quanta incoerência no espaço onde se deveria incluir e motivar se pratica preconceitos. A pergunta é???? O professor está preparado para assumir o cargo de GESTOR??? O servidor da CAE está preparado para o mesmo??? Na verdade, minha gente, o que se precisa é UNIFICAR para transformar e isto se faz com a percepção e reconhecimentos dos diferentes, para que estes possam fazer parte dos que se julgam MELHORES e juntos construirmos uma EDUCAÇÃO, PÚBLICA e de qualidade com a participação.

  33. Lisbôa disse:

    1. Penso que direções de escolas deveriam ser mais técnicas e menos políticas. A gestão democrática, devaneando ou mesmo avacalhando o real sentido de democracia, vai na contra mão disso.

    2. Qualquer categoria inteligente tenta preservar e até ampliar suas possibilidades de atuação no mercado de trabalho. Por que então só nossa categoria é tão permissiva deixando que quaisquer outros profissionais adentrem e assuma aquilo poderia ser nosso? Acho que somos bobinhos e inocentes… Mas o mundo é tão lindo… Bonitinho que só…

    • Julio Cesar disse:

      Concordo com vc. É isso que defendo!!! Valorizacao do professor.

      • Conselheiro disse:

        Desde de quando a eleição é que define valorização do professor? Existem outras lutas e a primeira delas é da igualdade de direito. É isso que estou dizendo.

    • Bety disse:

      Falou tudo.

    • andre soares disse:

      pois é lisboa acho que nao entendi sua colocação, desculpe minha ignorancia, mas quando voce fala que a direção deveria ser assumida por técnicos e não por apadrinhados politicos vejo uma contradição, pois os auxiliares de educação (odeio esse nome) na sua grande maioria são capacitados para assumir tal cargo assim como a grande maioria dos professores tambem o são, ou não?? a gestão democratica ao meu ver nada mais é do que a correção de 500 anos de erros, todos da escola tem o direito de participar da gestão da escola, isso não é um espaço exclusivo do professor, parem com isso, chega de monopolio!!!! e quando voce pergunta porque só nossa carreira é tão permissiva e se deixa invadir por esses tais outros profissionais, vou ti responder: é porque embora tenhamos muitos mestres doutores e tudo mais que os canudos nomeiam, estes na sua grande ,maioria (sem ofensas) não são politizados meu rapaz, a quantas assembleias tu ja foi? quantas vezes os colegas que aqui estão reclamando dessa tal tomada de poder pelo clero ficarem de pé na frente do buriti por mais de 4 ou 5 horas, me digam ou melhor façam uma autoavaliação, agora quando outra carreira reinvidica algo que é dela por direito vem uma meia dúzia de amargurados dizendo que o lugar é nosso, que querem tomar o poder e muitas outras sandices, caro lisbôa reveja seus conceitos, aceite as mudanças, aceite a verdade!!! vais perder teu lugar ao sol!!!!
      e a proposito: não sou do SINPRO, não conheço o WD e não concordo em muito com as decisões que são tomadas por eles então não venham com o discurso de que é um sindicalistazinho etc etc, sou um professor que a muito tempo saiu dessa MATRIX que vivemos e percebeu que todos tem os mesmos direitos den tro da escola!!!

  34. carlos disse:

    o mais interessante de tudo é perceber como hoje em dia se fazer o correto e cada um cumprir seu papel real virou “preconceito”….

    • Conselheiro disse:

      Menos Carlos,

      Os cargos são comissionados. Então o correto seria concurso para gestor público com qualificação profissional para isso. Caso contrário, você esta sim sendo preconceituoso. Se for pela sua lógica, somente políticos honestos deveriam nos representar, juízes seriam imunes a corrupção, a saúde pública seria prioritária, a educação seria de qualidade e nós professores estaríamos com salários mais dignos. Ah!! e é claro com plano de saúde. Mais sua lógica não representa a realidade. E viva a democracia meu caro, Caso contrário, profissionais de educação só se ressume a professores?

      • carlos disse:

        menos conselheiro, como vc disse são cargos comissionados, e isto pra mim já acabaria com esta eleição… são raros os casos onde as eleições não produziram um “feudo educacional”, onde a direção alí fica, nunca sai, e bada faz…perpetuam-se no poder e acabam com qualquer possibilidade de oposição…e penso que é cada um no seu quadrado, esta é a minha opinião, pela sua poderei chegar amanhã no hospital e ser operado por uma enfermeira

        • Julio Cesar disse:

          Esse conselheiro é “sem noção” !!!

          • Conselheiro disse:

            Vc é sem noção….

          • Paula disse:

            Que medo dos conselhos desse “conselheiro”… deveria ser um SEMselho rsrsrs péssimo!

            • andre soares disse:

              que criativa paula!!!!!! semselho=conselho, kkkkkkkkkk muito boa!!!!!! não surta paula!!!!

            • Conselheiro disse:

              Não Paula, a discussão é quanto ao direito de todos participarem ou não de chapas para direção. A questão é quando nos sentimos superiores aos demais como profissionais de educação nos colocando sempre a frente dos demais colegas de trabalho. Quando se ler Comunidade Escolar, acredito que se refere a todos, isto é, alunos, educadores, professores, pais, auxiliares em educação, sala de recursos, todos que compõem uma escola. Agora se a gestão democrática oportuniza a todos que compõem o quadro da SEEDF, não podemos aceitar a discriminação que esta sendo veladamente sendo disseminada. Pergunto: Limpar o banheiro e o pátio da escola pode…. Agora participar de outras coisas mais importantes não. Então conclui-se limpar o banheiro para você usar sim, mais ser seu diretor de jeito nenhum. É isso?

        • robson disse:

          É só observarmos o que aconteceu…tem diretores que estão aí desde antes da gestão antidemocrática e botaram pra fora de suas escolas TODOS os que discordavam de suas posições. O que temos hoje são professores que não se importam com nada a não ser o $$ no final do mês ( sei que estou generalizando e muito, mas a situação é real…). Os resultados ( desastrosos…) das últimas gestões estão aí pra quem quiser ver.

  35. Angela disse:

    Não tenha medo , Deus levantou um Davi para derrotar um gigante… Ele usa os pequenos para confundir os grandes…
    Quando Deus quer agir ninguem pode impedir…

    • andre soares disse:

      não entendi!!!! o que isso quer dizer e para quem quer dizer por favor irmãzinha me tire essa duvida!!!

  36. Luciano Marim Lopes Bogalho disse:

    Viva a democracia, não acredito que os servidores que atuam na educação não tenham habilidade para administrar uma escola, porém seria no mínimo inconveniente, uma pessoa que não tenha algo que possa comprovar seu preparo para realizar tal tarefa, por exemplo, nós professores fazemos uma faculdade que incluem conteúdos que ao menos nos preparam para embasarmos o necessário de uma pedagogia e didática de ensino. Administrativamente sabemos que esta aprendizagem vem de duas formas: com a prática do administrar e com seu potencial de liderar um órgão colegiado como as escolas são. Uma das características de um diretor é saber trabalhar com as diretrizes educacionais e com os projetos político pedagógicos de uma instituição de ensino. Um programa administrativo das pedagogias para aumentarem o desempenho dos alunos nas avaliações externas e internas, reduzir o índice de reprovação e evasão escolar. Ai eu pergunto, será que todos os servidores tem este preparo? Sei que alguns onde trabalho fazem faculdade de pedagogia, até ai tudo bem, mas os que não tem nenhuma comprovação do essêncial para fazer uma escola funcionar, conhecimento de práticas pedagógicas de ensino.

    • Ajbr disse:

      Luciano, seguindo sua linha de raciocinio, podemos fechar todas as escolas de administração? Ja que esse conhecimento pode ser obtido pela práticao ou pelo potencial de liderar…

  37. ana disse:

    Estudar é – dedicar-se à alguma coisa, com intuito de aprender, aumentando seus conhecimentos.
    Competência – conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que, quando integrados e utilizados estrategicamente, permite atingir com sucesso os resultados que dela são esperados na organização. (grosso modo).
    Como diria Paulo Freire o estudo serve para nos transformar. E isso nem sempre acontece. É diferente um juiz saber aplicar as leis que ele já decorou mecanicamente aos cidadãos, mas dentro da sua própria casa ou no seu meio social, ignora-as completamente, ou maltrando uma criança, dirigindo bebabdo levando riscos aos cidadãos, etc, coisas que assistimos diariamente, essa pessoa não aprendeu nada de gente de comunidade, de sociedade… já, tem porteiro(a) que conhece cada aluno pelo nome, pelo histórico familiar e muitos deles sabe lhe dar com cada situação. Sei que é dificil e polemico o assunto, mas ao meu ver a questão não está ligada somente a bagagem curricular, está também ligada a competencia humana.

  38. Moisés Tavares disse:

    “Estudei tanto, mas como gosto de trabalhar em sala de aula, agora corro o risco da porteira da escola ser a minha chefe. Viva a gestão democrática.” (Sandra)

    Minha colega Sandra, sua frase é bem clara e nitida,voce gosta de trabalhar em sala de aula e pelo geito quer continuar em sala de aula, consequentemente não tem o espirito de administrar,governar, e por esse motivo corre sim um grande risco de ser administrada,chefiada, pela porteira,o vigia,a merendeira ou qualquer outro servidor que não estaguinou,mas que buscou e busca conhecimento,capacidade e que também gosta do que faz,gosta tanto que quer dar uma contribuição maior sendo chefe e mostrando na pratica como deve ser o tratamento entre todos os servidores da educação ,incluindo é claro os professores,pois todos somos educadores,ou não somos ?

    • Paula disse:

      Moisés, há controvérsias sobre essa sua última afirmação…

    • Sandra Silva disse:

      Caro Moisés,

      Sou pedagoga, pós graduada em gestão escolar, atualmente fazendo curso de mestrado e realmente gosto de alfabetizar,
      estar em sala de aula e posso te afirmar que nenhum aluno meu termina o ano sem estar alfabetizado, tenho competência para gerenciar qualquer direção,mas prefiro continuar dando a minha contribuição em sala de aula, não sou preconceituosa, apenas acredito que para qualquer função que o cidadão se proponha a realizar deva ter especialização.
      A propósito sua alfabetização não foi bem feita, jeito se escreve com j.
      Abraço.

  39. José disse:

    Cargos comissionados são uma aberração. O provimento deveria dar-se sempre por provas e títulos. A meu ver é um retrocesso a inexigência de provas para integrar a equipe gestora.

  40. Nara disse:

    Sou Diretora de uma escola e sempre defenderei a prova para ser Diretor. Gente, é muita reponsabilidade e precisa ter conhecimento da função sim (pelo menos conhecimentos básicos). Por isso, a prova seria uma investidura legítima e sensata.

  41. Bety disse:

    O caso não e de rir,mas só assim para continuarmos vivos.Percebo que o final dos tempos está próximo,merendeira,porteiro,vigia,sendo diretor?Meus Deus é muita desmoralização da categoria.Está chegando o tempo,dos postes mijarem nos cachorros,pois o normal era os cachorros mijarem nos postes.Fico feliz,pois vou estudar para ser do SAE e caio de paraquedas no SINPRO,Isso vai ser o máximo.

  42. Bety disse:

    AH,mais uma dúvida para os doutores dos sindicatos me responderem:sou socorrista,fiz um curso de 3 meses,será que posso operar pacientes no hospital?Minha tia é costureira,mas como vivemos em uma democracia ela passará a ser chamada de estilista.Hum esse é o Brasil…….

    • tyta disse:

      Vc tinha que ser presa, sua safada preconceituosa, se é tão superior assim, vai e concorre a direção, só me fala a escola na qual vc será diretora que vou fazer questão de te conhecer…

      • professora desconvocada atividades disse:

        TYTA!Nossa bem se vê que vc não deve mesmo ser nada em canto algum. Pq com esse vocabulário baixo, e essas palavras sem sentido, onde vc fala de preconceito mas ao mesmo tempo chama a sua colega de profissão de SAFADA. Só pode estar ficando maluca! Deve sonhar em ser diretora, tomara que continue no sonho mesmo, e eu que vc tripudiou por ter sido desconvocada, gostaria de trabalhar na mesma escola que vc, se é que vc tem escola, ou será que vive sendo devolvida na DRE. Mas… enfim.. gostaria muito de trabalhar na escola onde vc atua, pra ter o prazer de sentar-lhe um processo, pra vc aprender a não xingar os outros! Ética, com certeza não faz parte do seu vocabulário. E deixa de ser ridicula, este blog é pra podermos expressar nossas opinioes, se vc concorda, ótimo! Mas não venha ofender os outros não!

    • Luciano Marim Lopes Bogalho disse:

      Colega Bety

      Creio que houve um exagero na sua fala. Por exemplo cada um no seu ofício, professor na sala de aula e servidor realizando suas funções para as quais foram empossados.O que eu comentaria no seu caso seria mais por esta linha de pensamento:
      Se você é socorrista, poderia sim trabalhar em uma unidade de saúde como socorrista e médico exercendo a medicina, agora o que você poderia comparar é que se você pudesse ser diretora de um posto de saúde, UPA ou de um destes hospitais de Brasília, mas lembrando, como sua função de socorrista e não exercendo a função de médico.

  43. Sandra disse:

    Se para ser diretor o professor tem que ter no mínimo três anos em sala de aula , como vc explica isso: carreira assistência poder ser diretor. Que experiência ele tem de sala de aula???? Claro que nenhuma. Entao por que exigir esse tempo dos professores. Um porteiro pode de candidatar mas um professor que tem mais tempo em coordenação ,e que entra em sala de aula quase todo dia, não pode!!! Quanta incoerência. Penso que o sindicato deveria rever isso mas o discurso é que isso é justo !

    • Denise Lopes disse:

      Isto mesmo, deixe quem quiser se candidatar, exigir 3 anos dos professores e nada da carreira assistencia, Como disse anteriormente isto e segregacao.

    • Ajbr disse:

      Sandra, o diretor ira atuar em regência de classe? Provavelmente o texto foi feito por quem tem conciência que os professores estão totalmente despreparados até para lecionar. Claro que suas postagens ( e de outros também) comprovam essa situação.

  44. andre soares disse:

    Cara Bety, sempre fui apenas um visitante a esse blog mas após suas “sábias” palavras, e tenho que dizer que não foi a primeira vez que vi essas tais palavras, tive que me cadastrar e postar algo sobre o que vc tem dito, realmente tenho que concordar que os fim dos tempos esta chegando pois como pode existir em pleno seculo 21 um ser tão preconceituoso como vc, e o pior de tudo é que esta em sala de aula, não ti conheço pessoalmente, mas pelas tuas palavras vejo um ser tão arrogante e prepotente, fico aqui pensando o que vc passa para seus alunos, se é que está em sala de aula, quais os valores que vc minha colega(urgh que dificil admitir isso) passa para esses seres em desenvolvimento? isso eu não sei mas sei que Igualdade não é uma delas, é triste ver um “educador”, e isso vale para todos que estão aqui a chorar, questionando algo que já devia ser alterado a muito tempo!! Pessoal!!! vamos acordar, a escola não é feita só pelos professores a escola é feita por todos , todos são educadores, desde quando o aluno entra no portão, saiam dessa alienação meus colegas!!! se atualizem!!! voltem para a sala de aula, mas como alunos!!!!!! parem de tomar seu cafezinho e fumar seu cigarrinho e peguem um livro para ler!!! Voltando ao foco da nossa cara Bety não Por que tem esse medo absurdo de ser “mandada”? como disse alguem em algum comentario anterior, faça o seu trabalho, se for uma pessoa “competente” nem o Agnelo vai poder “mandar” em voce, se esse é o seu medo!!! Pessoal, acordem para o mundo, o que voces vão levar para seus alunos amanha??? E depois não venham chorar que só colocamos políticos safados e tiriricas no poder, nós professores somos os principais caminhos para essa saída da inércia, mas desse jeito Bety, nós vamos continuar sendo “mandados” por uma elite que só quer reproduzir o que eles acreditam: Só os mais “fortes” tem chance!! vamos mudar isso!!! ah Bety, se possível me diga em qual escola voce trabalha, fiquei muito curioso!! Grande abraço!!

  45. Paulo disse:

    Professor existe é para dar aula! Não para realizar atividades administrativas. Quer ser Técnico Administrativo tem vários concursos para isso. Os cargos Administrativos são de direito da Carreira de Assistência à Educação. Muitos professores sem generalizar só são servidores públicos por conta da grande carência naquela área. Colega Sandra, com esta frase o seu lugar realmente não é em sala de aula!!!

  46. Emma e a GD! disse:

    As pessoas que trabalham na portaria, da limpeza e em outros setores da escola, também estudam. Conheço várias que estão formadas em Pedagogia e que depois de formardas continuam estudando… não tenho nenhum problema e ter uma chefe que vem da portaria. Só nessa frase já vejo 2 pecados capitais: Vaidade e Soberba!

  47. contrato temporário disse:

    Na “verdade” o GDF quer terceirizar por completo o serviço de portaria e merenda e tentar colocar esse povo ocioso em direções, assim enxuga essa galera e poem mais de 1200 professores em sala de aula… e o debate continua…

    • Humberto Dias disse:

      ocioso??? vai fazer merenda pra tu sentir o que ociosidade, não se mistura que tu pode se danar

    • Jean Carlos disse:

      Contrato temporário vc esta com medo dos professores voltarem para sala de aula e vc perder a sua vaga, esquenta não entrega um curriculum para a Empresa Juiz de Fora (limpeza) ou Confere (merenda) para vc ver o que é OCIOSIDADE ha ha ha …….

    • contrato temporário disse:

      CT não é o meu nome!

  48. Darth Vader disse:

    Prezado WD, Sua concepção estava indo bem. mas ao escrever os últimos dois parágrafos, especialmente o último, sou obrigado a perguntar: Você está doidão? Está escutando Pink Floyd e assistindo a Alice no país das maravilhas? Que viagem…

  49. José disse:

    Aproveitar o espaço que está sendo muito bem debatido.
    A categoria está dispersa e como vemos nos foi apresentado ao menos, digo ao menos uma proposta, que ao meu ver devemos aceitar, senão vejamos, a PCDF está de Greve e a mesma já foi decretada ilegal, os carcereiros da papuda, encararam uma greve de 23 dias e não ganharam nada, nós da Educação já ganhamos este ano mais de 10% e pelo menos nos próximos anos teremos algo a receber, esqueçam Fundo Constitucional em uma realidade diferente do que pleiteamos, ele não vai dar NADA pra ninguém, aliás, acho que um final de Carreira com algo em torno de 10.000 seja ao menos RAZOÁVEL. Ainda mais em se analisar que podemos ter eleições ano que vem…

  50. José disse:

    Já ia esquecendo, podem começar a jogar pedras…

  51. Enishi disse:

    e na direção teremos Tiriricas, Delúbio Soares, Pallocis, Agnelos, Rorizes e todo tipo de imbecilque recebe voto de quem não sabe votar. Direção de escola não é brincadeira política. é mérito e conhecimento. Tem que ter prova e quem deve votar são os própriso professores. Gestão democrática é coisa de socialista utópico.

    • andre soares disse:

      ai ai enishi, que coisa né, ja tava quase indo dormir quando vi isso, que loucura!!!!!!!!acabou com meu sono!!!!!!!!!!!!!! esta chamando a sua comunidade, a comunidade que voce educa (ou finge) de imbecil!!!! isso foi pra encerrar a noite com chave de ouro, o que voce ensina para seus alunos??? independente da materia que estou ensinando o que esta em primeiro lugar é SENSO CRÍTICO, enishi saia do senso comum pelo menos por um instante e pense que o que voce falou é tudo que a elite (e voce não esta incluida nela pode ter certeza) dominante quer, voce esta pré-conceituando pessoas, quer dizer então que não devemos ensinar jovens infratores a ler pois eles vão voltar a roubar mesmo, ou pior pra que EJA se a maioria já é velho e logo logo vai morrer?? enishi repense seus conceitos para de ficar reproduzindo o que os outros dizem, sai dessa panelinha da hora do cafezinho que isso não ta ti fazendo bem!!! sem surtos claro!!!

    • robson disse:

      não teremos…já temos!

  52. Juliana disse:

    Qualificação e competência tem pouco haver com cargo hierárquico.
    As empresas de mais sucesso são aquelas que dão oportunidade de crescimento para todos os funcionários, estes se sentem motivados pois sabem que podem voar.
    Quisera que a escola pudesse ter um modelo realmente democrático, pois como educação é semente que rende frutos a longo prazo, a comunidade poderia aprender junta a entender o que é política e como pratica-la em prol do bem comum.
    Poderia até acontecer que inicialmente a eleição favorecesse administradores incompetentes, porém se as crianças, aprenderem com isso, que todo voto tem responsabilidade poderíamos contar com um futuro mais maduro para a democracia!
    Ou acham que aprender o que é política ou voto será um milagre ? Não. Será pela educação e quer coisa melhor do que aprender na prática?

  53. Eliete disse:

    Pra que prova… pra que 3 anos de regencia…. pra que capacidade.. titulos muito menos… o que vale é compra de voto e ainda voto barato…. por isso alunos desde a educação infantil tem que ter direito a voto que é só comprar com balinha…. viva a democracia….

  54. RG disse:

    Essa senhora disse: RG, vc apoiou sua ex diretora e agora cospe no prato que comeu…
    onde vc trabalha o serviço de limpeza/portaria é terceirizado, então só tem professores para direção e por isso que vc apoio os auxiliares concorrerem, não vai ser na sua escola….

    Nunca vi essa senhora, que fez o comentário. Até hoje eu sou queimado por apoiar essa diretora. Outra, nunca comi no prato dela, se estou lá por competência e ela sabe que na época, meu nome pesou para sua suposta competência…

    • Humberto Dias disse:

      Vc não está queimado RG, pelo contrário, nós que apoiamos esta antiga diretora, tivemos oportunidade de nos arrepender e se me lembro quando ela perdeu seu apoio a queda foi inevitável, perdemos amigos nesta confusão, foi triste, quem tá de fora não imagina a decepção que sentimos, mas o tempo dá um jeito.

  55. Jefferson disse:

    As vezes a democracia atrapalha mais do que ajuda! Se aqui os membros da comunidade escolar do DF se ofendem por uma questão de “competências” imagine o processo de eleição!
    Penso que todos nós precisamos evoluir muito como seres humanos e profissionias para podermos utilizar a gestão democrática!

    • Toledo disse:

      A questão não é de competencia é de julgamento “porteiro não pode estudar” so porque seu concurso e de portaria a pessoa é julgado como incompetente.

    • Luiz Barros disse:

      É Jefferson,
      Ao ler as participações começo a cre que devemos ter gestores vindos de fora da SEDF. Não temos capacidade para produzir uma gestão democrática… não nos respeitamos.
      Outra ponderação é a seguinta: O diretor tem alguma importância nas decisões da SEDF? Qual diretor foi convocado para analisar algumas política desta nossa casa? Quer saber… muito barulho por nada.

  56. luca disse:

    Até acredito q a Sandra tenha estudado,mas duvido do tanto…se assim fosse não estaria na see/df ,mas sim em algum lugar mais valorizado…precisamos sim estudar muito mais, até pra sabermos reconhecer que talvez a porteira seja bem mais preparada ou “estudada” que a maioria dos professores…mas independente disso concordo com a necessidade do gestor conhecer de forma prática a sala de aula, ou seja a experiência pedagógica é fundamental.

  57. isabel disse:

    É chocante,perceber que faço parte de uma classe formadora de opinião, e que é tão carregada de preconceitos, o mais incrível é perceber, que essa classe muitas vezes tem pessoas que viveram situaçoes de exclusão social,e ainda falam que no Brasil não existe preconceito !!!!!!!!

  58. Lima disse:

    O tempo passa, o tempo voa, o tempo para na educação pública, enquanto isto …..Popularização dos tablets no país inspira escolas particulares a utilizarem a tecnologia,
    fonte :http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2011/11/07/interna_cidadesdf,277282/popularizacao-dos-tablets-no-pais-inspira-escolas-a-utilizarem-a-tecnologia.shtml

  59. Professor Boquiaberto disse:

    Miguel Ângelo disse:
    06/11/2011 às 22:11
    Bom, nesse país criou-se uma tendência (de politicamente correto) de denominar alguma forma de crítica como preconceito, quando voltada,principalmente, aos “menos escolarizados” ou às pessoas pobres.
    Nesse sentido, a frase em questão torna-se problemática ou polêmica ao se restringir a um cargo a crítica principal do texto, que é a descordância ou insatisfação da autora pela atual proposta de Gestão Democrática.
    A frase, talvez, não teria tanta repercussão se a citação de um cargo relativamente ocupado por pessoas “menos escolarizadas” tivesse sido omitido. Isso me faz lembrar e eu compartilho aqui um comentário do apresentador do Jornal da Band, Boris Casoy, dirigido aos garis,que ganhou muita repercussão na mídia. Transcrevo aqui as palavras desse apresentador: “que merda… dois lixeiros desejando felicidades… do alto das suas vassouras… o mais baixo da escala do trabalho…”. Quer dizer, a frase de Sandra e citação de Boris Casoy tem muito em comum, uma vez que desqualifica quem é relativamente desqualificado, pelo menos no quesito escolaridade.
    O que se coclui é que “criticar” no Brasil, às vezes, é sinônimo de atuar de forma preconceituosa, o que eu acho um exagero, inscrustado por essa tendência de politicamente correto. Ou seja, não se pode expor uma opinião aberta e livre, sob pena de censura.

    Deixo claro, aqui, que não estou defendendo a colocação que se refere ao cargo de porteiro como um potencial chefe, mesmo sem qualificação ou alta escolaridade. Desse modo, o que vale a pena extrair da frase de Sandra é o que está implícito, a saber: a atual proposta de Gestão Democrática não valoriza a qualificação, assim como qualquer cargo público, pois o que se diz “democrático” na verdade esconde uma ação aristocrática às avessas; ou seja, as indicações são meramente políticas, movidas por fatores afetivos ou de coligação.
    O post do Miguel Ângelo foi um dos poucos coerentes aqui, na minha opinião
    Fico preocupado e ao mesmo tempo perplexo com o grau de maturidade desse debate. Percebe-se e não preciso de uma refinada interpretação, que o o post referendou um embate tosco eivado de provocações pobres de ambos os lados. O Blog é um espaço aberto e de grande notoriedade ou seja até o governador já passou por aqui lendo alguns coments
    Cada um querendo impor de qualquer forma sua subjetividade como verdade absoluta não interessando o objetivo maior: qualidade na educação.
    Até mesmo o blogueiro que outrora encontrava-se sem posts que gerassem tanta audiência.
    Pseudos educadores denigrindo, com palavras de baixo calão, narciso às avessas, que cospe na própria imagem
    E pergunto pra que tudo isso? Era sabido que tal post levantaria discórdia de ambos os lados pois o espaço é aberto. “Vou defender minha tese de qualquer forma nem que isso tenha ofender, denegrir, rebaixar meu status quo a níveis degradantes.”
    A colocação da Sandra é pertinente e poderia gerar um debate com enriquecimento maior no processo de gestão democrática, mas não essa enxurrada de provocações toscas.
    Não vou entrar no mérito da questão pois este encontra-se manchado. Vamos dar um reset e recomeçar . Alguns mais exaltados acabaram levando o debate para patamares subjetivos, outros caíram nas provocações e virou uma m….

    • andre soares disse:

      Não consegui entender muita coisa do seu comentario, não sei se são palavras suas ou do Boris ou da Miguel, que bagunça, mas o que entendi, me corrija se estiver errado foi que voce cai de para quedas no debate nem sei de onde surgiu e quer dar uma de juiz!!!! caro colega professor boquiaberto, levaste umas duas horas para escrever isso tudo ai de cima e não disse nada!!!!!! coordene mais seus pensamentos e não fique só jogando palavras ao vento, se tivesse participa desde de o inicio desse debate veria com toda clareza e sem ser tendencioso como esta sendo que quem iniciou os tais debates “toscos” como disse foram nossos colegas professores que não aceitam perder seu trono!!!! sai de cima do muro boquiaberto, ti coloca, toma uma posição, pouco me importo o que o boris disse ou o que o papa disse, eles nem sabem que a gente existe, cai na real meu rapaz!!!!!! o debate é salutar, independente das palavras e da tomada de posição, isso é o que deve ocorrer, que tipo de debate queria??? todo ele na 2ª do plural?? nos poupe boquiaberto!!!!!!! e volto a dizer!!!! eu como professor apoio totalmente a gestão democratica e a participação de todos os servidores das escolas(sim para quem não sabe professor tambem é servidor) na tomada de decições!!! saia da sua caverna boquiaberto!!!!!!! e sem surtar é claro!!!! o debate tem que continuar!!! as mascaras tem que cair!!!!

      • Professor Boquiaberto disse:

        Po vc não sabe nem ler imagina interpretar, aí já não é mais comigo o caso é mais grave. Se fizer um esforço pequeno perceberás que citei um coment do Miguel. Ahh bom tem certeza que fui quem caiu de paraquedas?
        E que história é essa de “eu como professor” sai fora cara, sei não hemmm
        tem certeza que vc quer mesmo ser diretor,??
        Sai fora não quero trabalhar nessa escola não, eu hemmmm

        • Professor Boquiaberto disse:

          Um coment eivado de erros ortográficos e de concordância, absurdo, calma rapaz. Se queres discordar de uma opinião qualquer faça com argumentos. Mas cuidado quando for escrever, uma verdadeira poluição visual. Mas me diz aí “eu como professor”, digo, andre (minúsculo, foi vc mesmo quem escreveu)
          Estou professor na escola onde vc está Diretor e chego e exponho um problema de um aluno do 5º ano ( antiga 4ª série , tá) que não sabe ler e nem registrar de acordo com o nível exigido ( escrever , tá) trocas surdas e sonoras, possível caso de dislexia ( possível hemm) qual seria sua posição? qual seria sua contribuição?

          • andre soares disse:

            ah boquiaberto, essa discussão não vai a lugar nenhum, até parece que teus posts são os mais lindos do mundo, grande detentor da sapiência, cara para e pensa, voce mais uma vez acha que através de humilhação vai chegar a algum lugar, de que adinta ser um ótimo escritor e não conseguir dizer o que quer!!! sinceramente, nada!!!!! e sinceramente o caso que colocou como exemplo daria no minimo umas duas ou tres horas de discusão pra iniciar, e volta a falar, de onde foi que tu surgiu!!!!!!!! Mestre!!!!!!!!!

          • andre soares disse:

            Boqui, só mais uma, deixa eu ti perguntar, no meus posts, eu consegui estabelecer a comunicação?eu me fiz entender (por vc claro que não pois vc é muito superior, eu sei)? só nas suas palavras, isso que foram poucas, já consegui entender um pouquinho de como (não é de comer não viu) voce deve ser em sala de aula com seus alunos, com certeza deve menosprezá-los pelos seus erros e viver humilhando a todos!!! que ótimo exemplo!!!

          • luca disse:

            Até acredito q a Sandra tenha estudado,mas duvido do tanto…se assim fosse não estaria na see/df ,mas sim em algum lugar mais valorizado…precisamos sim estudar muito mais, até pra sabermos reconhecer que talvez a porteira seja bem mais preparada ou “estudada” que a maioria dos professores…mas independente disso concordo com a necessidade do gestor conhecer de forma prática a sala de aula, ou seja a experiência pedagógica é fundamental

            • Sandra Silva disse:

              Caro Luca,
              Sou graduada, pós graduada e atualmente cursando mestrado e por mais preparada que eu esteja não pretendo abandonar a
              SE. Por que os bons educadores não podem estar na SE? Quando você tiver uma boa formação você pretender abandonar?

              • Anderson Fernando disse:

                Sou secretário, e assim como você, Sandra, acredito em profissionais por excelência, que vestem a camisa do time, que acreditam no futuro, que trabalham bem mais do que para simplesmente pagar suas dívidas, que se especializa para melhor atender a comunidade escolar, que fazem a diferença, parabéns. Assim como você, sinto-me feliz de está me especializando em prol da educação e sou feliz pelo trabalho. Abraço.

        • andre soares disse:

          viu como as mascaras caem!!!!! boquiaberto vc esta baixando o nivel da discussão não leve para esse lado sr professor!!! tenha mais classe e saibe se expressar melhor!!!! beijos!!!

          • Professor Boquiaberto disse:

            Parafraseando meus alunos: ” apelou perdeu”.
            Que diabos de mascara é essa que vc tanto quer que caia, pseudo professor? Valha me Deus.
            Mas vc escreveu , escreveu , escreveu e não respondeu o enigma, digo, o caso do aluno que comentei.
            Vamos lá vc e todos que acham que um profissional sem mínimos requisitos pode assumir a função de diretor, podem responder. Se quiser pedir ajuda aos universitários, eu deixo.

            Em tempo, no outro post vc escreveu “eu como professor” e agora me manda beijos???? Nada contra e sem preconceitos mas gosto de mulher.

  60. Cesar Ricardo disse:

    Uai, WD, é impressão minha ou vc boicotou minha última observação. Só porque mencionei uma verdade, o fato de haver um acordo entre PT, Sinpro e o SAE para aprovar uma besteira dessas, que é a participação do servidor nas eleições? Eu nem peguei pesado…

    Abçs.

    • Professor Boquiaberto disse:

      Que a verdade, que na minha opinião já era fato, venha à tona
      Cara essa maldita manipulação política por cargos políticos vem crescendo assustadoramente, não há limites. Brasil terra de tolos.

  61. Victor disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  62. Lisbôa disse:

    Andre Soare disse: “… mas quando voce fala que a direção deveria ser assumida por técnicos e não por apadrinhados políticos”…

    André se vc perceber no meu post eu não usei a palavra apadrinhados políticos… (cargos políticos e apadrinhados políticos são bem diferentes)

    Andre Soares disse : “…e quando voce pergunta porque só nossa carreira é tão permissiva e se deixa invadir por esses tais outros profissionais, vou ti responder”…

    Caro André eu também não usei a expressão “por esses tais outros”. Assim vc deixa meu comentário muito pejorativo. Por favor, volte e releia meu comentário da forma que eu o fiz.

    Caso fosse diretor é assim você que agiria? Manipulando os discursos alheios? Com certeza chegaria bem longe, como tantos outros, mas e sua consciência com ficaria?

    André Soares o que há nessa questão é uma busca por espaço, nada haver com competência ou diplomas… vc ainda não percebeu isso? Nem os professores, nem os auxiliares estão errados, mas é assim que a vida acontece e vence quem tiver mais força política, melhor mobilizado e melhor representado. ( e no fundo acho que nessa vocês levam).

    • andre soares disse:

      ai ai lisbôa, realmente volto a dizer, como as mascaras caem!!! agora queres virar o jogo dizendo que meu comentario deixa o seu pejorativo, me desculpa mas só voce não viu que seu comentário é pejorativo sim, e tenho que concordar com voce, essa questão é uma busca por espaço sim, mas isso se voce ler meus outros posts eu ja vinha dizendo, (voce não descobriu o fogo não caro lisbôa), espaço esse que é de direito de todos!!! seja honesto agora e me diga, voce acho que os auxiliares em educação não podem assumir a direção?? porque?? pois são de castas inferiores? ou voce não aceitaria ser “mandado” por eles?
      e por ultimo quando voce diz entre parênteses na ultima linha: “e no fundo acho que nessa vocês levam”, eu fiquei em duvida, voces quem cara pálida, vocês subalternos ou reles mortais, lisbôa para com isso não tente segmentar mais ainda um grupo que já está segmentado, (os bons contra os ruins, os bonitinhus contra os monstros)sou professor da fundação desde 97 e sempre ouvi esses comentariozinhos pelos corredores das escolas pelas qjue passei, comentarios maldosos contra pessoas que são tão ou mais importantes que professores como voce que quando fecha a porta da sala de aula se acha o dono da verdade, lisbôa não existe uma verdade absoluta, e se existisse com certeza não seria o professor o dono dela, reveja seus conceitos, não me ataque sem embasamento, não jogue palavras ao vento, chegou a hora de revermos a escola, e nessa revisão todos tem que ser incluidos nas decisões, repense seus preconceitos professor!!!! abraço!!!

      • Professor Boquiaberto disse:

        Caramba vc é um fanfarrão parodoxal mesmo. Primeiro vc defende uma classe que ninguém aqui, mas ninguém mesmo desqualificou( só vc). Aí vc vem com essas pérolas:
        “pois são de castas inferiores?”.
        “subalternos ou reles mortais”
        “grupo que já está segmentado”
        “os bons contra os ruins, os bonitinhus contra os monstros”

        O único preconceituoso aqui é Vossa senhoria. Está praticalmente lançando uma campanha de desqualificação, um verdadeiro bombardeamento, sempre na defensiva. Se fosse dessa carreira eu te processaria, cara.

        “sou professor da fundação desde 97″ tsc tsc tsc
        e 14 sem anos sem atualização

      • Lisbôa disse:

        Eu disse no final do meu comentário: “e no fundo acho que nessa vocês levam”. André eu disse isso porque acredito que os interesses políticos partidários tendem a conceder esse benefício ao auxiliares, nesse quesito eles (os auxiliares da educação) estão mais bem representados, inclusive pelo sinpro.

        Agora olha sua interpretação, Prof. André:

        “… quando voce diz entre parênteses na ultima linha: “e no fundo acho que nessa vocês levam” … voces quem cara pálida, vocês subalternos ou reles mortais… os bons contra os ruins, os bonitinhus contra os monstros… sempre ouvi esses comentariozinhos pelos corredores das escolas pelas que passei, comentarios maldosos contra pessoas que são tão ou mais importantes que professores… ( Isso tudo é por sua conta Prof. André, eu não disse nada disso.) Santa criatividade!!!!

      • Lisbôa disse:

        André Soares disse:
        “seja honesto agora e me diga, voce acho que os auxiliares em educação não podem assumir a direção?? porque?? pois são de castas inferiores? ou voce não aceitaria ser “mandado” por eles?”

        Vou te responder, mas antes me responda uma coisa: Quem chamou os colegas auxiliares de castas inferiores? E também não acho que é função do diretor ficar mandando em alguém.

        Mas vamos à minha resposta:

        Penso que as principais funções de chefia na área de educação deveriam ser assumidas por professores, não só nas escolas do DF, mas em todo Brasil.

        Para justificar essa minha posição eu poderia elencar dois pontos de vista:

        1º Ideológico: nesse entraria o diretor mais técnico que político o qual já mencionei (mas por enquanto não vou desenvolver esse ponto. Vou me ater somente ao próximo para não fugir do tema)

        2° Político: que, neste caso, é justamente a busca por espaço de atuação por ambas as partes. Aqui eu apoio os interesses dos professores e te digo o motivo: Corporativismo.

        • Os professores têm perdido espaço ao longo do tempo. Tem perdido espaço para os pais (que não respeitando a formação acadêmica dos professores se acham mais entendidos que eles)

        • Têm perdido espaço para os psicólogos e profissionais na saúde (você já percebeu que a maioria dos livros destinados a formação de professores, com poucas exceções, são escritos por psicólogos ou profissionais da saúde? Ou seja, somos trabalhadores braçais onde tem sempre alguém pensando por nós. Eles pensam e nós executamos)

        • Têm perdido espaço para os economistas, políticos, repórteres, e vários outros profissionais… Educação todo mundo mete o dedo decidindo sobre ela, menos nós, os professores.

      • Lisbôa disse:

        Por fim, caro André…

        Não sou a favor do coorporativos a qualquer custo, em qualquer circunstância. Mas quando o tema for Plano de carreira e Gestão democrática, penso que devemos ser corporativistas sim. Em algumas situações se não formos corporativistas não sobreviveremos ou ficaremos sempre subservientes a outras categorias, como já acontece.

        O fato de estarmos defendo interesses opostos, caro André, não nos faz inimigos. Não quer dizer que não respeitamos os colegas auxiliares, não quer dizer que no cotidiano estamos em lados opostos. O que acontece que às vezes temos que assumir um lado. Essa é a dinâmica da vida e da convivência em sociedade. Tenho o maior apreço pelos colegas auxiliares, eles são fundamentais. Falo isso por que meu 1° concurso, aos 19 anos, foi para monitor onde trabalhei por alguns anos.

        • Lisboa,

          E eu sou a favor a unificação das categorias. Da unidade.

          • Lisbôa disse:

            Eu também W.D, e vou além: Defendo a união de todos trabalhadores numa Central Única dos Trabalhadores. Todos com objetivos comuns. Mas tanto eu como você sabe que isso não foi e não será possível.

            Do ponto de vista da sociedade real a quem interessa esse discurso de união? Se todos acham graça quando falamos que um professor deveria ganhar igual a um médico imagina (após a união) dizer que o porteiro e a merendeira também devem! Sabemos que todos os trabalhadores são importantes, mas não estamos numa sociedade comunista. A união prejudicaria qualquer possibilidade de uma futura isonomia salarial dos professores com os médicos ou com qualquer outra categoria.

    • luca disse:

      a ver…companheiro!!!!

  63. Lisbôa disse:

    Lembrando que independentemente da opinião pessoal dos diretores do sinpro eles estão lá para defender os interesses da maioria dos professores. Certo W.D? Vocês não estão se representando não é mesmo? Mas representando os professores, confere?

  64. julio barros disse:

    Caro WD!
    É lastimável q este debate esteja inviesado! 1º) De acordo com o art.61 da LDB os funcionários da educação q fazem determinados cursos técnicos de acordo com a 21ª área profissional também são considerados PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO o q é justíssimo! Essa lei (12.014/2009) foi sancionada por Lula em agosto de 2009. E o PL 588 de GD coloca como pré-requisito q o funcionário da educação tenha feito cursos técnicos afins à gestão escolar; 2) temos q ter coragem de enfrentar o corporativismo de parte dos professores,aliás foi o corporativismo de conteúdo fascista(“Polaca”) que inspirou a constituição elaborada por GV na época do Estado Novo. para não me alongar, gostaria de lembrar q a eleição é “somente” um mecanismo da GD, pois é fundamental entedê-la como processo, até pq é possível fazer uma eleição democrática e ter uma gestão extramente conservadora! por isso , é fundamental ampliar o debate sobre GD para além da questão eleitoral, bem , eu já tou me empolgando com o debate e vou encerrar por aqui torcendo muito para q a nossa brava militância volte a se apaixonar e colocar seus nomes na disputa e varrer do mapa as direções autoritárias e retrógadas. Parafraseando Marx” progressistas de todas as escolas: uní-vos”!

  65. Tininha disse:

    Cada um no seu quadrado!

    Curso superior e experiência em regência são requisitos básicos. Além, é claro, de perfil de liderança. Seja da carreira assistência ou do magistério. Lembrem-se de que o diretor, entre outras coisas, administra PDAF e a aplicação do projeto pedagógico!

    Não é preconceito não, mas concordo com a Sandra. Como alguém que não domina o básico da língua portuguesa (a porteira da minha escola, por exemplo) vai liderar uma instituição EDUCACIONAL?

    Parece plano pra acabar de vez com o respeito à escola pública. Democrático mesmo é fazer a escola funcionar de verdade.

    Eu não gostaria de sofrer uma cirurgia feita pelo porteiro do hospital!

    Cada um no seu quadrado!

    • RD disse:

      Tininha.. para ser diretor de hospital, não precisa necessariamente ser médico, talvez se tivéssemos bons administradores chefiando os hospitais estes seriam melhor administrados, então teríamos mais médicos nos lugares onde são necessários. Acredito que os porteiros não queiram ir para a sala de aula tomar lugar dos professores, Neste patamar a comparação, professor x porteiro – médico x porteiro, realmente é incabível. Mas, não se esqueça, o SAE é composto também por profissionais de outros níveis e bem qualificados. Mesmo que se abra espaço para participarem do processo democrático de eleição para gestor, não o querem. Estão na carreira administrativa por opção. talvez queiram ser somente psicólogos, dentistas, advogados, dando sua contribuição como analistas que são.

  66. Profª Carmen disse:

    Vocês já viram algum advogado defendendo que a presidência da OAB deve ser ocupada por um não advogado? E um médico indicar alguém de outra categoria para tratar de questões pertinentes aos médicos, como CRM, Conselho de Ética, etc? O mesmo se aplica ao Policiais Civis, Policiais Rodoviários, Dentistas, etc, etc, etc.
    Ah, mas escola pode ser dirigida por qualquer categoria…Não precisa ser professor, basta ter “vontade” de dirigir uma escola e ser parte da comunidade escolar, afinal, dirigir escola é coisa fácil, não precisa ter conhecimento pedagógico, não precisa de conhecimento técnico. Da mesma forma quem defende que DRE tem que ser ocupada exclusivamente pelo pessoal da carreira “assistencia”. O NPC, por exemplo, não precisa de gente que entenda questões pedagógicas, particularidades dos alunos com necessidades especiais, etc, não precisa mesmo ter um olhar pedagógico, basta seguir a “estratégia de matrícula”.
    Assim como a ouvidoria não precisa de professor atuando como ouvidor, não precisa de gente com tato e olhar pedagógico afinal, lugar de professor é na “sala de aula”.
    NRH também não precisa de professor, são poucas situações e nenhuma delas implica conhecimento pedagógico, afinal é só mandar professor pra onde está precisando, trabalho puramente burocrático…e por aí vaí.
    Usando esta lógica, o Diretor da DRE deveria ser da carreira assistência também, ou de qualquer outra carreira, afinal, não precisa de conhecimento pedagógico pra dirigir uma DRE, é fácil, basta vontade, não implica em ter conhecimentos técnicos.
    A função de Secretário de Educação também deveria ser ocupada por alguém que não fosse professor (neste quesito admito que o melhor mesmo é que não seja da “área”). Sinceramente, vejo colegas falando que “professor tem mania de achar que só ele sabe fazer as coisas”, em termos de educação defendo que todos Diretores, Vice-diretores, Diretores de DRE, Chefes de Núcleos de DRE e subordinados, sejma sim da carreira MAGISTÉRIO, exclusivamente e que haja eleição para diretor de escola e para direto de DRE também…Vejo que somente professor defende que outras categorias se metam em assuntos relativos à Educação, oS QUE ESTÃO RECLAMANDO DAS ATUAIS DIREÇÕES, LEMBREM QUE QUEM EMBARREROU ELEIÇÃO DA ULTIMA VEZ FORAM OS PRÓRPIOS PROFESSORES E TEM QUE TER PROVA SIM, ONDE JÁ SE VIU ISSO?!?!?! isto é ridículo!!! Estou com vergonha de ser professora, vou prestar outro concurso e ir pra bem longe dessa área!!!!!!!!! SOCORRO!!!!!!!!!!!!!

    • Ajbr disse:

      Professora Carmem, pense melhor antes de usar suas analogias que tentam induzir ao erro. Realmente não entendi onde entra a parte pedagógica no NRH, por favor explique-se melhor. Você sabe o que faz um Núcleo de REcursos Humanos?

  67. tiago disse:

    Se existisse harmonia entre as partes que cuidam da educação concordaria com a colocação do WD, mas não é o que acontece na prática, ou seja, sempre tem um louco para ser “alguém” dentro de uma escola com o intuito de ter revanchismo sobre o outro (principalmente o pessoal do SAE). Não concordo com o teor do texto e muito menos acredito que isso possa dar certo.

  68. Ana disse:

    Por que Gestão Democrática somente nas Escolas Públicas? Penso que a Sandra, quando apresenta o referido comentário, no fundo, ela pode estar receosa do que vem pela frente. Todos sabemos que a função de Diretor não é nada fácil. Não porque ele seja ou não competente, mas sobretudo porque o Sistema é um fracasso. Por isso, até me permito dizer que talvez seja mais fácil ser Presidente da República do que ser Diretor de Escola Pública. Vejam os recursos que determinadas autoridades possuem e veja os nossos Diretores. É “vaquinha” para comprar café, vaquinha para fazer o parque, vaquinha para isso e para aquilo”. Penso que o Presidente da República não necessita de tais subterfúgios. Muitos dos nossos Diretores desanimam no meio do caminho.
    Fica então a pergunta: que tal gestão democrática nas delegacias, nos hospitais, postos de saúdes, etc?. O problema é que todos querem se meter na Escola. Infelizmente, não de forma proativa, mas porque somos uma instituição fraca. Os pais que deveriam estar presentes, sequer se dão ao trabalho de participar da vida dos filhos na Escola.
    Concordo que temos excelentes profissionais na Secretaria de Educação com perfil ideal para gestão, no entanto, enquanto as famílias se comportarem como se comportam, acreditando que Escolas são depósitos de seres humanos, não há Diretor que resolva a questão.

  69. Paulinha disse:

    As pessoas estão surtadas!

    Gente, ninguém tá querendo dizer que os funcionários da SAE tem menos valor como pessoas! É apenas uma questão de requisito de magistério para um cargo de diretor! Tem gente pirando, parece que tão fumando crack!

    Pra botar fim nisso tudo, façam então um concurso só pra diretor (como em SP) ou deixem o requisito para o cargo os 3 anos de magistério e tudo mais.

  70. Marcelo disse:

    É fato e relmente existem muitos profissionais nessas áreas que possuem boas qualificações, mas dái dizer que podem ser diretores de uma instituição escolar, tenho que discordar por “n” fatores.
    E nem me importo se alguns poucos me taxarem de preconceituoso. No caso de Ecola Classe pior ainda. Situações dificies, alunos especiais, alunos com DI, enfim inviável. Só pode ser brincadeira.
    Adoro esses profissionais, sem eles realmente a escola não existe. Ahhh minha querida maezinha é merendeira aposentada. Então não há falar em preconceito.

  71. luca disse:

    Até acredito q a Sandra tenha estudado,mas duvido do tanto…se assim fosse não estaria na see/df ,mas sim em algum lugar mais valorizado…precisamos sim estudar muito mais, até pra sabermos reconhecer que talvez a porteira seja bem mais preparada ou “estudada” que a maioria dos professores…mas independente disso concordo com a necessidade do gestor conhecer de forma prática a sala de aula, ou seja a experiência pedagógica é fundamental.E DAÍ???? quem stá de fato interessado na melhoria das escolas???

  72. Francisco (Vigia) disse:

    Suponha que eu trabalhe efetivamente há mais de 3 anos na vigilância, tenha curso superior com licenciatura plena e habilitação profissional técnica em nível médio de Meio Ambiente e Infra-estrutura escolar. Que consiga apresentar e defender um projeto de gestão, compreendendo os aspectos pedagógico, administrativo, financeiro e uma boa posição sobre educação. Ficar-eu-ia feliz, sentir-me-ia valorizado ao ouvir elogios daqueles que me ensinaram também a ser mestre (quem de repente aprende).
    Para citar: segundo o Projeto de Lei n° 164/11 (deputada Rejane Pitanga), em seu art. 26 e inciso: “Poderá inscrever-se para concorrer ao cargo de diretor vice-diretor o servidor da Secretaria de Educação do Distrito Federal concursado, que comprove: V – Ser portador de curso superior com licenciatura plena ou bacharelado com complementação pedagógica nos termos da lei vigente”. Para candidatar-se a direção de escola, não basta ser vigia ou porteira, por exemplo. Há exigência instrutiva, conhecimentos pedagógicos, ser profissional de educação e um dos candidatos ter tido pelos menos 3 anos em regência de classe. Portanto, achei injusta a frase da leitora e professora Sandra. Viva a Gestão Democrática, sem ironia.

  73. RD disse:

    Professora Sandra, a categoria da carreira Assistência a Educação é composta de vários níveis profissionais, não só de porteiros e porteiras. Temos, Secretários, Apoios, Analistas. Você é professora? Então deveria acreditar na capacidade do indivíduo de adquirir conhecimento. O fato de ser um profissional deste segmento, não o impede de buscar formação superior, de estudar como a senhora. À propósito, é assim que a senhora forma cidadãos críticos, com preconceito? Se não acredita na composição da equipe que por ventura se candidatar, vote contra, ou se candidate em uma chapa de raça ariana, pura, sem a categoria da assistência manchando casta dos professores. E por falar em estudar tanto, a senhora é mestre ou doutora? Sim, por que curso superior, de graduação e pós graduação – Lato Sensu, está ao alcance da maioria na atual conjuntura professora. Desculpe o desabafo, mas a senhora como professora deveria ter um argumento mais aprimorado, de acordo com sua posição e formação acadêmica, deveria discutir idéias e não coisas.

    • Sandra Silva disse:

      Você tem dificuldades de interpreteção e ainda não sabe diferenciar crítica de preconceito. Seus comentários, sim, são preconceituosos.

  74. Cesar Ricardo disse:

    Essa indigestão democrática está uma piada; O SAE armou seu patrulhamento e estão se dando bem. Acorda Júlio, acorda Rejane Pitanga, que proposta mais ridícula é essa???

  75. Cesar Ricardo disse:

    *está.

  76. Fábio disse:

    O que não deveria existir era o preconceito ou pessoas preconceituosas trabalhando com educação, mas isso existe aos montes por ai e por aqui também infelizmente. São tantos que arrotam possuir canudo de nível superior, mestrado, doutorado e até pós-doutorado. Phdeuses como se diz, mas não tem o menor talento e nem sensibilidade para educar ninguém. Acho que dentro da comunidade escolar os profissionais deveriam sim ter direitos de evoluir em suas carreiras..professor, porteiro, merendeira….Ou os colegas duvidam que existe capacidade e vida inteligente na cantina ou na portaria? Ou também não sabem que tem muita gente dando aula, mas que mal sabe se expressar, que jamais pega num jornal ou num livro pra ler, a não ser nos pedagógicos, e que conseqüentemente mal sabe escrever? Analfabetos funcionais. Meros decoradores de formulas que passaram em um concurso. Pois é, mas mesmo assim estão ocupando a cadeira de professor. Se temos deputados, por exemplo, que mal sabem assinar o nome, se temos um governador que mal governa, se já tivemos presidente da republica que era torneiro mecânico, se pelo pais afora existem inúmeros prefeitos que estão a frente de municípios riquíssimos, porque então não podemos ter alguém que trabalha na portaria ou na cantina no cargo de direção? Seria medo de ter como chefe alguém que lhe abre a porta ou lhe serve o café? Inúmeras são as escolas onde o diretor ta mais perdido que cego em tiroteio. Trabalhar na cantina ou na portaria não significa ser ignorante ou menos qualificado. Se a pessoa tem capacidade porque então não teria direito a ter as mesmas oportunidades? E lógico que quem mal domina uma caneta não deve se aventurar a ser diretor de uma instituição de ensino, mas quem disse que apenas pessoas assim trabalham na cantina ou na portaria? Ledo engano pensar assim. Lá existem também pessoas esclarecidas, muitas até com curso superior alcançado com muito esforço. Com muito suor. Ao contrário se observarmos aqui veremos muito mestres que arrotam o saber, porém não dominam a nossa língua pátria. Realmente nossas escolas precisam de muitas reformas. Administrativas e estruturais. Na estrutura por exemplo eu imagino que devia existir mais uma vaga no estacionamento. La existem vagas comuns e vagas especiais. Também devia existir uma vaga para o preconceito. Porque isso também é uma deficiência. Deficiência de bom senso e excesso de intolerância. Meus parabéns a todos os colegas que possuem esclarecimento e respeito para com os profissionais dos quais são colegas. Se possuírem capacidade meu voto é sim se não possuírem meu voto é não.Mas isso serve pra qualquer candidato.

    “A Gestão Democrática privilegia a capacidade de liderança, de diálogo e de articulação com os vários atores da comunidade escolar como requisitos para escolher os ocupantes dos cargos nas direções das escolas sem esquecer, é claro, da formação e capacitação específica que deverá ser oferecida pela própria SEDF.”

  77. Fábio disse:

    …País afora…

  78. Fábio disse:

    É lógico …

    … deveria existir

  79. Sandra Silva disse:

    Caros colegas,
    Parabéns pelo debate.
    Independente da opinião de cada um, valeu a discussão: Se a nova gestão democrática é viável? Alguns mais alterados, outros menos, o importante é nunca deixarmos de pensar em melhorias para a escola pública.
    A propósito sou pedagoga, pós graduada em gestão escolar e iniciando curso de mestrado (não paro de estudar), há 13 anos alfabetizando crianças, porque amo e sinto prazer nisso, e não deixo alunos para o professor da série seguinte alfabetizar, tenho qualificação suficiente para assumir direção, mas NÃO QUERO, prefiro contribuir com meu trabalho em sala de aula, não sou preconceituosa, votei em um torneiro mecânico para presidente do meu país. Independente da profissão escolhida por cada cidadão, tenho certeza que é necessário especialização, caso você queira ser um bom profissional.
    Abraços.

  80. julio barros disse:

    Blogueir@s!

    Fiquei perplexo positivamente com o debate acalorado sobre GD. Claro, que ficaria mais contente se as discussões tb envolvessem princípios como autonomia financeira, pedagógica, administrativa, participação, transparêndia, pluralismo..PPP; democratização do sistema e não só das unidades escolares;conferência de educação; conselho de classe; composição e atribuições do Conselho de Educação do DF;conselho escolar; assembléia geral; ficha limpa para os candidatos;…De qualquer forma o debate sobre GD é permanente, não é estático! E, devo informar, que já fizemos “n” seminários, audiências públicas,conferências sobre o tema GD e as posiçõe q defendemos são fruto da síntese dessas discussões coletivas e vamos defendê-las com veemência, inclusive aproveitando a “audiência” das discussões para fazer um chamamento a tod@s para quinta-feira (10/11) às 9h. na CLDF visitar gabinete por gabinete e não deixar que as idéias centrais da GD definidas democraticamente sejas desvirtuadas por deputados/as adeptos de um modelo de gestão conservadora e privatista, tipo a famigerada gestão compartilhada! E, resumidamente os pontos são os seguintes:
    1)Não á meritocracia, não ao concurso público para os candidatos às direções, pois, já fizemos concurso para ingressar na carreira e esse método não afere liderança de ninguém e exclui a comunidade escolar na definição dos nomes de sua preferência;
    2) Criação do Fórum Distrital de Educação, para encaminha por exemplo, as resoluções de um Plano Distrital de Educação;
    3) Composição paritária do conselhe de educação, onde, nem Estado , nem os defensores da educação privada sejam maioria e as entidades classistas dos trabalhadores em educação indiquem seus nomes democraticamente;
    4)A experiência do chão da sala-de-aula pelo menos para um dos canditatos(diretor ou vice);
    5)exigência mínima de quórum para legitimar o processo;
    6)como a escola deve educar para a cidadania, q a idade seja, de 13 anos ou a partir do 6º anos para estudantes votarem;
    7)não ao voto universal e sim ao voto paritário para q um segmento mais numeroso não abafe a opinião do outro;
    8)de acordo com a LDB (art.61) funcionários da educação tb são PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO e legitimamente pode disputar cargos de direção;
    9)que os contratos temporários tb tenham direito ao voto;
    10)acabar com direções vitalícias, estabelecendo somente uma reeleição consecutiva;
    10)candidaturas somente para os servidores da ativa, os aposentados já deram sua contribuição valiosa e histórica e contribuirão de outras maneiras
    11) poder para os conselhos escolares/assembléia geral para destituirem direções que não estejam cumprindo suas atribuições, assegurando amplo direito de defesa às mesmas etc. etc.
    Por ora é só, e espero tod@s na 5ª na CLDF e com certeza nos veremos em vários debates sobre o assunto.
    Saudações Democráticas!

  81. Gladys Maris disse:

    Pra mim o debate acabou quando o colega colocou que os diretores recebem Regência.

    SÓ PROFESSOR PODE SER REGENTE+DIRETOR RECEBE REGÊNCIA= SÓ PROFESSOR PODE SER DIRETOR.

    Ou então tire esta incubência e sua devida gratificação do cargo de diretor.
    Até a próxima !!!

  82. Ana Maria disse:

    Todos merecem o devido respeito mas se formos pensar, onde estão os servidores da CAE? A maioria também está desviada da função! Fizeram cursos bons no CEUB, na UnB e em outras faculdades justamente para não ficarem na função de origem! Assim como vários professores saem da sala de aula eles também saem para ocupar outras funções administrativas! Vejamos o exemplo: a merendeira não é mais merendeira, a porteira não é mais porteira, a auxiliar de conservação e limpeza nem pensa mais em pegar uma vassoura! Os servidores da CAE têm a oportunidade de serem valorizados só nós professores que não! Estamos em sala de aula e morreremos na sala de aula! Só sai quem consegue passar um outro concurso onde se é valorizado e respeitado.

    • Profª Carmen disse:

      É isso mesmo cara colega Ana Maria!!! A desvalorização da carreira professor começa com nós mesmos.

  83. Apenas professor. disse:

    Como o texto diz que os de carreira assistência não precisa de regência, pressupõe que ela não tem nenhuma importância para exercer a função de diretor (a).Sendo assim, porque a exigência?
    Não sou contra, e acredito que ninguém é, que os da carreira assistência concorram, até acredito que muitos também têm competência. O que defendo e que nos professores devemos garantir os nossos direitos. O SAE faz isso e faz muito bem .
    O SAE visa a luta pela categoria e o SINPRO visa posições políticas (Ser deputados, assumir uma secretaria no governo, etc.). Sente-se o próprio governo. Esta tentando empurrar “goela abaixo” esta falsa democracia e apela se formos contrario. Nos professores tornamos preconceituosos por exigir igualdade de disputa.
    Defendo que possamos disputar com a carreira assistência nas mesmas condições, se para os da CAE se candidatar tem que ter um professor com regência, porque se houver dois professores na chapa não exigir a regência de apenas um? O desrespeito pela categoria começa aqui, o SINPRO que deveria defender o professor, este voltado em interesses próprios e diz representar a categoria.
    A discussão aqui deveria ser direitos igualitários, e acabou conduzida para uma versão de disputa entre duas categorias e que deveriam estar juntas. PAREM UM POUCO COM ESTE DISCURSO sobre quem tem ou não competência , quem tem ou não qualificação. Ambas as categorias tem pessoas competentes, assim como também tem pessoas incompetentes. Será que esta discussão não foi colocada aqui propositalmente para dividir as categorias? PENSAMOS MELHOR NISSO.
    Nesta proposta de gestão democrática haverá artigos com exigência de qualificação em cursos de graduação, assim todos que cumprirem tais exigências poderá concorrer. Gostaria que o SINPRO e seus ex- diretores que hoje ocupam cargos no governo permitem que nos professores coordenadores possamos concorrer com a CAE e que deixe a comunidade escolher, e não faça eles esta pré seleção. Se há diretores sem regência que vocês querem tirar do cargo, deixe que a comunidade decida, pois se estiverem fazendo uma má gestão, com certeza irão sair, e se não sair deixe que cada um tenha o gestor que mereça.

  84. Pedro Faria disse:

    Por favor, Sr WD, qdo puder libere meu último comentário?

    • Humberto Dias disse:

      Espero que seja colocado este meu ultimo comentário! Bom! Sou merendeiro já passei por cargos administrativos, pena que em escolas problemáticas, tive projetos de inclusão social juntamente com um colega professor, não chegamos muito longe não tivemos apoio das direções que propomos os aludidos projetos, e o pior não tivemos apoio nem da carreira magistério e nem da carreira assistência,há algum tempo quando foi feito o portal do gdf existiam entradas quando vc abria a página, COMUNIDADE, PROFESSOR E ALUNO, na época o meu colega que tinha uma proximidade muito boa com o então Secretário de Educação, mostrou à mim, foi onde questionei, onde é que eu entro? Como vou logar? Não sou aluno nem professor nem moro aqui perto não sou comunidade eu fui esquecido, chegou rapidamente ao conhecimento do secretário, então tiraram PROFESSOR e colocaram EDUCADOR, fiquei orgulhoso de ter feito algo para minha carreira, hoje tenho vergonha de trabalhar na SEEDF, tenho vergonha de sentir o preconceito e de quem os tem, minha visão era outra em relação aos mestres de hoje, esperava mais de vcs professores, consideração educação eu generalizo agora pra todos vcs que estão lendo, vi uma classe querendo subjugar uma outra, uma minoria pois na Educação somos a minoria, ataques em massa e defesas assustadas como as minorias sempre fazem. Foi de extrema importância esse debate, muitos deixaram a hipocrisia de lado, alguns ainda escondidos em pseudônimos, mas valeu, hoje sei que a maioria dos professores tem opinião formada sobre nós da carreira assistência, é uma ferramenta muito boa para os que vão encarar essa eleição , se um diretor for da CAE ele já sabe que começará o ano com a popularidade lá em baixo, gostaria que todos estes que participaram dessa discussão aflorassem em derrubar essa corja de corruptos,que aí estão, olha! Tanta energia gasta, lembra muito Israel e Palestina,acho que não nos uniremos Simpro e Sae, para ser uma frente única,mas vamos tentar conviver com nossas diferenças, afinal quase todos que participaram aqui ao meu ver são formadores de opiniões,ou seja temos capacidades equivalentes desculpe se isso aborrece alguém de alguma forma, o recado que fica é que as pessoas da CAE continuem estudando se qualificando há muitos que precisam um professor me falou uma frase feita um dia, “O estudo é uma moeda que nunca perde o valor” acho que o “valor” seriam valores onde estão?? Professores onde estão os valores??? Cara que deprê agora tenho que me matar de estudar pra outro concurso, irei atrás de respeito, me alonguei fugi do assunto mas quando agente escreve com o coração sai desse jeito.

      • Sheyla disse:

        Humberto Dias,
        Os mesmos professores que o envergonham agora,são os que o fazem prosperar!
        Afinal,se vc mesmo afirma que está estudando…e preparando-se para novas oportunidades,quem é que está contribuindo para sua formação,meu caro colega???
        NÓS PROFESSORES,É CLARO!
        Então,não me venha com essa faláscia de dramas sem fundamento algum,dizendo que a classe docente,está postando comentários preconceituosos…Isso é o sentimento de inferioridade que consome a mente e o coração de muitos auxiliares da educação!
        Essa é a verdade dos fatos.
        Saiba interpretar!
        Não julgue a maioria,por uma minoria,ok?
        Assim como existem professores arrogantes que subestimam os profissionais da carreira assistência,também existem auxiliares que fazem o mesmo!!!

        Deixemos de hipocrisia!E jamais generalize algo.

  85. [...] perplexo positivamente com o debate acalorado sobre GD (aqui). Claro, que ficaria mais contente se as discussões tb envolvessem princípios como autonomia [...]

  86. Pedro Faria disse:

    Por que Gestão Democrática somente nas Escolas Públicas? (2)

  87. apenas professor disse:

    WD libere meu comentãrio em 8/11 as 15h

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 14.749 outros seguidores