[vídeo do dia] Confissões de um ex-assassino econômico

31/10/2011

Conheça as tabelas com o reajuste proposto pelo Governo

31/10/2011

Pessoal,

Nos links aí em baixo você encontra as tabelas com a proposta de reajuste sugerido pelo Governo para os níveis de graduação, especialização, mestrado e doutorado. Observe que é para uma carga horária de 40 horas.

É interessante observar que não consta nestas tabelas as gratificações de alfabetização, de ensino especial, de zona rural e de ensino prisional. O valor proposto pelo GDF para cada uma delas seria de 10% sobre o vencimento, sendo acumulativas.

Tabela proposta


Notas & Chamadas

31/10/2011

PRECATÓRIOS

Outra proposta que foi ventilada por integrantes o GDF e que parece ter sido engavetada novamente foi a ideia de abrir uma negociação para pagamento dos precatórios dos servidores públicos.

SEM EXONERAÇÃO

Apesar de alguns dirigentes de escola e até de DRE estarem incendiando o debate de que as direções de escola serão todas exoneradas no dia 1º de Janeiro, o Comando da Secretaria continua negando tal possibilidade. Já a realização de um novo processo eleitoral está cada vez mais certo de será realizado no início de 2012.

A DISPUTA JÁ COMEÇOU

Enquanto isso em muitas escolas o clima já é de disputa pelos cargos de diretor e vice. E apesar da gratificação ser quase insignificante e as responsabilidades imensas, em muitas unidades de ensino a disputa está tomando dimensões inacreditáveis. São lances que não deixam nada a desejar ao processo eleitoral pela disputa por cargos públicos mais vultosos.

FALTA DE PROFESSORES

A falta de professores continua, mas parece que foi mesmo amenizada pelos remanejamentos feitos pela Secretaria de Educação. Entretanto, isso só foi possível porque neste ano as licenças prêmios não foram liberadas, a maioria das escolas ficaram sem coordenadores, projetos não foram desenvolvidos entre outros problemas. Tudo isso quer dizer que se nada for feito, 2012 a falta de professores vai continuar prejudicando o ano letivo.


Ensino de ponta no Brasil, mas longe do topo do mundo

31/10/2011

FONTE: Gazeta do Povo

Texto enviado por: Mario Bispo

A qualidade da educação privada brasileira mostra-se superior diante de instituições da rede pública. Contudo, a avaliação muda quando entram em cena escolas estrangeiras.

A exposição cada vez mais frequente de índices que medem o desempenho escolar destaca o que parece ter sido um consenso ao longo dos anos: a educação pública no Brasil não é das melhores. Em geral, qualquer que seja o instrumento de avaliação adotado, escolas particulares obtêm resultados superiores aos conquistados pela rede pública. A comparação é lógica e válida. Analistas, porém, alertam que isso tem induzido à falsa conclusão de que o ensino privado no país é realmente bom.

Quando índices internacionais são usados como referência – e não apenas parâmetros nacionais como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) ou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) –, chega a ser espantoso notar que os melhores estudantes da rede particular brasileira não alcançam os alunos que estão abaixo da média em países desenvolvidos, sejam eles de escolas públicas ou privadas.

Uma amostra dessa situação ficou clara diante dos números mais recentes do Programa Internacional de Avaliação do Estudante (Pisa), divulgados em dezembro de 2010. O estudo comprovou que o desempenho em leitura da camada que inclui os alunos brasileiros mais ricos é pior do que o resultado atingido pelos estudantes mais pobres de lugares como Hong Kong, Coreia do Sul e Finlândia.

Clique aqui e leia mais 

Você concorda com esta avaliação?


Suposto plano de saúde dos servidores volta à UTI

31/10/2011

Quem tinha acabado de sair da UTI e  estava a caminho do setor de recuperação com perspectiva de alta era a proposta de plano de saúde dos servidores do GDF. Entretanto, de acordo com informações obtidas pelo Blog, pelo jeito o que seria plano de saúde agora está fazendo o caminho de volta ao setor de tratamento intensivo.

Dessa vez quem está embarreirando a proposta é a Secretaria de Planejamento, que preocupada mais em fazer superavit orçamentário, está negando a liberação de recursos para implantar o plano de saúde. O fato é que a parte técnica está pronta para ser apresentada aos servidores, mas enquanto não houver a garantia de recursos não há como abrir o processo de credenciamento das operadoras.

E o que estava programado para ser apresentado com festa no Dia do Servidor, acabou virando mico geral.

Lamentável!


[fala visitante] Conjuntura política no DF

31/10/2011

Por: Guid Nunes

Colegas,

Concordo com a maioria das opiniões que o GDF poderia estar operando melhor de forma mais articulada e sistêmica.

E valorizo os colegas e cidadãos do DF que assumiram funções gestoras no GDF em meio a uma crise política local que perpassou o processo eleitoral. Os novos gestores pegaram um GDF desestruturado, desorganizado e sem canais institucionais para dividir responsabilidades com a sociedade local.

A crise política em 2010 coroou um processo de fragmentação política local que envolve tanto a esquerda quanto a direita, na qual a “ação política” fica concentrada para atender interesses particulares, individuais ou pessoais.

É neste contexto que concordei em 2010 com a construção de uma composição política mais ampla para governar o DF. No momento esta composição dificulta operar de forma mais ágil os órgãos do GDF.

As dificuldades para o GDF desenvolver suas ações têm fatores internos e externos envolvendo a Câmara Legislativa e a sociedade. Um exemplo é a bagunça fundiária no DF que tem uma cumplicidade enorme da sociedade local.

Espero que a ação política no momento (processo no STJ) que está causando um grande desgaste político ao Agnelo, em quem depositei meu voto, seja fruto de interesses fisiológicos que não foram contemplados na política local como queriam. Falo isto por que não existe ação neutra de Governo. A ação de um governo é para atender a maioria da sociedade, e os problemas que o DF vive, para encontrar uma solução, terá que atingir interesses poderosos da política e da economia local.

Abraços,

Guidi NunesProfessor da SEDF


Minha opinião sobre as acusações que envolvem o Governador

30/10/2011

Sobre os fatos levantados por revistas nacionais envolvendo o Governador do Distrito Federal eu não tenho dúvidas: todas as informações publicadas fazem parte de processos judiciais em curso e é a Justiça que deve agir de forma rápida e eficaz, punindo os culpados e inocentando os que nada devem. Se as denúncias forem comprovadas e o Governador tiver responsabilidade e participação, que sua punição seja severa e em conformidade com o nosso Código Penal. E que de posse das confirmações a Sociedade possa fazer o seu julgamento político.

Porém, em não se confirmando as acusações, que a Justiça declare a sua inocência, que a imprensa tenha a responsabilidade de dar espaço para a reparação dos ataques feitos e que aqueles que vivem da chantagem sejam punidos com a severidade necessária.

Como militante partidário defendo que o Governador venha a público e enfrente os ataques de cabeça erguida. Que mostre publicamente os argumentos da sua defesa jurídica e política. Que demonstre sua opinião sobre as razões dos ataques e que desmascare, caso tenho como comprovar, os reais objetivos dos seus adversários. Além disso, que o Governador demonstre publicamente o compromisso de transparência em sua atual gestão. E que aproveite e cumpra seu papel de abrir todas as caixas pretas, todos os esquemas montados pelos Governos passados.

Observem que defendo a continuidade e agilidade do devido processo legal, já que entendo que aqueles Distritais que foram coniventes ou participaram da Caixa de Pandora e do coronelismo não tem moral para julgar alguém. Aliás, tenho certeza que alguns até estão comemorando este estado de permanente enfraquecimento do chefe do Executivo, já que assim fica mais fácil conseguir contratos de terceirização, de obras e outros negócios pessoais de parlamentares patrimonialistas.

Por fim, só espero que o Governador, enquanto correm os processos judiciais, assuma de forma efetiva a Administração. Que ele coordene todas as ações das Secretarias e empresas públicas, que exija dos seus colaboradores resultados, políticas efetivas. Chega de debates intermináveis. Chega de criar palanques para discursos vazios. Chega de conversa de que está “arrumando a casa”. O Povo quer resultado. Quer ver os problemas resolvidos ou, no mínimo, propostas efetivas e realizáveis para solucionar os mais diversos desafios.

Neste momento, Agnelo precisa é se aproximar da sua base social. Não pode ficar preso ao cerco de alguns assessores medíocres que pensam dominar os movimentos sociais. Agnelo precisa romper o cerco palaciano dialogando com o Povo, cumprindo os compromissos históricos, não inventando ou garantindo a continuidade de uma agenda que não faz parta da história de quem o elegeu.

Washington Dourado 

OBS: Não quero fazer deste Blog um palco para a luta política da cidade, mas não podia deixar de apresentar minha opinião sobre os acontecimentos.


%d blogueiros gostam disto: