Preparando a luta

29/02/2012

Por: Cesar Fernandes

“Nossa escola se reuniu hoje na reunião coletiva e todos decidimos aderir a paralisação do dia 8/03, façam o mesmo nas escolas e com uma adesao em massa, com certeza nossa voz será ouvida.”

Por: Marcelo Nobelino

“Como caminhamos para a greve , queria dizer ao Sinpro que a postura com as direções das escolas e com os gerentes regionais de ensino e demais cargos comissionados ligados a SEDF , deveriam ser postos a disposição do governo, deveríamos forçar a parada da estrutura administrativa, pois os nossos caros colegas que ocupam esses cargos são professores e como tal deveriam agir e pressionar o governo, principalmente os que estão como gerentes nas regionais , onde muitos já participaram do próprio Sindicato, não dá para ver esses companheiros levantando bandeira para governo, só os professores em regência pararem é pouco, e os que não colocassem os cargos a disposição poderíamos dar uma faixa de pelego em homenagem a sua disposição a servir um governo pelego também…. pense na proposta devemos sim cobrar de quem ocupa esses cargos , a nossa função é a de professor antes de tudo…”

Por: Ivanaldo Silva

“Por que tudo é mais difícil para os professores?
Que venha a greve. Não quero isso mas não fujo à luta. Sou mais um soldado nessa batalha.”

Anúncios

A SUGEPE/SEDF tem como responder?

29/02/2012

Aproveito este espaço para cobrar da Subsecretaria de Gestão de Pessoas da SEDF a resposta para alguns questionamentos:

1 – A forma de pagamento dos professores com contrato temporários será por hora-aula ou mensal?

2 – Qual o valor da remuneração destes professores?

3 – Como a SUGEPE pretende fazer a correção nos erros de pagamentos dos temporários?

4 – Vai ter contratação de professores para as escolas conveniadas ou não?

5 – Por que a SUGEPE não faz um “tira dúvidas” na página da SEDF para responder aos questionamentos mais comuns da categoria?

Sinceramente, fico impressionado com a falta de comunicação da SEDF com os seus profissionais. Acho que não seria difícil os principais questionamentos da categoria serem respondidos através da própria página oficial da Secretaria de Educação.

Washington Dourado


Informes do dia [29/02/12]

29/02/2012

NEGOCIAÇÃO

O GDF confirmou a primeira reunião de negociação do ano com o Sinpro para a próxima sexta-feira. Deverá participar desta reunião o Secretário de Administração e o de Educação.

MOVIMENTAÇÕES

Tem um conjunto de entidades e parlamentares tentando convencer o Governador a receber a Diretoria do Sinpro para uma conversa. Até agora nada confirmado.

REUNIÃO COM ESTUDANTES

Na próxima sexta-feria a Diretoria do Sinpro vai realizar uma reunião com lideranças estudantis. O objetivo é pedir apoio ao movimento dos professores e reafirmar o compromisso com a pauta dos estudantes.

SUGEPE ESCONDE INFORMAÇÕES

Ninguém consegue entender porque a Subsecretaria de Gestão de Pessoas da SEDF esconde as informações de interesse da categoria. Por exemplo: milhares de professores com contrato temporário querem saber como será a forma de pagamento do seu salário e a SUGEPE simplesmente não usa o site da Secretaria para prestar este tipo de informação.

MANIFESTAÇÃO NO GAMA

Nesta quinta -feira o Secretário de Educação marcou um evento no Gama para apresentar o projeto pedagógico aos profissionais daquela CRE. Um grupo de professores já estão se preparando para fazer uma manifestação no local em defesa da pauta da categoria e exigindo a abertura de negociações.


Parlamentares e entidades civis manifestam apoio a professores

29/02/2012

FONTE: Site do Sinpro 

Faltando oito dias para zerar nossa contagem regressiva e para a nossa assembleia com indicativo de greve (8 de março), o Sinpro-DF recebeu nesta quarta-feira, dia 29, um grupo formado por parlamentares, presidentes de partido e de entidades civis para um café da manhã. Trata-se de mais uma ação da nossa campanha salarial com o objetivo não só de esclarecer a mobilização das professoras e professores da rede pública de ensino do DF, mas também de angariar apoios à nossa luta. Os parlamentares presentes se colocaram à disposição para usar sua influência de forma a fazer com que o Governo do Distrito Federal retome as negociações, bem como, cumpra os compromissos assumidos com a categoria.

Os diretores do Sinpro-DF  reforçaram a disposição da categoria em negociar com o governo, lembrando toda a trajetória do movimento desde a assembleia de 17 de novembro, quando foi aprovada a contagem regressiva. O presidente do Partido dos Trabalhadores no DF, deputado federal Roberto Policarpo, manifestou seu apoio à luta dos professores e comprometeu-se a buscar a interlocução com o governo. Roberto Policarpo afirmou que “vai cobrar do governador Agnelo o cumprimento do compromisso de campanha feito com o Sinpro, de promover a isonomia salarial entre as carreiras de nível superior do GDF”.

A deputada federal Érika Kokay defendeu que a implantação do Plano de Carreira é uma forma de o governo resgatar a fidelização no serviço público. Um funcionário valorizado, segundo ela, tem toda a disposição de permanecer no serviço até a aposentadoria. Érika Kokay disse ainda que a Lei de Responsabilidade Fiscal – que limita os gastos do governo com pagamento de salários – não pode ser usada como instrumento de terceirização de serviços. Ela informou que está entrando na Câmara Legislativa com um projeto de lei para retirar a Educação da lei de responsabilidade fiscal.

Clique aqui e leia mais


Café da manhã do Sinpro com parlamentares e entidades

29/02/2012

image

Neste momento está acontecendo o café da manhã do Sinpro com parlamentares e entidades sobre a luta dos professores. Mais tarde postarei as novidades.


Debate com secretários do GDF na CUT: discurso não convence servidores

28/02/2012

FONTE: Site do Sinpro

Na manhã desta terça-feira, 28, os secretários de Administração, Wilmar Lacerda, de Fazenda Marcelo Piancastelli, do Planejamento, Edson Ronaldo Nascimento, e da Transparência, Carlos Higino Alencar estiveram reunidos com dirigentes sindicais na sede da CUT-DF para debater gestão pública. A maior parte do tempo foi tomada por uma exposição de Lacerda sobre os números e a situação fiscal do Distrito Federal, uma tentativa de justificar a ausência de reajuste para os servidores públicos do DF em 2012.

O argumento de que o GDF atingiu o limite prudencial da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) não convenceu os servidores presentes. “Não queremos de volta as verdadeiras gangues organizadas de governos anteriores, que destruíram o Distrito Federal, mas nós, que somos parte do movimento social de Brasília, esperamos que o atual governo não nos vire as costas neste momento e realmente priorize a Educação, porque senão, no dia 8 de março, a categoria vai parar”, afirmou Maria Augusta Ribeiro, diretora de Organização do Sinpro.

Na mesma linha se manifestou Washington Dourado, diretor do Jurídico do Sinpro, que acredita que os professores já tiveram muita paciência no primeiro ano de gestão e desde o dia 17 de novembro aguardam, em contagem regressiva, a retomada da negociação. “Falta planejamento, boa vontade e decisão política ao governo”, alertou ele, lembrando que não é responsabilidade dos servidores a situação fiscal do DF e criticou o inchaço da máquina administrativa, com a criação de novas secretarias concorrentes com outras já existentes, como a dos Condomínios.

Clique aqui e continue lendo


CONTAGEM REGRESSIVA: Sinpro promove café da manhã com parlamentares e entidades

28/02/2012

A Diretoria do Sinpro convidou todos os parlamentares do DF e algumas entidades para um café da manhã nesta quarta-feira, na sede do sindicato. O objetivo é promover uma discussão sobre a pauta de reivindicações e solicitar apoio à luta da categoria. Vários parlamentares e e entidades confirmaram presença.

Estes encontros e articulações são muito importantes para obter apoios e evitar o isolamento do movimento que poderá de deflagrado a partir do dia 8.

Postarei aqui as novidades!


%d blogueiros gostam disto: