SEDF erra e professores pagam

03/11/2011

Por um bom tempo a Secretaria de Educação fez um procedimento errado e deixou de atualizar os salários dos professores que atuam no sistema prisional ou nas medidas sócio-educativas, pagando um certo valor a mais. Agora a SEDF acordou, viu seu erro e para corrigir está descontando o valor pago a mais sem nenhum acordo com os professores. O desconto está vindo no contracheque sem que ao menos a SEDF reconheça o seu erro e ofereça uma alternativa de solução.

O Sinpro está tentando abrir um diálogo sobre o assunto para tentar resolver.

Anúncios

[fala visitante] Qual escola é melhor: pública ou privada?

03/11/2011

Por: Mario Bispo*

Caro WD,

Penso que é difícil discordar dos dados apresentados (neste post). Eu somente queria enfatizar como fiz em outro comentário neste blog que os dados se referem aos alunos brasileiros oriundos de famílias com renda média superior a 20 salários mínimos, ou seja, aqueles que freqüentam escolas particulares do tipo Sigma, Olimpo, Galois, Leornado…

E aproveitar para questionar mais uma vez:
Porque então os dados referentes ao fracasso da escola particular não são amplamente divulgados pelo MEC, secretarias de educação, jornais, bem como estudados nos cursos de formação, pelos professores. Talvez, porque a maioria desses atores matricula seus filhos justamente nas escolas particulares, a começar pelo Ministro da Educação, residente no Plano Piloto, onde sabemos há diversas escolas públicas com bons resultados no IDEB, especialmente nas séries iniciais do ensino fundamental.

Questionar também:
A quem interessa generalizações do tipo: na rede pública reina o caos e na rede particular vivencia-se o éden pedagógico. Tais generalizações não tocam em situações como exemplo, aquelas constatadas em Taguatinga e Ceilândia, onde, algumas escolas particulares, no ENEM 2010, tiveram notas próximas ou menores que escolas tomadas pelo “caos”. (2)

Ceilândia:
Instei – 574
CED 06 – 566 pontos
CEM 04 – 565 pontos
Ebenezer – 552

Taguatinga:

EDUSESC – 578
CEM Taguatinga Norte – 570
CED 05 – 551
Brasil Central – 551
Certo – 563

Cabe indagar: o que explica uma família pagar para que um filho estude numa dessas escolas, tendo a opção pública? Ressalto que conheço colegas nossos cujos filhos estudam justamente nessas escolas particulares. Talvez, seja assim, em razão de uma opção religiosa, de injunções familiares, ou quem sabe, não acreditem nos colegas de trabalho ou julguem sua condição de classe média (real ou idealizada) incompatível com o status advindo de terem filhos matriculados na rede pública.

Com esses dados não desconsidero o fosso existente entre escolas públicas e particulares. Apenas pretendo chamar a atenção para os estereótipos, generalizações, preconceitos que dificultam visualizar as semelhanças e diferenciações entre e intra-redes de ensino. Os dados do ENEM mostram uma diferenciação entre as escolas particulares do DF e mais ainda mostram que somente uma, ressalto apenas uma delas está entre as cem melhores do país.

No caso das escolas públicas, percebo e nesse caso, de maneira mais intuitiva, sem o recurso de dados, que quanto mais a classe média matricula seus filhos nessas escolas, maiores são suas chances de superação do “caos”. Durante anos trabalhei na Escola Classe 64 de Ceilândia, uma escola muito bem avaliada na Prova Brasil. Para mim, dentre outros fatores, tal resultado era devido ao fato de membros do corpo docente, da direção, da coordenação e inclusive da regional terem filhos, sobrinhos, netos lá matriculados. Talvez, por isso, dentre outros aspectos, eu nunca tenha presenciado uma reposição de aulas tão produtiva, eficaz e acompanhada não só pela regional, mas, sobretudo, pelos colegas.

Por que será?

Dados ENEM fonte: http://sistemasenem2.inep.gov.br/enemMediasEscola/

* Professor da SEDF

ATUALIZAÇÃO: 

Por: Patrícia Marques

WD,

Trata-se de uma questão interessante proposta para seus leitores, não obstante, na leitura do texto do Mário me parece que o ponto principal não seja escola pública x particular. Mas, sua formulação, WD, ensejou um bom e necessário debate.

Para mim, ele não discorda da existência de um fosso entre a escola pública e particular, mas, chama a atenção para o fosso entre as próprias escolas particulares. Logo no início dessa discussão, a professora Carla indagou: “quantos alunos de EP fazem medicina na UNB? não vale contar cotas”. Essa questão poderia ser colocada de outra forma: “aqueles que fazem medicina na UnB são oriundos de quais escolas particulares”?

Em 2009, participei de um debate na UnB sobre o PAS, no qual o professor Guache do CESPE trouxe um dado espantoso: 85% das vagas dos cursos de alta concorrência (Medicina, Direito e as engenharias tradicionais) eram preenchidas por candidatos oriundos 4 escolas particulares do DF.

Por isso, concordo com o Mário. Entretanto, observo que ele desconsidera nos argumentos a existência também de um fosso entre as próprias escolas públicas. Ele citou a escola classe 64, na realidade, ex-Escola de Aplicação da Escola Normal de Ceilândia, onde tive o prazer de estudar nas séries iniciais e na juventude me formar professora. De fato lá, estudei com várias filhas de professoras. Contudo, a partir 5ª série a maioria foi matriculada em escolas particulares.

Não sei se vocês percebem isto, as famílias de classe média (inclusive de professores) que matriculam seus de filhos nas escolas classes migram ao final da 4ª série/5º ano para escolas particulares nas séries finais do ensino fundamental e não voltam mais no ensino médio. Vocês também têm essa percepção?

Não haveria um fosso entre escolas classes e os centros de ensino fundamental que torna as primeiras mais atraentes para classe média?


Câmara lança Fórum Permanente de Educação Profissional e Tecnológica do DF e Entorno

03/11/2011

Fonte: Assessoria Parlamentar

A Câmara Legislativa lança, nesta sexta-feira (4), às 10h, o Fórum Permanente de Educação Profissional e Tecnológica do DF e Entorno. O objetivo é promover a capacitação de jovens e inseri-los no mercado de trabalho em seus diversos segmentos, integrando ações com vários setores como educação, agricultura, ciência, tecnologia, turismo e trabalho.

O fórum vai propor identificar o que precisa ser melhorado no universo da educação profissional e tecnológica e nos setores que ele atinge no DF e Entorno. Nesse sentido, vai articular ações reunindo periodicamente seus membros e promovendo seminários, debates e congressos e outros eventos.

A proposta de criação do fórum é do deputado Wasny de Roure (PT), líder do governo na Câmara Legislativa. A ideia surgiu a partir da realização, em maio deste ano, de audiência pública para discutir uma política de ensino técnico para o DF, de iniciativa do deputado. Em seguida, o tema começou a ser discutido com representantes do GDF, do governo federal, da Câmara Legislativa, do sistema S, do Instituto Federal de Brasília (IFB), entre outros.

Ao final do encontro será lida a Carta de Intenções do fórum, com o compromisso dos signatários em consolidar uma política de Educação Profissional para o DF e seu entorno.

Devem participar do evento o governador Agnelo Queiroz (a confirmar); os secretários de Educação, Denilson Bento; de Turismo, Luis Otávio; do Trabalho, Glauco Rojas; da Agricultura, Lúcio Valadão; de Comunicação Social, Samanta Sallum; o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco; o diretor de Educação Profissional do Senai (DR-DF), Romerito de Lima; o diretor do IFB, Wilson Conciane; entre outras autoridades convidadas.

Lançamento do Fórum

Data: 4 de novembro de 2011

Horário: Das 10h às 12h

Local: Plenário da Câmara Legislativa do DF


GDF planeja implantar frequencia eletrônica de alunos em 2012

03/11/2011

FONTE: DFTV

A Secretaria de Educação do Distrito Federal planeja implantar em 2012 o controle digital da frequencia dos alunos da rede pública. O sistema já foi implantado em alguma escolas, como no Centro de Ensino Fundamental 10, em Ceilândia.

“Os alunos esqueciam essa carteirinha, a gente tinha que ficar ligando para o responsável, causava muito transtorno. Agora não, não tem como esquecer o polegar em casa”, afirma a diretora Flávia Ahamid.

Cerca de mil alunos da escola já se cadastraram, o que permite que os pais ou responsáveis acompanhem em tempo real a entrada e saída dos estudantes. O sistema foi criado e cedido gratuitamente por professores do Centro Educacional 2 do Guará, que utiliza a frequencia eletrônica desde junho.

Clique aqui e leia mais


Confirmado: haverá processo seletivo para contrato temporário na SEDF

03/11/2011

Pessoal,

Hoje entrei em contato com a Subsecretária de Gestão de Pessoas da Secretaria de Educação, Patrícia Jane, e ela confirmou que já foi solicitada à Secretaria de Administração a realização do processo seletivo para professor com contrato temporária. A informação é que a Secretaria de Administração está realizando a escolha da instituição que fará a seleção e que esta deverá ocorrer ainda neste ano.

Assim que tiver mais informações postarei aqui.


Deputado Washington Mesquita recebe Comissão do Sinpro

03/11/2011

image

Diretores do Sinpro conversam agora com o Deputado Washington Mesquita sobre o projeto de Gestão Democrática. Estou na reunião e mais tarde postarei as novidades.


%d blogueiros gostam disto: