É de escola em tempo integral que precisamos neste momento?

Virou moda entre os políticos brasileiros de todas as matizes políticas defender a ampliação da jornada do aluno na escola, criando assim a famosa educação integral. Ontem mesmo Governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, durante a posso do novo Secretário de Educação, defendeu esta proposta.

Porém, fico imaginando, será que é melhor garantir aos alunos uma jornada escolar de 10 horas ou concentrar esforços na melhoria da 5 horas de aula atuais, especialmente na séries finais do ensino fundamental?

É obvio que esta segunda opção não dá voto. É certo também que a maioria dos pais preferem manter o filho o dia todo na escola. Entretanto, se boas políticas públicas para melhoria da qualidade da jornada atual de 5 horas não forem implantadas, penso que no final teremos bons programas de retorno eleitoral como é a educação integral atualmente, mas com índices de aprendizagem medíocres.

Por experiência própria hoje defendo: é melhor investir muito para melhor o ambiente de ensino e aprendizagem nas salas de aula, especialmente dos anos finais do ensino fundamental e médio, do que diluir esforços na permanência do aluno durante 10 horas na escola sem que esta tenha condições de garantir um ambiente prazeroso para os alunos.

A escola integral é muito importante, principalmente para os filhos dos mais pobres. Entretanto,  para dar certo, é necessário que as unidades de ensino tenham realmente condições de desenvolver atividades que garantam o mínimo de satisfação do aluno, diferente do que ocorre hoje em muitas escolas em que o projeto está sendo implantado.

Você concorda? Vamos debater?

.

Washington Dourado

About these ads

32 respostas para É de escola em tempo integral que precisamos neste momento?

  1. Jackson Barreiros disse:

    …defender a ampliação da jornada do aluno na escola, criando assim a famosa educação integral.

    R= o melhor lugar para fazer exercícios escolares e trabalhos é na escola.E muitos alunos fazem inglês, computação e outros cursos fora da escolas. A escola tem estrutura para esta mudança? Quem vai cuidar da conservação e troca de peças dos computadores? como seria realizado o nivelamento dos cursos de línguas? Em quais salas? Vamos dobrar o quadro de professores e escolas? E as diversas modalidades esportivas (minha escola escreveu um jornal e uma das reportagens principais é sobre a falta de estrutura esportiva das quadras). É o certo ter educação integral, mas não é um projeto de alguns meses. O GOVERNO QUER VOTO? Ele teve 3 anos para começar a estruturar a educação integral. Eu só vejo lanche e falta de espaço nas escolas do DF. Escola integral não é dar comida e bicicletas.

    A escola integral é muito importante, principalmente para os filhos dos mais pobres. Entretanto, para dar certo, é necessário que as unidades de ensino tenham realmente condições de desenvolver atividades que garantam o mínimo de satisfação do aluno, diferente do que ocorre hoje em muitas escolas em que o projeto está sendo implantado.

    r= exato.

    • Dalmir Armando disse:

      A Escola de Tempo Integral no Brasil é uma farsa, totalmente desestruturadas, se constitui apenas em um discurso eleitoreiro “saco de vento”. Enquanto não investirem de fato em uma estrutura de qualidade e digna, altos salários aos docentes, reconstrução da figura do professor como elemento indispensável na mediação do conhecimento e disciplina, as escolas vão continuar sendo depósitos de jovens cada vez mais desmotivados, analfabetos funcionais, “burros” e agressivos….

  2. MAURO FRANÇA disse:

    Assino embaixo.
    Perfeita exposição!

  3. Francisco disse:

    Escola pública integral e de qualidade, embora possível, é ainda uma utopia. Elas, a maioria, infelizmente, não têm estruturas, espaços, recursos humanos totalmente eficientes – há exceções, é óbvio – e suficientes para implementá-la.
    É comum interpretarmos competência como sinônimo também de capacidade. Quem tem competência tem o poder de tomar decisões, subtende-se que esse alguém é capaz, mas na verdade nem sempre o é. Nenhuma nem outra são sinônimas de probidade.
    Mas me digas com quem andas que te direi quem és.

  4. Vivian Luzia disse:

    Escola Integral com alunos sentados em chão frio de pátio escolar, comendo merenda regrada (quando não é biscoito e só) e assistidos por monitores sem preparo, paciência e boa vontade? Só se for pra acelerar a fuga dos alunos pra rua.

  5. Ana Clara disse:

    Concordo Vivian.
    Eu sempre toco na questão da quantidade de alunos. Penso que mais e mais escolas devem ser construídas, visto que cada ano aumentam o número de alunos e portanto,mais professores efetivados. Boas escolas, com infra-estrutura apropriada, salas amplas, equipamentos, lanche adequado , tecnologia , etc, são fatores importantíssimos para a educação.
    Não aguento esse discurso de escola integral, quando não conseguimos alcançar a qualidade em cinco horas. A sociedade precisa estar ciente de tais fatos. A violência impera em muitas escolas, justamente pelo excesso de alunos e pela falta de opção que não são oferecidas aos mais jovens.
    Acho que deveríamos debater a questão da quantidade de alunos. Ressalto isso constantemente, pois, por experiência , percebo quanto meus colegas professores já estão desmotivados, doentes, cansados.
    Odeio ver que no final do ano, com tanta lutas, jovens são aprovados sem conhecimento, nos tais conselhos, onde impera as vontades das diretorias …e ÓHHHHH, tão “cristãs” diretorias, que acabam por acatar a vontade do estado, pensando na promoção, no dinheiro, nas verbas. Não entendo ser cristão dessa forma, aprovando inadequadamente, vilipendiando-se por meras moedas. E, no próximo ano, aceitando passivamente mais e mais alunos em sala e fazendo orações para que de fato o professor seja compassivo como ovelha , forte e corajoso como Hércules ,ágil com Hermes, Mas tudo não passa de uma grande mentira !

  6. Professor Gláucio disse:

    Falarei da Educação Integral praticada nas escolas de educação infantil inauguradas em 2012, que desenvolvem o projeto CEI INTEGRAL (7 horas), desenvolvido pela Coordenação de Educação Infantil. Funciona, e funciona bem! Claro que há a necessidade de aprimoramentos, mas o modelo é prático. As escolas sofreram muito no início do projeto, pois ainda não havia essa experiência aqui no DF. Com muito esforço, dedicação e fé, as equipes foram ajustando o projeto à realidade da sociedade onde a escola está inserida. As crianças são atendidas 7 horas por dia. Ficam 5 horas com @ professor@ regente e 2 horas com @ professor@ de educação integral (este atende os dois turnos). São “apenas” 7 horas e não 10 horas como o modelo tradicional, porém atende-se uma quantidade maior de alunos e com qualidade, pois a escola funciona em 2 turnos. no CEI 03 de São Sebastião funciona perfeitamente, graças ao empenho da equipe. As crianças tem uma rotina bem ajustada e @s professores desenvolvem praticamente todo o currículo, trabalhando todas as habilidades e competências. Essa experiência é a da Educação Infantil. Sei que as realidades são muito distintas em cada fase da educação, mas vale a pena refletir.

    • Gláucio,

      Meu filho estava nunca escola com 10 horas. Tiramos por que é muito tempo e fica cansativa. Agora, penso que o ideal é uma jornada de 7 ou, no máximo, 8 horas. Na Educação Infantil tudo funciona bem. Mas infelizmente o grande desafio da Rede Pública é quando chega o 6º ano em diante. E é deste segmento que estou falando.

      • Professora Cláudia disse:

        Sim, sexto, sétimo , oitavo e nono ano: professores morrendo de cansaço, turma s cheias, falação total, poucos jovens que querem algo. Por mais que ofereçamos não querem mesmo! Falta de educação familiar, falta de humildade, excesso de bajulações dos pais e amigos, excesso de futilidades. Simplesmente não há como comparar as duas realidades !

      • Professora de ceilandia disse:

        Caro WD em minha escola temos o turno de 8 hrs!!! Escola Rural do primeiro ao quinto ano, vou te dizer!! Tenho pena dos alunos !! Sem nem uma estrutura os alunos ficam o dia inteiro na escola, empoeirados, agitados, estressados! Temos um coordenador de Educação Integral que luta com todas as forças pra tentar fazer acontecer, mas nao dispõe de nem uma estrutura!! Passa a tarde lidando com monitores completamente despreparados e quando tenta trocar o quadro de monitores se depara com muita incompetência e burocracia das Equipes da CRE e da própria SEDF, isso sem falar das muitas vezes que a equipe da escola tem que assumir as oficinas por falta de monitores! A diretora se vira de tds as maneiras pra tentar otimizar a Educação Integral, mas o trabalho é árduo e inútil, pois antes de virem as criancas deveria vir a ESTRUTURA! Escola depósito de alunos não é Educação Integral!! Isso sem falar que quando se cogita a possibilidade de acabar com a Educação Integral na Escola as amaças veladas não param de chegar por parte da CRE! Lamentável fazer parte desse circo sem fim!!! Pensei q com a mudança de secretario algo fosse acontecer, mas a cada dia me convenço mais que a tendência é só piorar!!

  7. carvalho disse:

    Concordo com todas as moderações.
    Enquanto não tivermos escolas com espaços físicos adequados, confortáveis, professores bem remunerados e valorizados, turmas reduzidas, no máximo 30 alunos, monitores capacitados e principalmente projeto para educação. integral discutido e aprovado pelo corpo docente e comunidade escolar.
    Hoje o que vemos são gestores simplesmente acatando a vontade politica da educação integral enquanto a sua essência fica para trás.

    • Professora Cláudia disse:

      Pesquise amigo e veja quantos alunos atendem os professores em países como o nosso….Comparam nossos salários com os melhores, mas a quantidade de alunos é absurda! Não quero escola integral, preciso urgente da redução ! Inconcebível !

  8. Danate disse:

    Escola integral, como todos já deram sua opinião, no momento em muitas escolas a coisa ainda não funciona direito. A palavra integral por si já diz: completo, o todo, união, casamento perfeito, mas onde está acontecendo essa perfeição? É preciso arregaçar as mangas, trabalho, boa vontade, interesse e a visão de um futuro melhor para os nossos alunos para aceitar essa idéia e partir para luta, para o trabalho! Onde estão os projetos para desenvolver trabalhos excelentes, eficazes, duradouros, permanentes? É certo que existe falhas na implantação do novo, do desconhecido, mas se não houver mudança de mentalidade para transformar as coisas ruíns, que nos afetam tando trazendo-nos aborrecimentos não sairemos do lugar, ficaremos na inércia e quem sairá perdendo, com prejuízos irreparáveis será o futuro da nação: o nosso aluno: futuro cidadão, sujeito da sua própria estória, ser integral e global!!

  9. Meg disse:

    Temos que assistir o despreparo deste governo!?
    1º O governo anterior previa as Vilas Olímpicas exatamente para isso. Então porque não levá-los até lá?
    2º Almoço de má qualidade e lanche regrado. Onde estão as frutas, verduras, proteínas etc?
    3º Monitores sem preparo para lhe dar com os alunos. Por que não fazer concurso para professores “dinamizadores”, ou professores de escola integral?
    4º Depositar alunos o dia todo na escola sem fazer nada, nem o aluno aguenta! Cadê o projeto plausível? Onde estão as escolas parques em todo o DF? E as parcerias com os sistemas S: SESI, SESC, SENAC, SEST/SENAT?
    5º E as nossas quadras cobertas? Atividades físicas na poeira ninguém merece.
    FALAR ATÉ PAPAGAIO FALA!

    • Professora Cláudia disse:

      Incrível é que o GDF teve a cara de pau de colocar no facebook dele a propaganda sobre as quadras cobertas. Na escola, além de não termos quadras, nossa educação física é feita no asfalto.Os alunos constantemente se machucam. Podem visitar e fotografar: CESD Santos Dumont. Sou mãe de aluno e professora e vejo tais coisas…Imagine, escola pequena sem infra-estrutura em um residencial tão bom…

  10. Margareth Oliveira disse:

    Escola “em tempo integral” e Escola de Educação Integral.Parece que entre os políticos aqui no DF há esta distinção entre estes termos, se não estou enganada já ouvi alguns discursos em algumas reuniões fazendo esta separação. Bem,se esta diferença existir então sou absolutamente a favor da segunda e muito mais: a favor de uma Educação séria e de qualidade pelo simples fato WD de garantir melhores condições para os mais pobres,assim como você ressaltou.Porém aqui no DF isso soa como utopia.Enquanto os conchavos políticos forem o centro do interesse de quem administra,de quem legisla,os que mais necessitam deverão esperar por mais tempo pelo que realmente lhes é de direito.Poderíamos ficar horas aqui nesse espaço debatendo sobre o que realmente é fundamental em nível imediato para nossas escolas mas esta lição nós conhecemos perfeitamente assim como aqueles que entram e saem do governo também sabem o que deve ser feito,porém tudo começa e para nos discursos.Se em alguma escola no DF as coisas estão dando certo certamente é a custa de muito esforço e boa vontade do grupo,se eu estiver equivocada por gentileza desculpem-me!

  11. Meg disse:

    Respondendo ao questionamento.
    NÃO! NÃO é de escola de tempo integral que precisamos, pois a escola tem que ser um espaço de CONHECIMENTO e não um depósito de pessoas.
    Necessitamos de RESPEITO, COMPROMISSO, DIÁLOGO, VALORIZAÇÃO!

  12. A escola integral infelizmente se tornou um depósito de alunos .
    Cansados estão os alunos, estressados os professores e sobrecarregados os monitores.

  13. Güidi disse:

    Washington e Colegas,

    Temos que fazer uma discussão mais ampla desta questão da escola em tempo integral. Ressaltando que as observações postadas aqui sinalizam soluções a serem construídas para reforçar a qualidade da educação.

    O atendimento em tempo integral está entre as reivindicações mais cobradas pela sociedade aos governantes nos municípios, estados e Governo Federal. E para reforçar este processo o Censo do IBGE de 2010 identificou, em todo o Brasil, que 44% das mulheres em idade produtiva estão fora do mundo do trabalho. Já as mulheres que trabalham, uma parcela importante, aproximadamente 29% é a única ou principal provedora de suas famílias. Este contexto provoca forte pressão social sobre o Estado para massificar o atendimento em tempo integral na faixa etária de 0 (zero a seis meses) aos 12 anos.

    E para piorar o quadro o Distrito Federal está atrasado em relação as demais Unidades da Federação. Aqui 48% das famílias tem como única ou principal provedora a mulher. E mais de 30% das mulheres, em idade produtiva, no DF não trabalham. Até a classe média renda alta não encontra vagas nas creches particulares para colocar seus filhos. Tem creche particular com mensalidade de R$ 3.000,00 com as respectivas vagas esgotadas.

    Agora vem o outro desafio. O DF para massificar o atendimento em tempo integral terá que investir a mais, todo ano, R$ 2 bilhões de reais. Podemos dizer dois estádios a mais por ano.

    A escola em tempo integral está trazendo a educação para a agenda de prioridades se tornando um dos temas principais das últimas eleições e que promete muita discussão nas eleições de 2014. Neste contexto temos que fazer este debate ampliado e integrado com os demais setores da sociedade.

    Abraços,

    Güidi Nunes
    Prof. da Escola Técnica de Ceilândia

  14. thiagorecoo disse:

    Assino embaixo na implantação da escola integral, principalmente no ensino médio, visto que os alunos estão em uma fase muito complicada, acredito que seria uma forma de reduzir a criminalidade juvenil. No gama temos o CEMI que é uma escola de ensino integral profissionalizante, os alunos terminal o ensino médio com o curso técnico de informática, uma unica coisa que não entendo e por que não é ampliado esse programa para outras regiões, por que o Cemi deu certo e está colhendo vários frutos bons.

    • Professora Cláudia disse:

      Pois não é essa a constatação que vejo dos pais e professores. Meu fiho tentou vaga por lá e não conseguiu. A escola é cheia. Vi entrevista sobre isso na Globo e um dos professores contou que o laboratório mal funciona e falta equipamento e tecnologia. Quem faz milagre lá é a equipe. O mérito não podemos deixar para o governo ! Os pobres professores lutam para conseguir que esses poucos passem !

  15. Copiei um trecho da entrevista do filósofo Olavo de Carvalho falando sobre a “educação para todos” e achei pertinente ao assunto ora discutido aqui que é ensino integral. Espero que sirva para reflexão. Abs!

    Trecho de entrevista de Olavo de Carvalho a Karla Correia Jornal do Brasil, 01 de junho de 2008.

    …Você tem que primeiro formar uma elite intelectual capaz de educar o restante do país. O governo vem com essa história de educar todo mundo, mas isso não funciona. Não é possível.

    A educação então não deve ser para todos?

    Não. Educação é um processo irradiante, que vai por círculos concêntricos. Você educa dez, que educam cem, que educam mil, que educam um milhão e vai assim.
    Nem ao menos cuidar de erradicar o analfabetismo?
    Isso não adianta. Você vai investir um dinheiro maluco nisso e os caras vão sair todos analfabetos funcionais. Porque se você não cria uma tradição de educação, a educação não pega. Se você não tem essa tradição, não tem o amor à cultura, ao conhecimento. A educação deve ser muito séria e começar por uma elite, que vai irradiando esse valor. Quem vai dar a educação para todos? A educação que se dá ao povo hoje não deveria ser dada a ninguém. Oferecer essa educação para meia dúzia de pessoas é um insulto. Para milhares, é um crime…

    http://www.olavodecarvalho.org/textos/080601entrevista_jb.htm

  16. Edna Araujo disse:

    Deixando de lado a questão política relativa a implantação da Escola em Tempo Integral, que realmente é levantada de tempos em tempos pelos governantes, políticos e afiliados com o único e exclusivo fim de conquistar, digamos “simpatia” dos cidadãos eleitores, considero que uma escola com jornada de 7 a 8 horas, com atividades bem estruturadas e diversificadas, em que todas as áreas do conhecimento humano podem ser exploradas em ambientes físicos adequados, com os respectivos materiais e equipamentos a melhor e mais interessante proposta para a educação nacional, mas desde que tratada como uma política de Estado e não partidária.
    Ela é eficaz(temos excelentes exemplos dentro e fora do país), desde que pensada e articulada com as demandas da socidade(mobilidade, horários, etc), das famílias nas suas mais diversas constituições. Não devem ser pensadas como “depósitos”, mas como um ambiente de educação na sua mais ampla definição,de construção e exercício da cidadania, onde ficam crianças e jovens enquanto seus responsaveis tb estão em outro ambiente, o trabalho. Até o caos urbano, o stress doentio da sociedade mal assistida diminuiria.
    Ela não é boa ou muito importante “principalmente”para os menos favorecidos(que não tem carros, empregadas, empregos flexiveis para levar e buscar seus filhos em um lugar e levar para outro), ela é importante para todos os cidadãos e seus filhos.
    Enquanto nós mesmos pensarmos em educação, fazendo distinções das necessidades de um grupo ou de outro, não estaremos tratando realmente da Educação, do que é melhor e mais importante para todos.

  17. socorro. disse:

    ainda bem que alguém esta preocupado em educação por aqui no DF. por favor vamos trazer pessoas para observarem o dia a dia dessas escolas onde este projeto esta sendo aplicado.
    as crianças não estão aguentando. aula de manha e aula de tarde. pouca ou quase nenhuma atividade diferente.será que ninguém vai poder mudar isso. alguns pais não questionam porque são carentes demais e esta tem sido a unica opção de creche. espaços não planejados, pouco recurso. me diz uma coisa monitor pode substituir professor? ta tudo louco!!!

  18. Claudiomir disse:

    O governo não tem competência nem para garantir uma educação de qualidade nas escolas públicas, imagine propor educação integral para os alunos. Ele quer mesmo é ganhar votos a qualquer custo.

  19. Pamela disse:

    Lançar “programas” e “projetos” de dentro de seus gabinetes e escritórios com ar condicionado não adianta nada! Tem escola que nem água potável têm!!! Pelo amor de Deus!!! O que estes “gestores” e “secretários” precisam é de um choque de realidade. Passem um dia em uma das escolas da rede, mas que seja uma escola de periferia e não as escolas do Plano Piloto, que são exceção à regra, e vejam o que de fato nós, professores e estudantes passamos todos os dias. Tudo isso é discurso e ação eleitoreiros. Claro que os pais vão adorar a ideia de deixar seu filho na escola de manhã e só voltar a pegá-lo no fim da tarde, mas não vai mudar nada de fato. Estou cansando, já joguei a toalha, ou saio da SEDF ou enlouqueço…

  20. […] OBS: Este comentário foi publicado como resposta a este post: É de escola em tempo integral que precisamos neste momento? […]

  21. Bianca disse:

    Caro W.D minha escola possui a Educação Integral, como todas do GDF, a coordenadora foi escolhida no dia de escolha de turmas ao inicio do ano. A grande questão é a maneira que a mesma trata as crianças: compara com sua filha que estuda em escola particular, chama os alunos de burros, puxa os braços dos mesmos. A indignação é ninguém da escola poder fazer nada, pois quando a direção vai até a Regional os mesmos dizem, que se a professora for devolvida o SINPRO a envia novamente para a escola, pois como é efetiva possui todos os direitos. Que direito é esse de agredir crianças e não ser punida? Gostaria da sua resposta, pois também sou efetiva e este tipo de conduta envergonha qualquer professor da secretaria. Comento que a mesma mandou um bilhete para um aluno especial pedindo para o mesmo não comparecer, pois estava prejudicando o aprendizado dos outros. Analisa… Nada foi feito.

    • Bianca,

      Se a professora agride as crianças e a Direção da escola não faz nada, é conivente. Quanto ao argumento da CRE, é uma mentira que só prova a incompetência da própria Regional.

      • Bianca disse:

        W.D.
        Gostaria muito que fosse assim, se a direção tenta tomar providência é acusada de perseguição. O fato é esse: Pessoas erradas são protegidas pelo SINPRO, e quem protege quem tem razão. Esse tipo de profissional dá trabalho em toda escola que passa. Me responda como a mesma alcançou tanto tempo de secretaria. Saiba que já respondeu processo e foi defendida pelo mesmo.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 14.749 outros seguidores