Sinpro prepara campanha da contagem regressiva

21/11/2011

 

A Diretoria do Sinpro está preparando a campanha de mídia para o período de contagem regressiva até o dia 8 de Março, data em que está marcada a próxima Assembleia com indicativo de greve.

A minha opinião é que esta campanha deve ser capaz de captar a insatisfação e frustração da categoria com a inércia do Governo e transformar em mensagens esclarecedoras para a população e mobilizadoras para professores e professoras. O momento é de preparar o enfrentamento, penso que a campanha deve refletir esta disposição. 

Washington Dourado

Anúncios

Senador Cristovam lança o livro: A Revolução Republicana na Educação

21/11/2011

Clique aqui e veja mais


Conheça o Projeto de Lei da Gestão Democrática

21/11/2011

Para quem ainda não conhece a proposta de Gestão Democrática apresentada pelo Governo na Câmara Legislativa é só clicar aí no link. É bom observar que este é o texto original, sem as emendas apresentadas pelos parlamentares.

Clique aqui e conheça o texto do projeto 


Movimentação no Orçamento da Educação

21/11/2011

Pessoal,

Continuando o trabalho de fiscalização dos recursos orçamentários da Educação, hoje identifiquei uma movimentação que cancelou recursos previstos para serviços de manutenção e remanejou para o PDAF e outros. Vou tentar entender melhor e mais tarde postarei aqui mas detalhes.

Washington Dourado


Aluno custa menos que detento

21/11/2011

FONTE: O Globo

RIO – Enquanto o país investe mais de R$ 40 mil por ano em cada preso em um presídio federal, gasta uma média de R$ 15 mil anualmente com cada aluno do ensino superior — cerca de um terço do valor gasto com os detentos. Já na comparação entre detentos de presídios estaduais, onde está a maior parte da população carcerária, e alunos do ensino médio (nível de ensino a cargo dos governos estaduais), a distância é ainda maior: são gastos, em média, R$ 21 mil por ano com cada preso — nove vezes mais do que o gasto por aluno no ensino médio por ano, R$ 2,3 mil. Para pesquisadores tanto de segurança pública quanto de educação, o contraste de investimentos explicita dois problemas centrais na condução desses setores no país: o baixo valor investido na educação e a ineficiência do gasto com o sistema prisional.

Apenas considerando as matrículas atuais, o chamado investimento público direto por aluno no país deveria ser hoje, no mínimo, de 40% a 50% maior, aponta a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, que desenvolveu um cálculo, chamado custo aluno-qualidade, considerando gastos (de salário do magistério a equipamentos) para uma oferta de ensino de qualidade.

— Para garantir a realização de todas as metas do Plano Nacional de Educação que está tramitando no Congresso, seriam necessários R$ 327 bilhões por ano, o que dobra o investimento em educação — afirma Daniel Cara, coordenador da campanha.

Clique aqui e leia mais


%d blogueiros gostam disto: